A CONSCIÊNCIA

Sabemos o que somos, mas não o que podemos ser.

William Shakespeare

O corpo é um veículo para a manifestação da consciência em nosso plano físico, assim como um carro é o veículo para locomoção dos humanos na estrada. Do mesmo jeito que você não é seu carro, sua consciência não é seu corpo. E, do mesmo jeito que se você precisar tomar um café na cozinha vai ter de deixar seu carro do lado de fora, se você quiser fazer alguma coisa em uma vibração/dimensão diferente da do seu corpo físico vai ter de deixar essa carcaça pesada dormindo em algum canto.

Segundo estudos da Teosofia – que se basearam em estudos Hindus – e que são comprovados por pessoas que fazem projeção astral e pelas comunicações dos espíritos (principalmente através dos livros de Chico Xavier) nosso corpo se divide, a grosso modo, em três; cada um deles numa vibração específica.

Mas, pra que essa confusão de corpos? Minha consciência, que sou “eu”, já se sente como esse corpo!

Ora, do mesmo jeito que um astronauta que, quando vai ao espaço, precisa usar umas 4 ou 5 camadas de roupa – pra sua proteção – e ainda assim continua sendo “ele mesmo”, sua consciência (que não está presa nesta vibração grosseira, nem na acima dela, nem na outra, estando numa frequência mais elevada que eu não saberia dizer aonde é) pra “descer” até aqui na Terra precisa de várias “pontes” entre os corpos, um comandando o outro, para que possa haver “interface” entre as diversas faixas vibratórias.

Então, você não é esse corpo de carne e osso. Também não é seu corpo astral, nem o corpo mental. Você é sua consciência, a coisa mais imaterial que você possa imaginar dentro de você mesmo. Se estiver confuso, é melhor parar por aqui, porque o buraco é mais embaixo (mais pra cima, na verdade): Você também não é sua consciência, porque sua consciência é apenas um veículo de manifestação de Deus. A partir daí eu não saberia o que vem, pois nem sequer consigo imaginar Deus. Mas, na minha opinião pessoal, baseado na doutrina espírita e no modelo de evolução da Teosofia, posso dizer que vamos passar um loooooooooooongo tempo até deixarmos de ser consciência, então aproveite sua escalada até Deus PROCURANDO SER Deus, mesmo com todas as nossas imperfeições (que é coisa da idade, crianças evolutivas que somos, em comparação à Mente Criadora…).

Aí você retruca:

— Ah, mas eu sou o “poderoso Megalossauro”, não preciso mais de consciência! Daqui vou direto pra fonte!

Ok, que seja. Mas como vai fazer pra se livrar da Consciência? Hara Kiri? Buda deu um método, Jesus outro, Confúcio, outro. Todos eles pregam a integração com o TODO através da AÇÃO (principalmente) e do domínio e desenvolvimento da Consciência, porque não é o TODO que vai abarcar a Consciência, e sim a Consciência que deve expandir-se (sutilizar-se) para alcançar o TODO (uma metáfora melhor seria: O mar não vai cair em cima da gota d’água, e sim a gota que vai voltar pro mar. A gota não cresceu pra virar TODO o mar, apenas não a distinguimos mais). Se você conseguir isso nesta ínfima existência parabéns, pois estará acima de Buda e Jesus, que conseguiram interagir com o TODO, mas ainda como Consciências (ou não teriam como se manifestar aqui na Terra, ou em qualquer outro planeta).

“Quando você está sentado em completo silêncio, inativo, a língua tocando o céu da boca e silenciosa, não tremendo com pensamentos, a mente observando passivamente, não esperando por coisa alguma em particular, sinta-se como um bambu oco e subitamente uma energia infinita começa a se derramar dentro de você; você está preenchido com o desconhecido, com o misterioso, com o divino. Um bambu oco se torna uma flauta e o divino começa a tocá-la. Uma vez que você esteja vazio então não há nenhuma barreira para o divino penetrar em você”

Osho; Criatividade: Libertando sua força interior
0 0 vote
Avaliação
Subscribe
Notify of
guest
8 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.