TEMPOS ATUAIS: O REINO NÃO É DESTE MUNDO

Ainda sobre Matrix Reloaded, já haviam mencionado aqui que Merovingian representava o demônio, o anjo caído, Satan, o opositor, todos esses arquétipos, mas eu vi na Internet um comentário mais aprofundado, com novos elementos:

Vejam bem, não é porque a conceituada revista SET escreveu uma certa vez que Merovingian poderia ser um dos predestinados anteriores, que isso realmente é verdade. Durante os dois filmes que ele aparece não há qualquer grande indício que isto é verdade. Não descarto essa possibilidade, apesar dela nunca ter me convencido (como parece ter convencido a grande maioria), então ao assistir ao terceiro filme outra grande possibilidade sobre quem ele seria me surgiu, e fatos de Reloaded e Revolutions pareceram se combinar para amarrar essa minha teoria:

Merovingian é o Diabo (Lucifer, Satanás, Belzebu, Demônio, Hades) ou qualquer outra representação mitológica/teológica do capeta. Na verdade ele é a fusão de varias personificações do Demo.

O até então desconhecido pre-relacionamento com Seraph foi o estopim de tudo. Tanto um quanto o outro são anjos: um da Guarda de Oraculo, outro o primeiro dos caídos (percebam que quando Seraph chega no estacionamento os seguranças de Merovingian dizem algo como: “como? sem asas?!?!”). A partir dai tudo passou a fazer sentido:

– O fato de Merovingian ser um hábil negociante. Disposto a fazer pactos e trocas como se isto fosse sua essência (os olhos de Oraculo pela alma de Neo).
– O “controle” que ele tem sobre os programas obsoletos que se tornam “fantasmas, vampiros, lobisomens” (demônios?!?!). Todos se concentram sob as asas de Merovingian.
– Ele estar ali desde “o começo”. Como Lucifer esteve na criação do mundo, Enquanto ainda não invejava a humanidade.
– O seu capanga, o Maquinista, que nada mais é do que uma clara representação das muitas formas do Balseiro, aquele que é responsável pela travessia das Almas do Limbo para o Inferno (Auto da Barca do Inferno deve ser a mais famosa das historias por aqui).
E por fim, a figura exuberante de sua esposa Persephone. Está sim, o maior de todos os indícios: A mais obvia analogia esta em seu próprio nome. A deusa Persephone era filha de Zeus e de Deméter, e desposou Hades, o deus dos infernos e dos mortos por quem fora raptada e por quem acabou se apaixonando no processo. – Outra característica de Persephone que remete diretamente à teoria de Merovingian ser Lucifer, é seu comportamento ao pedir “um único beijo apenas para sentir-se viva” assim como uma succubus que extrai energia vital masculina para se alimentar. Basta saber que Lilith, que em várias mitologias é tida como a esposa do diabo, também é a representação da mãe de todos os demônios e rainha das Sucubbi, um papel ao qual apenas a exuberância de Monica Belucci poderia fazer jus.

Caio Iwasaki

E mais um detalhe: Merovingian vive pelas causas e efeitos, ele é que é o Big Boss da Matrix, o cara que sabe de tudo o que se passa. Se alguma máquina ou humano quiser falar com o manda-chuva, tem de falar com Merovingian (o Arquiteto, obviamente, está acima dele – e do bem e do mal – e vê o Merovingian como alguém que cumpre suas funções). O que nos lembra uma certa passagem do Evangelho:

Então o Diabo, levando-o a um lugar elevado, mostrou-lhe num relance todos os reinos do mundo. E disse-lhe: Dar-te-ei toda a autoridade e glória destes reinos, porque me foi entregue, e a dou a quem eu quiser; se tu me adorares, será toda tua. Respondeu-lhe Jesus: Está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás.

Lucas 4:5-8

Vejam também esta parte do velho testamento, onde Satanás (Satan, que significa “opositor, testador“, em hebraico) conversa amigavelmente com Deus (“O Senhor”), como se o planeta Terra fosse um campo de testes:

Ora, chegado o dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o Senhor, veio também Satanás entre eles.

O Senhor perguntou a Satanás: Donde vens? E Satanás respondeu ao Senhor, dizendo: De rodear a terra, e de passear por ela.

Disse o Senhor a Satanás: Notaste por acaso o meu servo Jó, que ninguém há na Terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, que teme a Deus e se desvia do mal?

Então respondeu Satanás ao Senhor, e disse: Por acaso Jó teme a Deus inutilmente? Não o tens protegido de todo lado a ele, a sua casa e a tudo quanto ele tem? Tens abençoado a obra de suas mãos, e os seus bens se multiplicam na Terra. Mas estende agora a tua mão, e toca-lhe em tudo quanto tem, e ele blasfemará de ti na tua face!

Ao que disse o Senhor a Satanás: Eis que tudo o que ele tem está no teu poder; somente contra ele não estendas a tua mão.

E Satanás saiu da presença do Senhor.

Jó 1:6-12

Jesus deixou claro que o Reino dele não era desse mundo. E, pelos textos acima, vemos que no Reino onde habitamos quem tem o poder sobre a matéria é mesmo Satan (que não é aquele carinha de chifres e pintado de vermelho, mas uma “classe” de entidades que está mais para o estilo refinado e sensorial de um Merovingian, ou de um Robert DeNiro no filme Coração Satânico). Os espíritos nos dizem, através da codificação, que estamos num “planeta-prisão” (aquelas historinhas malucas de Rebelião de Lúcifer (Benítez), As Chaves de Enoch e outras lendas têm seu fundo de verdade), de provas e expiações, e que um dia se tornará de regeneração (virará um “planeta-hospital”), quando a maioria da humanidade criar um campo mental propício que afaste naturalmente, pela Lei da afinidade, os que se comprazem em viver numa filosofia baseada na força, na violência, na destruição e na iniquidade. Tais espíritos que não estiverem nessa nova sintonia serão atraídos para outra morada material que seja compatível com seu grau evolutivo. Idêntico ao que ocorreu na Terra em seus primórdios (ou seja, a maioria de nós já é fruto de um banimento anterior). Como irão? Em espírito. E pra isso quem está aqui precisa morrer fisicamente, claro. E é por isso que vai levar muito tempo pro planeta ser “limpo” de vez. Infelizmente o que vemos no mundo são esses espíritos pintando e bordando, em sua “despedida carinhosa” da Terra. É como a turma de perturbadores da classe, que só zoaram o ano todo, e aproveitam o final de ano letivo terminar pra zoar mais ainda. Não é fácil para uma “pessoa de bem” (seja ela ateu ou de qualquer religião) aguentar isso sem revidar, sem querer a justiça de Talião (olho por olho…) mas é preciso que seja assim. Porque muitos dos que se consideram “pessoas de bem” outrora foram como os que eles condenam hoje, e estão apenas se deparando com sua sombra, colhendo no presente o que plantaram no passado. Somente mostrando que não somos mais iguais a eles é que estaremos aptos a adentrar o novo mundo. Como mostrar? Palavras bonitas não adiantam nada. Todos os espíritos, encarnados ou não, possuem sua “impressão digital”, que é a vibração. Por melhor que você seja, se você alimenta pensamentos de ódio, revolta, tristeza, rancor, vai vibrar na mesma frequência que todos os outros que tiverem esse pensamento, entrando assim na egrégora deles. Não achem que, por se considerarem “bons”, podem tomar certas liberdades, achando que seu lugar já está garantido. Os espíritos advertem que, no plano espiritual, tem gente suficiente pra encher o planeta todinho, banindo (se preciso for) toda a população da Terra. Como qualquer coisa na vida, temos de fazer por merecer habitar num planeta de regeneração, saindo deste planeta ou trabalhando aqui para que a Terra se eleve a este patamar.

Mas não fiquem ansiando por este planeta-hospital como um ébrio que precisa do éter para viver suas ilusões e assim suportar suas dores. Estar neste lugar não é um prêmio, e sim uma condição pessoal. Se você busca tornar-se apto para o prêmio, ainda vai estar jogando o jogo do testador (Satan), de causa e efeito (que é um método de evolução, mas não a evolução em si). Não procure fora de si um mundo de paz. SEJA a paz, e esse mundo virá naturalmente. Enquanto for necessário estagiar neste planeta, é porque não aprendemos a lição em TODA a sua extensão, que vai pra muito além dos planos visíveis e materiais.

Lembrem sempre do conselho de Jesus: vigiai e orai. Quem estiver no telhado não desça. Não é hora pra conversão em massa, ou pra espalhar boas-novas, e sim pra trabalhar-se internamente, como os protagonistas do filme Twister, cientistas que estudam furacões, mas que na hora H tiveram de se amarrar num cano pra não serem levados pelo objeto de estudo. Quem tiver sua fé que se segure nela, SE isso a faz ser uma pessoa melhor. A confusão mental é a ferramenta dos que se comprazem na ignorância, pois assim podem dominar através dos subterfúgios da falácia. “Dividir para conquistar” é um lema de guerra muito velho, mas bem atual. Outra ferramenta usada pra tirar as “ovelhas do rebanho” é o ego. Infla-se o ego do sujeito, e ele vai flutuando em direção aos elogios, como uma criança. Outro método é a ridicularização. O “liberto”, da Alegoria da Caverna de Platão, quando volta pra contar a boa nova já não consegue se adaptar à escuridão como outrora, e por isso é ridicularizado pelos companheiros, que disseram: “tendo ido lá acima, voltou com a vista estragada, pelo que não vale a pena tentar subir até lá”. Platão continua: “E se alguém tentar libertar e conduzir para o alto, esse alguém não o mataria, se pudesse fazê-lo?”

Felizes os que sofrem perseguição por amor à justiça, porque deles é o reino dos céus. Sereis felizes quando os homens vos carregarem de maldições, e vos perseguirem e falsamente disserem todo mal contra vós por minha causa. Rejubilai-vos então e tremei de alegria, porque uma grande recompensa vos está reservada nos céus. Porque assim eles perseguiram os profetas que vieram antes de vós.

Mateus 6:10-12

Por enquanto estamos vivendo as dores do parto, e os momentos que virão serão uma mistura de Mad Max com A noite dos mortos-vivos, mas quando a “criança” nascer (a Era de Kalki) esqueceremos tudo isso.

Referência:
Terra, o planeta-prisão;
Satan, o opositor

0 0 vote
Avaliação
Subscribe
Notify of
guest
3 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.