KABBALAH COM O RABINO JOSEPH SALTOUN

Por Natalia Sulman

O seguinte texto condiz com anotações redigidas no curso de Introdução à Kabbalah ministrado pelo Rabino Joseph Saltoun em Recife nos dias 26, 27 e 28 de outubro de 2015. Tal escrito não reproduz todas as interpretação cabalísticas, mas apenas a apresentada por esse estudioso da Kabbalah (ou Cabalá) e da teosofia religiosa. Reproduzo seu conteúdo de forma expositiva, embora não esteja vinculado diretamente ao curso e seus ensinamentos.

Primeiro encontro

“O Mestre só aparece quando o aluno está pronto.”

cabala abraao
Abraão (אברהם)

Essa primeira passagem registra um ensinamento importante: o aprendiz precisa estar pronto para instruir-se diante dos ciclos de ondas da vida; ciclos esses de crescimento, emoção e mudança. O primeiro grande aprendizado da Cabalá é a Cabalá ela mesma. Aprender, diante dela, não significa compilar informações, mas decorrer da Sabedoria divina que ilumina a vida. Essa Sabedoria ajuda os homens a conhecer novas dimensões da consciência, e, assim, desvendar os códigos cósmicos do Livro Sagrado Antigo. Nem todos os rabinos são cabalistas, mas aqueles que são sem dúvida o são porque começaram a se perguntar “por quê?”. “Por quê” esse genuíno, diferente daquele “Como?” científico que tem por fim desvendar apenas o mecanicismo terreno do mundo. A Cabalá busca o verdadeiro sentido da vida, ela representa o despertar dos homens capazes de olhar a si mesmos de dentro para fora. Mas se estamos adormecidos, seja por culpa nossa ou por natural necessidade, não nos desencorajemos. O adormecimento é a esperança de abrir os olhos para o que ainda não chegou no mundo.

O segundo tema evocado por essa passagem é o Mestre em si mesmo. Quem é um Mestre cabalista? Em hebraico QBLH (קבלה) significa “recepção“. Os hebreus antigos diziam que o cabalista é aquele que recebe, e, além disso, aceita. A primeira influência cabalista, Abraão não só recebeu a verdade, mas a praticou e a compilou no Livro de Formação. Seus ensinamentos consistem em todo o conhecimento que o ser humano revelou e poderá revelar até o fim dos tempos. Assim Abraão fundou as religiões monoteístas, aproximando-nos do encontro com um único Deus. Algumas interpretações cabalistas indicam que “Hebreu” significa “aquele que faz uma ponte entre o mundo físico e o metafísico”. Abraão, como trouxe a sabedoria metafísica utilizando uma linguagem falada, foi assim o primeiro verdadeiro hebreu, o pai de todos os povos.

cabala isaac luria
Rabino Isaac Luria

Depois de Abraão veio ao mundo Moisés, aquele que no Monte Sinai nos trouxe a Torá. Todavia Moisés mais nos conduziu ao “como” do que ao “por quê”, isto é, mais nos trouxe a Lei: Deus é o eterno por isso não terás outros deuses nem farás imagens de idolatria, não jurarás Seu nome em vão, santificarás o sétimo dia, honrarás pai e mãe, não matarás, não adulterarás, não furtarás, não darás falso testemunho, não cobiçarás nada de seu próximo. A Cabalá, importando-se mais com o por que do que com o como, não cessou em Moisés.

No século II da Era Comum o Mestre Rabino Shimon bar Yochai nutriu um forte sentimento pela independência de Israel das mãos dos romanos, razão pela qual passou a ser perseguido. Fugindo dos romanos, escondeu-se nas grutas de PekIn e Idra Rabba com seu filho Elazar, onde, segundo a tradição judaica, teve a revelação do Zohar, um dos livros canônicos judaicos que discutem a natureza de Deus, a origem e estrutura do universo e temas como a natureza das almas, do pecado, da redenção, do bem e do mal. Vários outros rabinos apareceram na história da cabalá, mas o principal para o mestre Joseph Saltoun foi o Rabino Isaac Luria, que tornou-se tornou famoso como o “Ari”, o leão sagrado.

A Cabalá luriana acompanha todos os processos da história humana. Processos esses que não instrumentam um conhecimento especulativo de uma verdade que passa pelo mundo físico relativo e temporário. O mundo físico é considerado por ela uma dança infinita de átomos, de energia, que está acontecendo e nossos sentidos fazem uma divisão desses fenômenos. Mas na verdade somos um, numa fonte metafísica onde todos os elementos separados se unem. Na verdade os cabalistas não formam uma religião, mas como têm por fim se unir a essa fonte, se firmam na expressão latina religare, pois buscam acessar a ponte infinita da força cósmica que perdemos.

Segundo encontro

“A Torá é o corpo, a Cabalá a alma. Se tirarmos a Cabalá a Torá é um corpo morto, sem alma e sem vida.
A Cabalá tem em si também a Ciência, mas sem a Cabalá a Ciência é um conhecimento morto.”

cabala niveis conhecimento
Os quatro níveis do conhecimento

O sentido dessa passagem é profundo, seu ensinamento mostra como a Cabalá vê o início da dinâmica da vida, isto é, no verdadeiro conhecimento que se apresenta em quatro níveis, são eles: Pshat, Remez, Drash e Sod. O primeiro deles pode ser traduzido pelo simples significado e se trata da compreensão literal da Torá. Compreende-se o segundo por dicas e, a partir de um ensinamento mais profundo, ele é mais que apenas é uma expressão literal bíblica. O Drash, por sua vez, é a interpretação ou exegese bíblica, busca analisar as palavras, a colocação, os formatos e os valores numéricos das letras sagradas, por comparação e por ocorrências semelhantes em outros locais. Enfim chega-se ao Sod, ou seja, o segredo, o significado espiritual e metafísico da Torá; ele só é alcançado por exegetas, rabinos e aspirantes da Cabalá.

A evolução cabalista se pauta em tudo aquilo que desmistifica os segredos da vida. E por que a Torá sozinha é um corpo morto? Dizem os cabalistas que “a Lei de nada vale se não houver a consciência e o coração, pois ninguém se corrige somente pelo dever”. E a ciência, por que é também uma sapiência morta? Porque no universo científico as verdades são temporárias e mutáveis; nossa geração já dividiu o átomo, entrou nas dimensões subatômicas, abriu o assunto da relatividade. Einstein mostrou que o mundo não é um mecanismo fixo e assim uma lei da natural pode ser correta em uma dimensão e não mais em outra. A ciência sabe navegar no mundo físico, mas não onde sequer há tempo ou espaço, onde o sol nem nasce nem se põe, onde há outra forma de luz. A Cabalá sai do tempo e do movimento, dos acidentes e mudanças do mundo físico.

Entre os darwinistas se buscou mostrar que nós não temos muitas diferenças dos outros animais, e por isso nosso conhecimento nada mais é que um instrumento ou uma extensão natural. A Cabalá, no entanto, oferece uma outra visão de mundo, apresenta a matéria como reflexo de algo vivo sendo assim o físico nada mais que a manifestação de uma energia metafísica e espiritual. Nosso corpo tem uma alma e é consciente de si. Assim como nós, o universo é também autoconsciente. Deus é a consciência divina coletiva de toda a humanidade. De um lado está o mundano (manifestação física), de outro o divino (potência), e, como todo pensamento por si é uma potência pura, o pensamento do ser humano já é divino por natureza. O que a Cabalá quer é ligar o pensamento com a ação para ordenar o divino com o mundano compreendendo assim que paraíso e inferno não são lugares físicos, e sim psíquicos.

Terceiro encontro

KABBALAH COM O RABINO JOSEPH SALTOUN

“A primeira criação é energética, é a luz cuja eternidade não abarca o tempo. A luz sempre existiu como fonte inesgotável de prazer e bem. Sofremos quando não temos esse prazer e não vivemos conforme a harmonia da eternidade. Sofrer, portanto, é sentir o peso do tempo, movimento que não existe absolutamente, exceto enquanto criação da mente.”

Essa terceira passagem possui uma série de ensinamentos. Primeiramente indica que a Luz é um tipo de energia que existe acima deste mundo para qual todas as coisas tendem. Ela abarca incessantemente o prazer e o bem cuja essência buscamos. Quando estamos diante dela, nos nutrimos de prazer tamanho que esquecemos as dimensões temporais; “pois sofrer é sentir o peso do tempo”.

Por conseguinte se formos compreender cabalisticamente a história de Adão e Eva entenderemos que no princípio a luz compartilhava de sua fonte com o recipiente (o primeiro homem) e este sentiu também o desejo de compartilhar, mas como a luz não é um recipiente e nem pode ser carente de si mesma, ela não pôde suprimir o desejo do homem. Assim o ser humano sentiu o pão da vergonha (receber sem nada compartilhar) e se contraiu, ou seja, rejeitou a luz, a fonte inesgotável do prazer. A ciência chama essa contração de Big bang, porque ela representa o surgimento desse mundo, a consequência da criatura que pela contração criou um novo Universo.

Tendo isso em vista, foi nossa consciência coletiva quem criou este Universo e saiu do infinito para uma criação finita. Adão e Eva contraíram o recipiente do prazer e criaram a dualidade ao discernir o bem do mal, criando assim a aparência do mundo físico. O prazer, portanto, passou a ter dois lados: o de matar e o de dar vida. Devemos buscar aquele que é vivificante, ou seja, que vem da luz infinita através da dimensão principal da consciência. Perder o lado humano é perder o lado divino, é não poder compartilhar o prazer-bem e, se a fonte do mal é o desejo egoísta do homem de receber a luz sem nada compartilhar, somente pela consciência podemos restaurar o verdadeiro sentido do ser.

Por esses ensinamentos nutrimos a vontade de voltar a nos conectar com o divino e, em vista de conduzi-la também aos nossos atos, devemos praticar a oração e a meditação. Do ponto de vista cabalístico, tais praticas não consistem em implorar ou pedir um favor a Deus e sim numa terapia espiritual que, baseada na compreensão de que tudo o que encontramos no mundo externo é um reflexo do que já existe no nosso mundo interno, torna o ser humano capaz de acessar a causa de seus problemas, aperfeiçoando a si e cessando o peso do tempo. Dessa forma, o homem pode restaurar sua natureza divina original e se preparar para apreciar novamente os frutos da Árvore da Vida.

5 3 votes
Avaliação
Subscribe
Notify of
44 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
*
*
4 janeiro de 2016 9:15 am

se não funcionassem a humanidade nunca teria chegado até aqui, já pensou nisso?
A cem anos não éramos nada tecnologicos.
A china vive longe da medicina ocidental e vai bem.
explica isso espetalhão.
Vc está compelatmente ‘digitalizado’.

basta um simples apagão para pessoas assim simplesmente deixarem de existir.KKKKKkkk

*
*
12 fevereiro de 2016 6:16 pm

neutrino,obg pelas explicações, eu queria apenas entender a sua posição.

outro neutrino
outro neutrino
11 fevereiro de 2016 3:11 pm

Caro *, “Só para complementar, onde se apoia para afirmar que a cabalah induz ou aponta a valores morais subjetivos?” Nas próprias descrições das escolas que se conhece atualmente, que nada mais são do que corrupção da cabala original ortodoxa jamais recuperada, como tal, após ser perdida durante o exílio babilônico. A teologia especulativa daquelas, há muito manchada pelas diversas vertentes do gnosticismo, apresenta falhas grosseiras, que necessariamente descambariam nas interpretações imanentistas, tal como se deu. Estas mesmas resultaram no surgimento de filósofos panteístas, mecanicistas, etc., e dentre seus frutos de melhor caráter exemplificativo está a escola cabalista naturalista surgida… Read more »

*
*
10 fevereiro de 2016 2:00 pm

Neutrino

Só para complementar, onde se apoia para afirmar que a cabalah induz ou aponta a valores morais subjetivos?
Para conflitar com valores morais objetivos ela precisaria ser contrária a existencia de Deus, não é certo?

Leonardo Simão Batista
Leonardo Simão Batista
9 fevereiro de 2016 9:28 pm

Olá, Você tocou numa “pedra de toque” pra mim: “…mas como a luz não é um recipiente e nem pode ser carente de si mesma, ela não pôde suprimir o desejo do homem. Assim o ser humano sentiu o pão da vergonha (receber sem nada compartilhar) e se contraiu, ou seja, rejeitou a luz, a fonte inesgotável do prazer…” Há muito tempo tenho anotações sobre essa questão empoeirando no fundo da gaveta, que ainda encontrar o complemento de um insight, e esse trecho me chamou muito a atenção ao mesmo tempo em que não o entendi muito bem. Você pode… Read more »

um neutrino
um neutrino
9 fevereiro de 2016 8:25 pm

Caro *, É tema um pouco árduo, mas que vale demasiado a pena ser estudado. Faz-se necessário pesquisar, por exemplo, a raiz cabalista em autores que exerceram grande influência na civilização cristã nos tempos que precederam a Reforma, como Escoto Erígina e Joaquim de Flora; e, sobretudo, nas fontes inspiradoras e nos mentores judaico-ocultistas do processo revolucionário efetivado a partir do século XVIII. Foram estes que direta e intencionalmente exaltaram o naturalismo, ofuscaram o que há de objetivo na moralidade, conflitando-a com a de um antropocentrismo que viria a ser contrastado com um menosprezo do homem mesmo diante da imensidão… Read more »

*
*
9 fevereiro de 2016 11:45 am

Um Neutrino

” Em tempo, é por bem apontar: a mentalidade cabalística está na raiz da corrupção moral atualmente generalizada.”

Poderia expor sua ideia sobre isso?

um neutrino
um neutrino
7 fevereiro de 2016 9:57 pm

Mais uma aquecida: “Não sou esquerdóide nem direitóide, ideologias tão esquizas quanto a qualquer religião, grupo esotérico ou espiritual, mundos inventados por cérebros disfuncionais.” O sujeito se acha criatura iluminada, ou iluminadora, cuja estatura intelectual é única, ou partilhada apenas por um grupo extremamente seleto, visto que a quase totalidade da população humana adere a algum tipo de doutrina religiosa, sectária, ideológica, etc. Mas, opa… não é nada disso. “ …deuses misóginos, infanticidas, preconceituosos, escravistas, homofóbicos, ignorantes, adoradores de meninas virgens (tudo isso está espelhado no deus judaico/cristão).” Falso. Um suposto deus misógino jamais faria de uma mulher sua criatura… Read more »

*
*
1 fevereiro de 2016 10:54 am

Ofender as pessoas na net é muito fácil, e seguro…..

*
*
1 fevereiro de 2016 10:52 am

vai lá no Templo de Salomão e diz isso pros fiéis do Macêdo.
quero ver se é macho! kkkkkkkkkkkkk

outro neutrino
outro neutrino
13 fevereiro de 2016 11:47 am

Disponha, caro.

*
*
27 dezembro de 2015 7:46 pm

” Se as verdades que a ciência descobre porque vem com comprovações fossem temporárias e mutáveis, o GPS e os elevadores não funcionariam e não teríamos sondas em Marte.”

Sua ciencia estragou o planeta,modificou o clima, e vai transformar nossa vida num inferno.Parabéns cientista louco!
Seu mundo cientifico é uma meleca!
Só pelo cheiro pavoroso dos centros industriais percebemos como a sua ciencia é boa…….

Anônimo
Anônimo
4 janeiro de 2016 7:50 am

Se os seus medicamentos naturais são tão bons assim, leve eles para os pacientes terminais da fila do SUS? ( um problema da política, e não da ciência diga-se de passagem)
Garanto que se realmente funcionassem não haveria conspiração da indústria farmacêutica malvada que impedisse as pessoas de procura-lo.

Anônimo
Anônimo
4 janeiro de 2016 7:46 am

E o seu deslumbre é com o que? Gurus fajutos que lhe afagam o ego, dizendo que você é especial, iluminado, desperto, que está acima do gado comum? Isso enquanto lhe arrancam o dinheiro através de “cursos”, retiros, livros, objetos consagrados, e outras bugigangas?

*
*
2 janeiro de 2016 7:39 pm

” Kkk, e usa um computador para dizer que a ciência tornou o mundo um inferno.”

você é um mauricinho doente, deslumbrado com luzinhas coloridas.
vai brincar com sua turminha garoto, mas não espalhe lixo toxico na vizinhança ok?

*
*
2 janeiro de 2016 7:36 pm

Sempre dou preferencia para medicamentos naturais.
Medicina cientifica é para rico!
Eu não sou, tenho de me virar, e tem dado certo até hoje.
Porque no SUS não tem jeito.

Anônimo
Anônimo
2 janeiro de 2016 10:59 am

Kkk, e usa um computador para dizer que a ciência tornou o mundo um inferno.
Faz o seguinte: da próxima vez que ficar doente, ao invés de tomar remédios criados por algum “cientista louco” a mando da malvada indústria farmacêutica, vai para uma tribo indígena, procurar um pajé e pede para ele te curar com chazinhos.

Mas, se quiser, pode ir para um hospital também, já que a medicina cientifica, ao contrário dos deuses, não é rancorosa e não liga se você acredita nela ou não.

Maat.
Maat.
25 dezembro de 2015 8:54 am

Feliz Natal Acid.
Que a paz de cristo esteja contigo em todos os momentos.

Nielsen
Nielsen
24 dezembro de 2015 6:51 pm

Anônimo,
Se você é Ateu, problema seu.
mas não venha despejar seu Ateísmo cientifico nas nossas orelhas, please.

Um feliz natal para todos os comentaristas do SDM, e pro Acid também.

Anônimo
Anônimo
19 dezembro de 2015 8:12 am

Só balela pseudo mística. Ora, todo misticismo é um embuste. Pegue-se a história de qualquer “instrutor” e se perceberá duas coisas. 1. é um esquizofrênico ou 2. é um picareta que nasceu com uma “missão”: iludir seus incautos “gafanhotos” e faturar com eles, …kkk… Osho é um dos célebres exemplos do caso 2.

*
*
1 fevereiro de 2016 10:36 am

troll……

um neutrino
um neutrino
31 janeiro de 2016 8:02 pm

“Mas prove que algum dos milhares de deuses inventados por piolhentos é real e eu aceitarei, mas prove antes.” A prova racional de um Deus que não foi inventado por nenhum “piolhento” existe. Mas tuas palavras apontam para um naturalista crente e fanatizado, filhote do iluminismo ocultista e do protestantismo dessacralizador – correntes inclusive assassinas de massas – que repete sem se dar conta um sem número de asneiras propagadas nos últimos séculos no Ocidente por não ter feito o mínimo esforço intelectual de traçar um histórico minimamente aceitável de tais ideias e de testá-las dialeticamente. A doutrinação é tão… Read more »

Anônimo
Anônimo
18 janeiro de 2016 9:36 pm

Considera-se a influência da mente sobre a matéria mas também deve-se refletir sobre a influência do mundo afetivo/emocional sobre a mente…Video: Mysteries of the Heart- https://www.youtube.com/watch?v=Kyfm5_LLxow

Anônimo
Anônimo
18 janeiro de 2016 9:26 pm

“Consciousness Creates Reality” – Physicists Admit The Universe Is Immaterial, Mental & Spiritual: http://bit.ly/1PChyJd
Video: http://bit.ly/1PCidue

Anônimo
Anônimo
18 janeiro de 2016 8:03 pm

Para refletir… Nossos pensamentos afetam diretamente o mundo físico? “Eu considero a consciência como fundamental. Eu considero a matéria como um produto derivado de consciência. Não podemos ficar atrás da consciência. Tudo o que falamos, tudo o que nós consideramos como existente, postula a consciência.” – Max Planck, físico teórico que originou a teoria quântica, que lhe rendeu o Prêmio Nobel de Física em 1918. Além disso, décadas de pesquisa e experimentos dentro do reino da parapsicologia têm mostrado resultados bizarros, inexplicáveis, mas repetidamente observáveis ​​indicando a grande importância da consciência que nós não costumamos considerar, especialmente quando se trata… Read more »

Anônimo
Anônimo
17 janeiro de 2016 9:23 pm

Conceito de “esquizofrenia esotérica”: o cara vive no mundo atual com acesso a produtos e serviços espetaculares que o conhecimento exuberante da realidade nos propicia (que também nos afasta da ignorância tribal lotada de seres fantasmagóricos: deuses, espíritos, “ares maléficos”), despreza o conhecimento real em nome de visões da ignorância tribal dissociada da realidade, mas corre para o médico do conhecimento balizado científico na primeira dor que aparece. Dissociadinho. Quem sabe você vai para o meio da Amazônia viver só “de luz” a partir de amanhã e volta daqui uns 30 anos para nos provar que a vida sem recursos,… Read more »

Anônimo
Anônimo
17 janeiro de 2016 9:16 pm

O cara toma banhinho quentinho todos os dias, tem eletricidade para alimentar dezenas de comodidades, inclusive o aparelho de ressonância que diz com precisão o problema no joelho que tem, sem o médico precisar de uma serra elétrica para abrir o joelho para fazer diagnóstico, faz exames médicos, de sangue, toma vacinas, usa camisinha para não pegar HIV, não morre mais de apendicite supurada aos quatro anos de idade, aos 21 anos, nem aos 64 anos, e a China é “exemplo” de saúde pública eficiente com seus pós de cornos de minotauros e escamas de peixe pseudocientíficos, vulgo “efeito placebo”.… Read more »

Anônimo
Anônimo
17 dezembro de 2015 11:05 pm

Samyutta Nikaya LVI.31 Simsapa Sutta As Folhas de Simsapa Certa ocasião, o Abençoado estava em Kosambi numa floresta de Simsapa. Então, o Abençoado pegou algumas folhas de simsapa com a mão e perguntou aos Bhikkhus: “ O que vocês pensam, bhikkhus: o que é mais numeroso, as poucas folhas de Simsapa que peguei com a minha mão ou aquelas acima de nossas cabeças na floresta de Simsapa?” “Venerável senhor, as folhas que o Abençoado pegou com a mão são poucas, mas aquelas sobre as nossas cabeças na floresta são numerosas.” “Assim também, bhikkhus, as coisas que aprendi através do conhecimento… Read more »

Anônimo
Anônimo
23 dezembro de 2015 1:24 am

Se as verdades que a ciência descobre porque vem com comprovações fossem sempre temporárias e mutáveis não se usaria computadores, não se tomaria banhinho quentinho todos os dias, as vacinas não funcionariam, você estaria desdentado e viveria cheia de piolhos. Se as verdades que a ciência descobre porque vem com comprovações fossem temporárias e mutáveis, o GPS e os elevadores não funcionariam e não teríamos sondas em Marte. E poderia aqui citar milhões de outras verdades imutáveis e definitivas, como por exemplo: a Terra orbita o Sol e a fórmula da molécula da água é H20. Existem verdades (porque comprovadas)… Read more »

Nielsen
Nielsen
22 dezembro de 2015 12:49 pm

” E a ciência, por que é também uma sapiência morta? Porque no universo científico as verdades são temporárias e mutáveis…”

Ouçam e aprendam crianças.

*
*
19 janeiro de 2016 5:05 pm

expectativa de vida na china ao nascer- 75,15 anos

http://www.indexmundi.com/pt/china/expectativa_de_vida_no_nascimento.html

expectativa de vida no brasil ao nascer- 75,2 anos.

http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2015/12/expectativa-de-vida-dos-brasileiros-sobe-para-752-anos-diz-ibge.html

Nem tão distante assim, não acha?

*
*
19 janeiro de 2016 5:38 pm

Imagine o que será desse planeta em cento e cinquenta anos, nesse ritmo de
consumo acelerado.

Anônimo
Anônimo
31 janeiro de 2016 12:15 pm

Não sou esquerdóide nem direitóide, ideologias tão esquizas quanto a qualquer religião, grupo esotérico ou espiritual, mundos inventados por cérebros disfuncionais. Sou, sim, descrente de qualquer deus inventado por tribais, que os inventaram por ignorância, antropormóficos (feitos à imagem e semelhança dos próprios homens), por isso tantos deuses misóginos, infanticidas, preconceituosos, escravistas, homofóbicos, ignorantes, adoradores de meninas virgens (tudo isso está espelhado no deus judaico/cristão). Somos, infelizmente, uma cultura derivada de uma das religiões tribais mais ignorante da história, a judaico-cristã, que escravizou pessoas, chacinou índios, tratou as mulheres como seres de quinta categoria por quase dois mil anos, que… Read more »

Serise
Serise
25 janeiro de 2016 12:50 pm

para encarar a segunda……..

https://www.youtube.com/watch?v=KxfK0ImsEmo

Nielsen
Nielsen
25 janeiro de 2016 12:36 pm

o que um elemento ateu comunista vem fazer nos coments sobre a cabala?
mostrar sua enorme insensatez!!
Acho que ele quer um processo por ofender a crença alheia…..
e è o mesmo engraçadinho de sempre.

Don´t feed the Trolls.

*
*
25 janeiro de 2016 11:28 am

isola o cara, é troll.

Serise
Serise
25 janeiro de 2016 10:49 am

Não me confunda com seus amigos cara!!
eu não sou contra a ciência, e me sirvo do que há a disposição nesse mundo tecnologico.

Eu também não vou me envolver no seu debate ridiculo de adolescente.
só vou rir da sua forma de expor as idéias, afinal tá enchendo o saco nos coments.

Exuberante é a sua prepotencia garoto.
cresce primeiro para depois frequentar o mundo dos adultos.

adi
adi
17 dezembro de 2015 11:04 am

Que post lindo Acid, tocou meu coração e fez brotar alegria e paz.

Muito obrigada.

Anônimo
Anônimo
23 janeiro de 2016 1:53 pm

Claro. E você usa esse conhecimento todo o dia. Exemplo: um mero MP3 que você ouve todo o dia, veio do “conhecimento divino”? Dos tribais? Dos esotéricos e seus mundinhos esquizos? Não, veio da realidade espelhada pela matemática e do modelamento das ondas sonoras via tratamento digitalizado de ondas sonoras contínuas (conhecimento da realidade). A realidade da relação espaço x tempo descoberta por Einstein, comprovada por inúmeros experimentos, faz com os GPSs funcionem. No tempos das cavernas, muitos tribais achavam que a Terra era plana e “acabava em abismos”. Que medo… kkk.. Outros tribais achavam que os cometas traziam desgraças.… Read more »

Serise
Serise
22 janeiro de 2016 5:37 pm

” Conceito de “esquizofrenia esotérica”: o cara vive no mundo atual com acesso a produtos e serviços espetaculares que o conhecimento exuberante da realidade nos propicia”

conhecimento exuberante da realidade?

essa foi de lascar…….rs,rs,rs.

Nielsen
Nielsen
22 janeiro de 2016 4:54 pm

o acidente no Guarujá é uma mostra do que vem por aí, não é mesmo anônimo??

Nielsen
Nielsen
22 dezembro de 2015 12:28 pm

E veio fazer o que aqui, Num blog espiritualista?
Pendura uma melancia no pescoço!

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.