YUZO KOSHIRO (parte 3): FLERTE COM O DANCE

Em 1990 Yuzo Koshiro fez para o computador Sharp X68000 (o substituto do PC-88) a trilha do jogo Thrice (da M.N.M. Soft), que ele considera um de seus trabalhos mais difíceis. Nela já se pode vislumbrar o estilo que, um ano depois, o tornaria uma celebridade mundial:

Thrice – That’s thrice

Ainda neste mesmo ano, em sua primeira parceria com a empresa Enix, lançou a trilha de Misty Blue, um obscuro RPG para o computador PC-88, pouco conhecido fora do Japão. A música é totalmente techno-dance, refletindo o estilo da sua época, onde ritmos como o freestyle dominavam o cenário musical:

Misty Blue – Catch the step
Misty Blue – I wanna close to you

Mas a grande preciosidade do CD com a trilha sonora de Misty Blue eram as faixas-bônus, que continham um preview das músicas de um novo jogo para o qual ele estava trabalhando, também da Enix: Actraiser. Considerando que esse jogo seria lançado no fim do ano, juntamente com o novo videogame da Nintendo (Super NES), é bem provável que ele não tivesse ainda as especificações técnicas do que seria a placa de som do SNES, e por isso as compôs no tradicional computador Sharp X68000, usando a placa de som Soundboard II. Essa primeira versão das músicas de Actraiser é puro estilo videogame com um leve toque clássico, como em Ys:

Actraiser – Fillmore (versão preliminar Soundbard II)
Actraiser – God’s Trial / Ordeal of God (música não usada no jogo)

E abaixo, na minha opinião, a melhor música composta por Yuzo, em todos os tempos. Simplesmente poderosa:

Actraiser – Space fight (música não usada no jogo)

CLÁSSICO

No final de novembro de 1990 a Nintendo lançou, com estrondoso sucesso, o videogame Super Famicom (que viria a ser conhecido como Super NES no resto do mundo) com apenas dois jogos: Super Mario World e F-Zero. Em três dias o estoque da Nintendo foi todo vendido. F-Zero demonstrou as capacidades de rotação e zoom do chip Mode 7 do videogame, enquanto Mario reafirmou a reputação do criador Shigeru Miyamoto como o “Deus dos jogos”. Ambos possuíam cores e sons um pouco melhores que os do Mega Drive, mas não muito. Isso mudou duas semanas depois, quando foi lançado Actraiser, um jogo que misturava RPG com plataforma, com gráficos impressionantes e um som que muitas revistas definiram com uma só palavra: Divino.

Actraiser – Birth of the people
Actraiser – Sky Palace

“O novo hardware era difícil de trabalhar no início, mas quando ouvi a música Super Mario World eu tive uma idéia do que o sistema era capaz de fazer. Isso me deu a coragem de tentar compor algumas músicas verdadeiramente orquestradas.”

Yuzo Koshiro

É interessante notar como o estilo da música mudou em função das possibilidades que o chip de som do SNES proporcionava. Yuzo conta que a grande motivação para Actraiser foi trazer pela primeira vez nos videogames o som de uma orquestra. Ele então pegou samples (amostras de som) de orquestras reais e foi cuidadosamente diminuindo o tamanho e qualidade delas para caber no limite de memória de cada música do SNES (64kb no total) sem com isso perder o realismo. A forma como Yuzo Koshiro dominou o hardware de som em tão pouco tempo é tão impressionante que, mesmo depois de OITO anos de vida do SNES, apenas DOIS jogo chegaram ao mesmo patamar de qualidade técnica sonora de Actraiser: Castlevania IV (que eu considero o jogo com as mais belas músicas barrocas de todos os tempos) e Chrono Trigger.

Contra-capa do CD de Actraiser

Por falar em Chrono Trigger, Actraiser causou profunda impressão nos dois compositores que trabalharam nesse jogo: Yasunori Mitsuda e Nobuo Uematsu. Mitsuda conta nesta entrevista que trabalhava na Enix como programador de som para Norihiko Yamanuki (compositor de The 7th Saga), e que Norihiko perguntou se ele conseguia um som como aquele, mas ambos perceberam desde a primeira música que isso seria praticamente impossível. Nobuo Uematsu estava quase terminando a trilha de Final Fantasy IV, e conta que “quando ouvi Actraiser eu me dei conta da qualidade orquestral e joguei fora todo o trabalho que fiz até então. Troquei todos os samples por outros, mais cheios e poderosos. Mas eu não refiz as melodias”.

Era a primeira vez que música clássica era reproduzida com perfeição em videogames. Elas foram criadas imaginando uma orquestra verdadeira, e misturavam o estilo clássico com a batida agitada da música tradicional de videogame, corais com riffs eletrônicos, ou intercalava momentos de puro John Williams com música gótica, barroca ou clássica. Uma experiência inesquecível para quem jogava. A música do primeiro estágio (Fillmore) era um testemunho disso, com uma magnífica orquestração de múltiplas camadas de som simultâneas, que podem ser apreciadas individualmente ou no conjunto.

Actraiser – Fillmore

Actraiser – Northwall

Sobre a influência musical para fazer Actraiser, Yuzo diz que suas grandes inspirações foram o anime Battleship Yamato (Patrulha Estrelar) e o compositor de filmes John Williams (Guerra nas Estrelas, Indiana Jones, etc), como podemos perceber na música abaixo:

Actraiser – All Over the World

“Não escondo de ninguém que a música de Actraiser e Actraiser 2 foram inspiradas em John Williams”

Yuzo Koshiro
O time responsável pela criação de Actraiser e sua continuação, que surgiria em 1992.

A equipe que fez Actraiser foi praticamente a mesma que criou o jogo Ys para a Falcom. O nome que eles adotaram (Quintet / Quinteto) é derivado da linguagem musical, bem como dos cinco elementos do Game Design: Planejamento, gráficos, som, programação e produção. O diretor e presidente da Quintet é Tomoyoshi Miyazaki, o escritor dos três primeiros jogos da série Ys. Masaya Hashimoto, diretor principal, designer e programador dos mesmos títulos Ys, foi o diretor. A irmã de Yuzo, Ayano Koshiro, foi a responsável pelos desenhos dos personagens.

Ainda neste mesmo ano, a mãe dos irmãos Koshiro (Tomo Koshiro) criou sua própria companhia de videogames (Ancient), onde ela ficou responsável pela divulgação, Yuzo pela música e direção e Ayano pelos gráficos.

Em 1991 Yuzo estreou o concerto Actraiser Symphonic Suite, com uma orquestra de verdade tocando a trilha de Actraiser, e o próprio Yuzo, juntamente com Kaoru Wada, fez a adaptação e a orquestração. Tudo isso aos 24 anos! É lindo observar como a música Fillmore (Filmoa em japonês) continuou bonita e com personalidade própria em suas três encarnações, com “tecnologias musicais” distintas:

Actraiser Symphonic Suite – Fillmore (versão orquestrada)
Actraiser Symphonic Suite – Birth of the people (versão orquestrada)

Fillmore é uma música singular no mundo dos games por sua combinação não-usual de ritmos mas que se mesclam de forma perfeita: se você reparar a música possui uma orquestra em estilo Wagneriana, apoiada por um baixo que toca em ritmo de funk (dos anos 70) e viradas de bateria que dão um ritmo de hard rock, tudo unido por um órgão de Igreja. Talvez por essa versatilidade ela tenha se tornado uma música popular em covers pela internet. É possível achar versões dela em piano, heavy metal, funk suingado, no estilo épico, emulando o som do Mega Drive e até mesmo no estilo Castlevania IV que, segundo o próprio Yuzo Koshiro, foi o seu antecessor (Castlevania III, para o Nintendinho) que inspirou a composição dessa música.

UM DEPOIMENTO

Falar de Actraiser realmente me emociona, e por dois motivos: foi a primeira vez que joguei um RPG (o que me deixou emocionalmente apegado à história) e foi justamente ao terminá-lo que considerei Yuzo o meu ídolo máximo da música. Até então Yuzo era apenas um nome na tela de um jogo com ótima música (Streets of Rage não havia saído ainda). Nenhuma revista (até então) falava dos nomes dos realizadores, não havia “estrelas” no mundo dos games. Fui um dos primeiros a ter um Super Famicom, poucos meses depois de lançado no Japão. Por sorte tinha uma locadora aqui que importava os cartuchos, e Actraiser estava entre eles. Deslumbrado com os gráficos e sons, fui avançando no jogo mesmo sem saber japonês.

No jogo você é um Deus, que deve cuidar do bem-estar do seu povo. Cheguei numa parte em que uma pessoa era encontrada no meio do deserto. Após isso recebo um item (que não imaginava pra que servia) e a música muda dramaticamente pra um lindo lamento transcendental. Mesmo sem entender uma palavra, compreendi então, apenas pelo clima da música, que aquilo era uma composição feita em homenagem à pessoa que morreu no deserto, e que me era oferecida como uma oração! Foi a experiência mais linda que tive jogando videogames, e me marcou até hoje, onde através da linguagem universal da música pude compreender sentimentos e emoções.

Actraiser – Sacrifices (Sasagemono)

Cheguei na metade do jogo, onde a barreira da língua me impediu de avançar (justamente por ser um RPG) e prometi a mim mesmo que continuaria quando saísse a versão em inglês. Não tinha a menor idéia de quem havia criado as músicas, mas seja quem fosse eu já considerava como um gênio musical.

Neste meio tempo (6 meses), virei um propagandista do Super Famicom, e falava sempre da música de Actraiser pro pessoal da locadora. Foi quando um cliente falou que a música mais linda que ele já tinha ouvido era a de abertura de um novo jogo para o Mega Drive: Streets of Rage. Dias depois fui conferir, intrigado como alguém poderia achar a música de um Mega Drive melhor do que a de um SNES. De fato, a abertura de Streets of Rage é algo fascinante… mas era um estilo diferente, não dava pra comparar. Na tela-título de Streets of Rage estava o mesmo nome do cara de Revenge of Shinobi: Yuzo Koshiro. “Esse cara é MUITO bom”, pensei. Fiquei dividido: na época a rivalidade Nintendo x Sega estava no auge, e eu agora era dono de um Nintendo. Como podia admitir que o Mega Drive produzia músicas fantásticas?

Então chegou Actraiser em inglês, e pude finalmente jogar até o fim. Ao final do jogo, estava quase em lágrimas com a sublime música que toca no epílogo e pensava “Meu Deus, que compositor é esse?”. Então fiquei atento aos créditos do jogo, esperando exclusivamente pelo compositor, e eis que surge o nome de Yuzo Koshiro na tela, e dei pulos de alegria! O que estava dividido em minha mente se tornou UM: este definitivamente era o compositor completo! Foi uma emoção incrível, e a partir desse dia ele se tornou o meu ídolo máximo. Quando me casei, em 2011, fiz questão que tocassem “Sacrifices” e “Birth of the People” em versão piano com flauta.

Actraiser – Sacrifices (Acústico)

Referência:
Entrevista de 1991 sobre Actraiser e o Super NES;
Actraiser liner notes (Entrevista com todo o time da Quintet)

Artigos:

0 0 vote
Avaliação
Subscribe
Notify of
guest
19 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.