SATANISMO

satanismo banner

A imprensa brasileira ainda consegue me impressionar com a contribuição que dá para tornar nossa vida mais insuportável. Como se já não bastasse a contumaz apologia da violência, ainda temos que aguentar a “escolinha dominical de satanismo” do Fantástico. Eles já deram as dicas de como matar adequadamente uma jogadora de RPG (punhal, símbolos escritos no chão, de preferência dentro de uma igreja), mas acharam pouco e agora resolveram ensinar como se faz um ritual satânico. E sem motivo, já que o culto a Satã é tão antigo quanto a Bíblia, e já não tem mais nada de novo pra se falar. Nem mesmo a Igreja Católica dá cartaz a eles, e já admite que não há um Belzebu, e sim pessoas desviadas do caminho.

Mas a Globo resolveu dar destaque, através da figura de um padre neurótico e um satanista de Shopping Center (não sei o nome) que mais parece com o vocalista do The Cure. Logo de cara se vê que ele fundou a seita pra poder faturar umas garotinhas incautas. O resto é tudo mis en scene. Mas, por trás de um idiota tem sempre um líder manipulador, e obviamente não é ele. Grupos de espíritos que se comprazem com os prazeres da Terra se acercam dessas pessoas para sentir o que elas sentem. Assim, esses satanistas são meros “playmobils”, intuídos por essas entidades a fazerem orgias, se entupirem de drogas, autoflagelação e outras bobagens.

Por que? Simples. Essas entidades estão em outro plano vibracional, sem nenhuma relação física conosco. Não querem trabalhar do outro lado e ficam com saudade da vidinha de festas e prazeres sensoriais que tiveram aqui. No plano físico, o nosso corpo interpreta os sinais sensoriais captados pelas terminações nervosas e jogam para o cérebro, através de descargas químicas e elétricas. No plano astral esse sentimento (essa conexão da emoção com a sensação) é espiritual, transmitido pela vibração, e requer sutileza e depuração espiritual, coisa que esses “cascas-grossas” obviamente não possuem. Então por isso procuram o prazer material, grosseiro. Como? Através dos “playmobils”. Esses espíritos, que estão intimamente ligados com a mente de seus “bonecos” (através de afinidade mental, pois pensam da mesma forma e estão na mesma faixa vibratória mental), conseguem sentir as mesmas coisas que eles, como se estivessem encarnados novamente.

Tanto que o satanista-mor diz na entrevista: “quando bebo sangue, me sinto um com quem está comigo“. BABACA!!!! Tá sendo usado e ainda tem orgulho disso!!! É óbvio que ele se sente um: o sangue é rico em fluido vital, que é absorvido por ambos. Assim, o espírito se torna mais denso, a ponto de ser sentido (e o mais importante pra ele: sentir) e pode chegar até ao extremo de ser visto por pessoas mais sensíveis (o que é difícil de ter, nesses meios).

Quando o “boneco” não serve mais (quando as ligações energéticas estão destruídas por causa das drogas ou quando ele está esgotado energeticamente e não vai se recuperar) os espíritos simplesmente se livram dele, em casos extremos intuindo os outros participantes do grupo a matá-lo. E os idiotas nem vão saber porque fizeram isso!

E agora que a Globo ensinou como se faz o ritual, vai ter um bando de satanistas de fim-de-semana que vão fazer isso, pra alegria de um bando de espíritos que não têm nada o que fazer!

A sua alma, repleta de vaidade, está enfeitada com amuletos que inspiram medo e emblemas de necromancia, para que os olhos curiosos não descubram a sua miséria.

Mikhail Naimy; O Livro de Mirdad

0 0 votes
Avaliação
Subscribe
Notify of
guest
16 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.