AIVANHOV

Recomendo a leitura em especial desse mail, publicado na lista Voadores, que são trechos do livro Poderes do Pensamento, de Omraam Mikhaël Aïvanhov (Coleção Izvor – Edições Proveta – Portugal). Minha admiração pelo estilo simples e direto – embora carregado de sabedoria profunda – de Aivanhov me faz ler todos os textos dele (que estão sendo enviados por canalização, lá na lista Voadores) e não me canso de admirar a beleza da clareza e simplicidade na exposição de suas idéias. Abaixo, alguns trechos do mail:

“O verdadeiro criador é o homem do pensamento; é no pensamento que as coisas se criam. No plano físico nada se cria, copia-se, imita-se, fazem-se uns pequenos trabalhos. A verdadeira criação tem lugar no mundo espiritual. Portanto, mesmo que comandem a matéria, a dirijam e a obriguem a trabalhar para eles, os materialistas perdem o reino do espírito: nivelam-se com a matéria, descem ao seu plano e, portanto,perdem o poder de comandar, perdem a sua força mágica.

É por isso que eu digo para vocês: se souberem utilizar a sua vontade, o seu pensamento, o seu espírito, para dar forma a todos os impulsos que vêm de dentro de vocês, tornar-se-ão criadores, serão grandes forças. Mas não tenham ilusões! Lá porque o seu pensamento obedece vocês, lá porque são capazes de fazer um trabalho de transformação interior, não imaginem que o plano físico também obedecerá a vocês! Muitas pessoas não vêem a diferença e perdem a cabeça porque misturam os dois mundos. Há pouco falei dos enamorados, para os quais, quando têm um encontro marcado, o inverno se transforma em primavera. Essa primavera é real neles, mas no exterior continua a haver inverno. Se eles imaginarem que basta estender a mão e pronto, os pássaros virão cantar… Bem, podem esperar! Pois bem, é o que fazem alguns espiritualistas… Eles imaginam! Alguns até acreditam que, se pronunciarem certas palavras mágicas, se abrirá um rochedo como no conto “Ali-Babá e os Quarenta Ladrões”, acreditam que lhes bastará dizer “Abre-te Sésamo!” para encontrarem tesouros que lhes permitirão viver na abundância até o fim da vida. Não, é muito mais razoável trabalhar do que estar assim à espera de tesouros.

Aliás, de uma maneira geral, as pessoas nunca devem iniciar uma atividade espiritual estando demasiadamente seguras de si próprias, pois essa segurança desencadeia outras forças que se opõem à realização. Já deveis ter notado isso. Comprometam-se a fazer determinado trabalho num certo dia e, passado algum tempo, já não têm qualquer desejo de o fazer. Contudo, se na altura em que se comprometerem estiverem sendo sinceros, estarão decididos a manter a sua resolução. Portanto, daqui para o futuro, não prometam muito intensamente, não anunciem os seus projetos a toda a gente, guardem os seus votos e os seus desejos só para vocês; assim, surgirão menos obstáculos a sua idealização. Eis uma questão que é muito importante conhecer.

E, mesmo quando obtiverem uma vitória, não se deixem adormecer, fiquem ainda mais vigilantes, porque o outro lado poderá atacá-los e, se deixarem surpreendê-los, poderão perder todas as vantagens que já adquiriram. São leis; como tudo está ligado, um movimento produzido numa região desencadeia outro movimento na região oposta. É por isso que, quando um Iniciado está a fazer um trabalho muito luminoso para toda a humanidade, mesmo sem querer ele desperta, suscita o outro lado, as trevas. Mas, como sabe isso, toma precauções. Não é por se despertar a hostilidade das forças tenebrosas que se deve renunciar a trabalhar para a luz. Também neste caso é necessário saber como não sucumbir, mas há que continuar o trabalho até à vitória e, ao mesmo tempo, aprender a utilizar as dificuldades como estimulantes.”

Omraam Mikhaël Aïvanhov

  • Às vezes é preciso “chutar o balde” e o “pau da barraca” para reciclar algumas coisas na vida.
  • Às vezes o comodismo não é por preguiça, mas por medo e covardia em função da medíocre opinião dos outros.
  • Às vezes a inércia e o medo do novo é na verdade medo das profundas responsabilidades que desejamos recusar.
  • O homem mais forte do mundo é o que perdoa, e o mais fraco o que se magoa.

Paz e Luz,
Ramatis, Curitiba, 14/11/2003 – por Dalton Campos Roque

5 1 vote
Avaliação
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.