A GERAÇÃO ATUAL

Estamos vivendo uma era onde o conhecimento e, consequentemente, as energias mentais estão circulando livremente. Há uma década só se conhecia essas informações esotéricas através de escolas iniciáticas, livros que não eram facilmente encontrados, enfim, o aluno tinha que ter sede de conhecimento, procurar a informação. Consequentemente esse aluno provava ter fibra, disciplina e dava o devido valor ao que aprendia. Hoje em dia a informação chega (sempre deturpada) de mão beijada para os jovens, e quase sempre inserida num contexto leviano, como jogos de RPG e sites de ocultistas de shopping center, que colecionam nomes de demônios só pra impressionar a turma da escola.

Mas isso faz parte dos desígnios divinos. A geração que compõe esses jovens são nada mais nada menos que espíritos transgressores, que não se redimiram em centenas de encarnações, sempre procurando o poder fácil aqui na Terra através de magia, da força. São o lixo da Terra encarnado. Por que? Porque estamos vivendo os últimos momentos do nosso planeta como terra de expiação. Em breve seremos um planeta de regeneração, onde deixaremos de aprender através do sofrimento. Para isso precisamos passar por uma reforma (dolorosa) no qual os habitantes não-compatibilizados com essa nova vibração (requerimento básico pra “passar de ano”) serão espiritualmente banidos para um outro planeta que está se aproximando da Terra. As “cadernetas” são o nosso espírito, e é bem visível para os mentores quem vai passar de ano e quem não vai.

Os Maias já previram tudo isso nas suas profecias. Baseado nas interpretações, em 1999 iniciou-se o “tempo fora do tempo“, em que os espíritos podem ser eles mesmos, sem barreiras sociais, culturais, físicas, etc. É impressionante como hoje podemos ter acesso às mais diversas doutrinas e culturas que nos chegam através da Internet ou mesmo em núcleos na nossa cidade. Felizmente hoje podemos nos declarar umbandista / espírita / vegano e não sofrer preconceito por isso, ou até mesmo pseudo-satanistas, que exibem com orgulho sua indumentária e fumam maconha em plena praça de alimentação do shopping.

As máscaras (felizmente) caíram, e como isso comumente gera um caos nas famílias mais “tradicionais”, faz as pessoas mais perturbadas com essa diversidade buscarem refúgio cada vez mais na religião mais tradicional. Mas essa liberdade toda (que você pode direcionar para o bem ou para o mal) é para que não haja reclamações por parte dessa geração de repetentes, que com certeza irá tentar dizer “mas eu não tive oportunidades na Terra” quando for banida. Uma característica dessas pessoas é que nascem em “berço de ouro”, tiveram educação excelente, fazem parte de uma família com acesso a livros dos mais diversos e possuem liberdade para fazer qualquer escolha. Enfim, são menino(a)s “mimados”, mas suas inclinações para o mal os levam a ser o que são hoje (Harry Potter não está tendo sucesso mundial à toa. É mais um veículo para que a mensagem de que “mexer com magia é divertido mas tem suas consequências” se fixe na mente deles e não possam alegar ignorância).

A NOVA GERAÇÃO

Em contrapartida, existe uma nova leva de humanos, alguns já com 12 a 15 anos, que não parecem ser de espíritos da Terra. São facilmente reconhecidos por terem os olhos… digamos… diferentes. As pupilas são grandes, com olhar curioso e inocente, em tudo parecido como os olhos de um coelho. Vivem perscrutando o ambiente em busca de saber de tudo o que se passa, e ao mesmo tempo transmitem uma segurança, austeridade e experiência de uma alma que já viveu milênios. Como isso é possível? Inocência e experiência não costumam caminhar juntas na evolução humana… o meu palpite é de que não sejam humanos.

Já tive a oportunidade de encontrar duas meninas assim, e confesso que me deixam nervoso. As crianças que começaram a nascer desde o fim da década de 90 são também visivelmente diferentes (embora não sejam estranhas como as que mencionei acima). Possuem um olhar maduro, tranquilo, não sorriem com tanta facilidade, é como se elas fossem soldados bem preparados vindo pra guerra. Já nascem com o pescoço duro e uma personalidade formada. Já sabem o que querem, possuem defeitos e qualidades que não podem ter sido influenciados pelo ambiente familiar.

Perguntem à sua mãe e seus avós como eram as crianças de antigamente e lhe dirão que nasciam de olhos fechados e assim ficavam por semanas, eram carecas, idiotas, completamente inocentes por longos anos e só queriam brincar. Eu fui uma pessoa assim!

5 1 vote
Avaliação
Subscribe
Notify of
guest
15 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.