QUARENTENA SANTA

Estamos no dia de relembrarmos o sacrifício de Jesus, Filho de Deus, que foi crucificado e morto mesmo sendo inocente, e cujo resultado disso só viria a ficar claro no futuro.

Jesus e sua cruz

Futuro, no caso, dois dias depois, no domingo, com a ressurreição. Mas digamos que seja tudo uma metáfora, uma mitologia, e mesmo assim a mensagem é poderosa: A injustiça que sofres hoje vai reverberar no tempo, e no futuro terás um significado para isso. O próprio cristianismo está aí pra provar: após sucessivas perseguições por Roma ele resistiu, cresceu e se tornou um definidor de culturas. Sua mensagem é eterna, poderosa, e fala aos corações ao redor do globo, independente da língua.

Hoje estamos passando por um período análogo ao que viveram os apóstolos de Cristo: A sombra do Medo, e nesse momento estavam todos escondidos, apreensivos, com medo de morrer por conta de uma perseguição injusta e imotivada. No nosso caso, um vírus, que vem vitimando inocentes e nos forçando a nos esconder e nos afastar dos outros como ratos. Como ratos, os primeiros cristãos viveram, pregando em catacumbas, espalhando uma palavra de Esperança diante do Terror e um ensinamento que até hoje é atemporal. Assim, eles espalharam um outro vírus: o vírus da Esperança na Redenção. De tempos melhores, de fé e crença na Vida Eterna.

Cerimônias foram canceladas no mundo todo. Espetáculos e encenações da morte do Senhor Jesus não acontecerão pela primeira vez em décadas, para que muitas outras vidas sejam preservadas. O Papa falará para uma praça vazia. Talvez seja o momento perfeito para esquecermos um pouco o aspecto exterior da crucificação e fazer uma reflexão acerca da simbologia e do significado que trouxe para o coração da humanidade NAQUELE MOMENTO, naquela Sexta-Feira, onde tudo parecia escuro e sem saída, onde a Esperança (na figura de carne e osso do Nazareno) havia acabado de morrer de forma horrível e odiosa. Onde parecia que o mal havia triunfado.

Vamos aproveitar esse momento e olhar pra nós mesmos agora, para nosso coletivo, repensar nossas prioridades, nossos valores, nosso modo de viver e nos relacionar com os outros na escuridão de NOSSA Sexta-Feira da Paixão… Nesse momento estamos a sós com nossos pensamentos, ou com nossas famílias, amores ou até mesmo desafetos (olá, BBB!). Qual aprendizado poderemos tirar disso tudo?

Estamos no começo de tempos muito difíceis pro Brasil, como hoje acontecem na Itália e Espanha, mas centenas de famílias aqui já choram seus mortos. Como honrá-los? Como dar um significado a essas mortes?
Evitando que elas venham a se repetir, creio eu. Trabalhando por um amanhã diferente, onde Saúde Pública Universal seja uma prioridade acima de tudo, inclusive – e especialmente – da Economia.

Foi esse o legado de Jesus, mais do que dizer que há Vida Eterna (acreditem ou não): foi mostrar que sua morte serviu a ALGO, e esse algo transformou o mundo como poucas coisas já fizeram. Mas será que conseguiremos dar um sentido a essas mortes aparentemente sem sentido? Será que esqueceremos e voltaremos ao “normal” assim que essa onda passar? Enquanto escrevo há grupos de pessoas organizadas dispostas a desafiar a quarentena, a jogar futebol, a fazer churrasco, como se nada estivesse acontecendo. Cospem em cima dos corpos recém enterrados dos brasileiros que já morreram, e dos que ainda virão. Não tenho grandes esperanças pra raça humana. Mas aí lembro: onde estamos agora? Estamos na Sexta-Feira da Paixão, ainda somos uma minoria acuada. O tempo parece obscuro, e os romanos parecem dominar todo o mundo conhecido. Ainda não vimos a ressurreição.

“Eu disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo”.

João 16:33

Curioso que o fenômeno de sincronicidade está voltando a acontecer. Hoje pensei firmemente em escrever pro blog alguma coisa só como um motivo pra (re)apresentar a vocês a música de Misa Criolla (Uma adaptação da Missa Católica em espanhol e em ritmos tradicionais sul-americanos). Aí fui botar no Youtube o nome, pra incorporar a playlist, e descobri que existe a versão remasterizada! Fui presentear vocês e quem acabou ganhando o presente fui eu! Aí logo depois continuei minha atualização dos posts e eis que pego JUSTAMENTE um em que eu aprendi que “se eu não me propusesse a passar adiante meus conhecimentos, eu mesmo não os entenderia”, no que eu corrigiria hoje “se eu não me propusesse a passar adiante meus conhecimentos, eu mesmo não me beneficiaria“.

“Conhecimento não é aquilo que você sabe, mas o que você faz com aquilo que sabe.”

Aldous Huxley

E aqui vai a playlist para a Semana Santa:

Misa Criolla, por Ariel Ramirez
0 0 vote
Avaliação
Subscribe
Notify of
guest
4 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.