FILMES VISTOS EM 2013

Bem, inspirado pelo grande Elvis Rodrigues, continuo com minha listagem de filmes anuais. Desta vez melhorei bastante em número de filmes vistos.

To Rome With Love (2012)
Lula, o Filho do Brasil (2009)
Dark Shadows (2012)
The Strange Story of Joe Meek (1991)
Telstar – The Joe Meek Story (2008)
Iron Sky (2012)
ParaNorman (2012)
Gonzaga – de Pai pra Filho (2012)
Alô Alô Terezinha (2008)
Red Tails (2012)
Men in Black (2012) documentário russo
The Hunger Games (2012)
video games high school (2012)
Looper (2012)
Paris Je Taime (2006)
Argo (2012)
Ruby Sparks (2012)
Prometheus (2012)
Clube dos cinco (1985)
A&E Biography – The Wonder Years
Moonrise Kingdom (2012)
TPB AFK: The Pirate Bay Away From Keyboard (2013)
Ted (2012)
Cloud Atlas (2012)
As Aventuras de Pi (2012)
Brave (2012)
Hitchcock (2012)
Pearl Jam Twenty (2011)
Wreck-It Ralph (2012)
Zero Dark Thirty (2012)
Django unchained (2012)
Star Wars – Por Trás Da Saga (2004)
Skyfall (2012)
Shutter Island – Ilha do medo (2010)
Colour Me Kubrick (2005)
Machete (2010)
Virgem de 40 anos (2005)
John Carter (2012)
O Espetacular Homem-Aranha (2012)
Mercenários II (2012)
Adeus, minha Rainha (2012)
Antes da meia-noite (2013)
As vantagens de ser invisível (2012)
Rockshow (2013)
Drive (2011)
Only God Forgives (2013)
Pacific Rim (2013)
Man of Steel (2013)
Gravity (2013)
La vie d’Adele (2013)
Blue Jasmine (2013)
Room 237 (2012)
Iron Man 3 (2013)
English Vinglish (2012)
Bienvenue chez les chtis (2008)

ANÁLISE E MELHORES DO ANO

Foram 55 filmes inéditos vistos (contra 34 do ano passado), nenhum revisto, e dentre estes 10 feitos em 2013. Uma média que pretendo manter em 2014.

Agora vamos ao melhor e ao pior. De melhor tivemos “Pacific Rim” e “Gravity“, empatados em 1º lugar e anos-luz à frente dos competidores.

Nos azarões tive uma excelente surpresa com “Drive” (cuja música-tema ainda é obrigatória na minha playlist pelo menos uma vez por dia), “As vantagens de ser invisível” e “English Vinglish“, uma deliciosíssima comédia indiana com uma belíssima mensagem de brinde.

O melhor documentário do ano foi o russo “Men in Black“, sobre a abertura dos arquivos extra-terrestres da Rússia, com depoimentos dos altos militares da época.

As Aventuras de Pi“, “Ilha do medo” e “Argo” foram excelentes filmes que acabaram ofuscados pelos dois primeiros da lista. “Cloud Atlas” é um filme complexo, interessante de mergulhar nele pra uma análise, mas como espetáculo cinematográfico deixou a desejar por problemas de ritmo e direção (coisa que Matrix tinha de sobra). Mas não foi uma decepção, ao contrário dos esperadíssimos “Prometheus“, “Man of Steel“, “O Espetacular Homem-Aranha” e “Iron Man 3“. Aliás, esse último é tão frustrante que eu apaguei da minha mente que tinha assistido e só lembrei agora! “La vie d’Adele” é simplesmente BORING, no que eu não posso nem dizer que foi uma decepção porque foi o esperado de um típico filme estereotipado francês.

Ryan Gosling conseguiu a façanha de ser pra mim o melhor E pior ator do ano com “Drive” (melhor) e “Only God Forgives” (onde ele faz outro personagem mas repete a mesma cara e o mesmo jeito do de “Drive”, com o mesmo diretor, e simplesmente a interpretação não encaixa na história!).

Filme nacional eu recomendo “Gonzaga – de Pai pra Filho” e “Alô Alô Terezinha“.

0 0 votes
Avaliação
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.