OM TAT SAT

om

Este mantra significa OM é a Verdade (Tat: isto; Sat: verdade).

O OM é um símbolo composto de três sílabas combinadas em uma. Não como uma mistura física, e sim como uma combinação química. Na verdade a vogal O em sânscrito é um ditongo composto de A + U. Por isso o OM também pode ser escrito como AUM. É considerado a “sílaba raiz” (Mula mantra), a vibração cósmica que mantém unidos os átomos que formam o mundo e os céus. Os Upanishads dizem que o OM é Deus em forma sonora, e por isso é a primeira parte dos mais importantes mantras do Budismo e Hinduísmo, como por exemplo o Om Namah Shivaia.

O OM é o hino primeiro da criação. Este som transcendental é idêntico à forma de Deus

Mestre Caitanya

De acordo com os Vedas hindus, Deus primeiro criou o som, e dessas frequências sonoras originou-se o mundo perceptível. Toda a nossa matéria e existência é constituída desses sons primordiais (Panch Shabad) que deram origem aos mantras.

Em termos religiosos, o OM corresponde à palavra egípcia Amen. Quando pronunciada adequadamente no começo da meditação ou de uma reunião, assemelha-se sempre a uma chamada de atenção. Ela dispõe e alinha as partículas dos corpos sutis, de maneira muito semelhante a atuação de uma corrente elétrica sobre os átomos de uma barra de ferro. E então nos achamos na melhor condição para sermos beneficiados pela meditação ou estudo que se segue.

Como é um som sagrado, possibilita toda uma análise lógica e mística, como veremos:

A letra A é considerada a primeira a ser pronunciada na criação do Universo, e não por acaso é a primeira letra do alfabeto sânscrito. Diz-se que engloba todos os outros sons produzidos pelos órgãos vocais humanos. Produz-se o som com a parte de trás da boca aberta (gutural).
Comece avançando para o U usando toda a acústica da boca, para então moldar o som com a curva da boca e o fechamento dos lábios, formando o M. (O som viaja da parte de trás da cabeça, passando pelo meio e atingindo os lábios. Se você for parar pra fazer, vai notar que as 3 letras se fundem num só som. E que o seu chakra Ajna, localizado entre os olhos, vai começar a vibrar. E sua vista vai ficar oscilante, como que debaixo d’água, graças à vibração do som ecoando na sua cabeça).

Metaforicamente ele também é a representação da nossa existência. O A representa o plano físico, o U, o plano mental e o astral, enquanto o M simboliza o estado de sono profundo (um composto da consciência do acordar com a inconsciência do sono), distante de qualquer alcance do intelecto (Satori, Samadhi).

Mas o que torna o OM sagrado é o seu quarto elemento (ou estado), que não pode ser distinguido com nossos órgãos: o profundo e inexprimível silêncio que se segue ao OM. A aquietação de todas as manifestações, a paz interior que precede o estado não-dual. Estado esse simbolizado pelo ponto, na iconografia tradicional do AUM (Seria o Nirvana?).

Há ainda muitos outros simbolismos associados ao OM (que é uma trindade, e como tal possui equivalentes em todas as culturas). Alguns deles são:

Elementais: Fogo (Agni), Sol (Aditya) e Vento (Vayu)
Manifestações da fala: Voz (Vak), mente (Mana) e respiração (Prana)
Divindade: Brahma, Vishnu e Shiva
Homem: Corpo, alma e espírito
Tempo: Passado, Presente e futuro
Estações: Primavera, Verão e inverno
Períodos: Manhã, Meio-dia e anoitecer
Budismo: O Budha, Dharma e Sangha (as três jóias do Budismo)
Cabalismo: Macho, Fêmea e a Unidade
Yuyu Hakusho: Espelho, espada e jóia (hehehe)

O Mandukya Upanishad formula o seguinte:

OM é o arco,
A flecha é você,
E Brahman (Deus) é o alvo.

  

Om Tat Sat, minha música hindu preferida, na voz de Meeta Ravindra:

Essa música ficou tocando repetidamente por meses no meu carro e em casa. É uma melodia para a “oração Sarva Dharma”, que é a união de todas as religiões.

OM TATSAT SRI NARAYAN TU,
PURUSHOTTAMA GURU TU;
SIDDHA BUDDHA TU, SKANDA VINAYAKA,
SAVITHA PAVAKA TU;
SAVITHA PAVAKA TU;
BRAHMA MASZDA TU
YAHAAV SHAAKTHI TU
ISHU PITA PRABHU TU;
RUDRA VUSHNU TU,
RAMA KRISHNA TU
RAHIM TAO TU;
RAHIM TAO TU;
VASUDEVA GO
VISHWAAROOPA TU
CHIDAANANDA HARI TU;
ADVITITYA TU AKAALA NIRBHAYA
AATMA LINGHA SHIVA TU;
AATMA LINGHA SHIVA TU;
AATMA LINGHA SHIVA TU

Tradução:

Om, Tu és Aquele, Tu és Narayana (Deus em forma humana)
Tu és a personificação da perfeição, és o Perfeito Mestre.
Tu és o iluminado Buda, Tu és Ganesha (o que elimina os obstáculos)
Tu és o fogo do sol. Tu és Brahma (o Creador) e Mazda (o Único)
Tu és Jeová e a Mãe Divina (a Energia Creadora). Ó senhor, Tu és o pai de Jesus.
Tu és Rudhra (o transformador) e Vishnu (o preservador)
Tu és Rama e Krishna, Tu és Rahim (todo bondade que dá e expande) e Tao.
Tu és Vasudeva (a substância do Todo), Omnipresente e Omnipotente.
Tu és Hari (o destruidor da ilusão), o Espirito Bem Aventurado.
Tu és Único, mais além do tempo e sem temor da adversidade.
Tu és Shiva, o Creador do Limgam (símbolo do absoluto sem forma).

Referência:
OM – An Inquiry into its Aesthetics, Mysticism, and Philosophy;
Ganesha as Primal Sound;
Alice Bailey & Djwhal Khul – Um Tratado sobre o Fogo Cósmico;
Caminhos de Luz: Os mantras;

4.8 4 votes
Avaliação
Subscribe
Notify of
guest
11 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.