SHAMAN KING

Shaman King é o nome de um Anime (desenho animado japonês) cujo episódio assisti ontem (passa todo dia na Fox Kids). Fiquei surpreso com o roteiro, que envolve incorporação de espíritos, umbral, ética entre os planos espiritual e físico, entre outras coisas. Tudo isso com muita palhaçada, que é pra alegrar a molecada dos 8 aos 80 anos (eu incluso).

Os Shamans, que dão nome ao título, são as pessoas que não só vêem mas incorporam espíritos (os chamados médiuns, no espiritismo). A desculpa pro roteiro ter ação é que os espíritos, enquanto estão incorporados, dão força sobre-humana aos participantes de um torneio que vai decidir quem vai ser o Shaman King (Rei Shaman). O fato é que pessoas incorporadas podem andar em cima de brasas, se cortar (e não sentir dor) e ter mais força que o médium teria normalmente. Mas isso não é nada sobrenatural, apenas a manipulação de como o cérebro recebe os sinais dos nervos e um aumento de adrenalina e outras funções endócrinas por parte do espírito atuante para conseguir o efeito desejado. Tanto é que isso é algo que pode ser conseguido voluntariamente com uma auto-hipnose: Dizem que o Padre Quevedo faz questão de fazer, em suas palestras, um lápis atravessar a pelanca da sua garganta (me disseram, mas não duvido. Os Yogues já faziam bem mais que isso antigamente).

Voltando ao Anime: Neste episódio em particular havia um garoto que, com a ajuda de seus guias espirituais (que eles chamam de Guardiões), estava aprisionando todos os espíritos que incorporavam, pois ele considerava a incorporação um abuso por parte dos espíritos – o fato de usarem as pessoas para terem um gostinho do mundo que deixaram. Mas o garoto é detido quando encontra o mocinho da história (Yoh, o da primeira foto) e seu guardião, que explica para o perseguidor que a relação entre ele e Yoh não é de exploração, e sim de amizade. Yoh diz que deixa o Guardião incorporar porque quer, e que ainda fica com o controle da situação (e isso é uma verdade meio oculta no espiritismo… do mesmo jeito que você não pode ser forçado a fazer alguma coisa que não queira hipnotizado, não pode fazer algo que intimamente considere impróprio incorporado. Receber espíritos não é desculpa pra nada).

Fascinante, não? E tudo isso num desenho animado do Japão, um lugar onde o espiritismo praticamente inexiste, e a influência da Igreja Católica (e de todo o pensamento religioso ocidental) é praticamente nula.

Um leitor anônimo colaborou:
No gibi (Mangá) do Shaman King tem um episódio em que o Yoh ajuda um pintor que morreu em um acidente a ir pros “planos mais elevados”. Ele tinha ficado preso na Terra porque morreu antes de acabar um cartaz (que passou a assombrar e derrubar em cima dos transeuntes).

Um trechinho do Mangá:

A Alma é a vontade pura da pessoa. Portanto, quando a vontade ou o desejo da entidade é ruim, sua aparência se torna medonha. Uma Alma obstinada como ele tenta se comunicar com pessoas que tenham sensibilidade espiritual, tentando atraí-las ao seu mundo.

E este não é o único. Muitas pessoas que morrem inesperadamente não tomam consciência de que morreram. O desejo deles fica fora de controle, transformando-os em espíritos malignos. Você tinha muito orgulho do seu trabalho. Deixar um cartaz inacabado era inaceitável. Por isso, você ficou preso a esse lugar, tentando se comunicar com alguém que compreenda a sua tristeza. Com o tempo sua vontade se tornou obsessão e você se transformou em um obsessor. Cuidar de caras complicados como você faz parte do trabalho de um Shaman, então eu te ajudarei.

Recomendado:
O Caminho do Xamã; de Michael Harner (ed. Cultrix)

5 1 vote
Avaliação
Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.