LÚCIFER E OS DEUSES CAÍDOS

Lúcifer é uma palavra latina que significa portador da luz, ou aquele que traz a luz onde ela se faz necessária (Do latim lux, lucis = luz e ferre = carregar, e cujo correspondente em grego é phosphoros). Por isso mesmo foi associado ao planeta Vênus, a “estrela matutina” que aparece ao horizonte antes do nascer do Sol.

A confusão começou quando fizeram a versão popular da Bíblia, a chamada Vulgata Romana. Foi feita a mando do Papa Dâmaso I por São Jerônimo, por volta de 400 d.C, para fazer uma versão simplificada, vulgar e em latim para o povão poder ler. Pela própria definição, não é a Bíblia original.

Lúcifer foi o nome usado na tradução da palavra hebraica Hêlîl (como era chamado o planeta Vênus), que aparece em Isaías 14:12. Daí para associar Lúcifer aos anjos caídos foi um passo. Ele também foi associado a Samael (o anjo da morte, adversário de Michael), marido de Lilith e líder dos anjos que foram banidos.

A palavra “Diabo” deriva do grego Diabolos, que significa o acusador ou agressor. É o equivalente a Satan, que no hebraico significa simplesmente adversário, o que testa. Já em sânscrito, Satana quer dizer Causar a queda ou desabamento. “Belzebu” veio do nome do Deus babilônico Baal Zebub, que significa Senhor das moscas. Não por acaso, os babilônios eram inimigos dos judeus, que consideravam seus deuses demoníacos. Já a descrição do “capeta” (vermelho, com asas e chifres) é criação de Dante Alighieri, na sua Divina Comédia (canto 34). A sua interpretação é baseada no monstruoso, na ideia do anjo caído possuidor de asas que não são mais belas e angelicais, mas grossas, negras e em formato igual às asas de morcego. O Lúcifer dantesco possui três cabeças, e em cada uma das bocas são mastigados os pecadores: Judas, Brutus e Cássio. Além disso, seu corpo é coberto com pêlos.

A idéia de seres muito avançados que, seja por punição ou por vontade própria são os fundadores da humanidade, está bem presente na nossa História. Na lenda (se é que é lenda) da Atlântida; na expulsão do Paraíso e o aparecimento dos gigantes, no Gênesis; Nos anjos Veladores que vieram à Terra para ensinar a vida perfeita e se deixaram seduzir pelas mulheres da Terra, do Livro de Enoque; Nas lendas mexicanas, gregas, japonesas e nepalesas; Na tradição hindu, revelada por Blavatsky em A doutrina secreta; e nos escritos babilônicos e sumérios.

OBS: Em todas as outras tradições vemos deuses que desceram à Terra, menos no Livro de Enoque. Claro, afinal, como pode uma lenda judia tratar da guerra de deuses se só há um Deus? Então substituíram os deuses por anjos. E o tal anjo jamais poderia se chamar Lúcifer, pois foi escrito em hebraico (Lúcifer é latim).

Lúcifer não é mais do que um mito. Um arquétipo pra nos lembrar dos tempos em que os “Deuses” vieram à Terra. O espírito Emmanuel, através da mediunidade de Chico Xavier, nos esclarece:

“Há muitos milênios, um dos orbes do Cocheiro, que guarda muitas afinidades com o globo terrestre, atingira a culminância de um dos seus extraordinários ciclos evolutivos. Alguns milhões de espíritos rebeldes lá existiam, no caminho da evolução geral, dificultando a consolidação das penosas conquistas daqueles povos cheios de piedade e virtudes(…)
As Grandes Comunidades Espirituais, diretoras do Cosmo, deliberaram, então, localizar aquelas entidades pertinazes no crime, aqui na Terra longínqua.”

Chico Xavier; A caminho da luz

Cristo (o Espírito Santo, como chamam) é o responsável pela evolução desse grupo espiritual. Cristo é muito mais que Jesus; é talvez a Consciência Planetária, por isso não é uma pessoa e, quando alguém consegue se ligar a essa Consciência Crística, sente essa comunhão com o TODO. Jesus se ligou a Cristo; Krishna, Buda e Moisés também, e cada um deles interpretou essa ligação de uma forma particular, mas o caminho era bem claro: retidão de caráter.

Seguindo essa lógica, me deparei com uma possibilidade perturbadora: Se tivemos o grupo de degredados de Capela, e se tudo opera por afinidade, e se cada parcela do grupo (hindus, árabes, judeus, cristãos) teve sua afinidade com seus líderes espirituais, então estes poderiam ser os prováveis lideres que cada grupo seguiu no passado, quando estavam cometendo seus erros em Capela. Líderes estes que se redimiram, reunindo seu rebanho e procurando desta vez orientá-los para o caminho correto. Uma reparação de Karma, uma volta ao equilíbrio… (espero que espíritos ignorantes não usem essa divagação pra falar mal desses líderes, porque, ao contrário de nós, eles venceram).

Essa permuta de espíritos é um processo natural que ocorre ciclicamente entre os planetas, visando manter o equilíbrio do Cosmo (vide as Rondas planetárias). Futuramente o planeta Terra passará pelo mesmo processo de expurgo, quando atingir uma massa crítica de pessoas afinadas com as altas vibrações de pensamento (incompatível com a dos seres trevosos). Claro que isso se dá no plano espiritual. Não é um transporte físico, denso. Mas também houve o apoio físico para a evolução desses seres: Manipulação genética por parte de extraterrestres para o desenvolvimento da nossa “veste” corporal e uma assessoria constante nos primórdios da nossa civilização, como atestam as lendas Maia, asteca e egípcia. A idéia era dar todas as condições para a evolução de nossa raça, através de intercâmbios com outras civilizações mais adiantadas. Mas é bem sabido que seres que perseveram na maldade fazem uso deturpado do conhecimento. E assim se sucedeu.

Os Vedas hindus nos dão relatos do que aconteceu: A discórdia entre os deuses. Não apenas guerras entre humanos, mas alianças com os deuses para guerrear outros humanos e deuses. Nos Vedas estão relatos de batalhas homéricas nos céus, usando-se os Vimanas (os “discos voadores” da época) e empregando nas lutas até mesmo o que parece ser energia nuclear.

Oráculo nos explicou que então houve um banimento destes seres. Foi instaurada uma quarentena pro nosso planeta, que não pôde mais ter possibilidade de comunicação com os povos extraterrestres. Há uma lenda antiga da China que sugere que em algum momento uma raça pervertida de alienígenas causou o rompimento das comunicações:

…Os Mao-tse eram uma raça pervertida que tinha se refugiado nas cavernas. Diz-se que seus descendentes ainda vivem lá, nas linhas dos contornos de Cantão. Então, sob a influência de Tchu-Yeo, eles disseminaram problemas pelo mundo, e se uniram aos assaltantes das estradas. O Senhor Chan-Ty (um rei da dinastia divina) viu que o povo tinha perdido qualquer vestígio de virtude. E então ele ordenou que Tchang e Lhy cortassem toda a comunicação entre o céu e a Terra. Desde aquele tempo não há mais subidas e descidas.

Yves Naud; Ufos and Extraterrestrials in History

Bem, mas sempre tem quem arrange um jeitinho. Algumas pessoas conseguem sintonizar mentalmente com seres que dizem ser da Confederação de Ashtar Sheran, um cara que “cuida” da Terra e organiza as transformações pela qual ela vai passar (não acredito nem desacredito disso).

E os OVNIS que vemos passeando por aí são de “piratas”, seres que não pertencem à Confederação e que não são exatamente “maus”, mas não possuem escrúpulos (tudo pela ciência, como alguns cientistas humanos agem), fazendo experiências com plantas, animais e seres humanos.

J.J. Benítez nos conta essa mesma história, de forma propositalmente confusa, no Livro A rebelião de Lúcifer. Kryon fala algo bem parecido também.

Perguntei a Oráculo como seria o fim dessa quarentena. Ela falou que no futuro virá do espaço uma raça de seres cuja distância evolutiva para nós é a mesma que a do homem para o macaco. Virão trazer a Era de Ouro da qual os Vedas falam. O retorno da época de cooperação.

Lúcifer somos nós! As lendas permaneceram para nos lembrar de quem somos e porque estamos aqui. Se ainda somos de Capela ou de qualquer outro orbe, pouco importa. Se estamos aqui neste Planeta-prisão é por conta de nossa incapacidade de conviver em harmonia com outros povos. Talvez possamos sair se mostrarmos que podemos conviver em paz com nossos semelhantes.

Referência:
Mais sobre Lúcifer;
Enoque e os anjos caídos;
Algumas considerações sobre o Diabo na Divina Comédia;
Extraterrestres: Desde quando nos visitam?;
No Brasil, Giorgio Tsoukalos fala sobre interferência extraterrestre na humanidade

Livros recomendados:
Os exilados da Capela, de Edgard Armond;
Gênesis revisitado, de Zecharia Sitchin;
A saga dos capelinos, de Albert Paul Dahoui

0 0 votes
Avaliação
Subscribe
Notify of
guest
9 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.