O CORÃO E AS RELAÇÕES INTERNACIONAIS

Pouca gente sabe, mas há no Corão várias referências a Jesus, que é considerado por eles um profeta, mas não Deus (obviamente, já que não existe o conceito de trindade pra eles):

Jesus, um profeta virtuoso, 6:85;
O nascimento, 3:45-47; 19:16-23;
mensageiro para os israelitas, 3:49-51;
não o mataram 4:157-159;
igual a Adão, 3:59;
não foi crucificado, 4:157;
nada mais que um mensageiro, 4:171; 5:75; 43:59, 63-64;
não Deus, 5:17, 72;
enviado com o Evangelho, 5:46;
não filho de Allah, 9:30;
mensagem e milagres, 5:19, 30-33;
ora por uma mesa servida de alimentos, 5:114;
não ensinava falsa cultuação, 5:116-118;
os discípulos declaram-se muçulmanos, 5:111;
os seguidores têm compaixão e misericórdia, 57:27;
os discípulos como auxiliadores de Allah, 61:14;
como um sinal, 23:50; 43:61;
profetizava a Ahmad, 61:6.

Mudando de assunto, mas dentro do mesmo tópico, o que tem me incomodado mais nos últimos meses é a postura do mundo muçulmano em relação ao resto do mundo. Tantas tensões, tanto rancor, justificados ou não, o fato é que eles continuam personificando o papel de “vilões” aos olhos da mídia, quando os verdadeiros vilões agem sorrateiramente como gangsters, de forma “limpa” e discreta (e com vista grossa da ONU). Os idiotas do Irã provocando navios dos EUA em águas internacionais, os idiotas da Palestina jogando bombas a esmo em Israel e os idiotas do Paquistão que forneceram um ótimo bode expiatório pra morte de Benazir Bhutto (até as pedras de lá sabem que o assassinato foi encomendado pelo serviço secreto do governo). E como esses idiotas adoram se passar por religiosos pra justificar suas ações, todo o Islamismo (que vai pra muito além do Oriente Médio) é prejudicado…

Que fazer? A tristeza me assola… queria poder ter alguma voz, pra poder falar pra os líderes mundiais “Caramba, será que não vêem que isso vai precisar de mais do que diplomacia? Precisamos de entendimentos não só a nível de aperto de mão, mas de comprometimento espiritual!” Se não conseguirmos falar a mesma linguagem do mundo islâmico, não teremos pontos de contato. E as atitudes desse povo são inseparáveis das atitudes espirituais. Não é como no ocidente, onde um ditador como Pinochet pode ir na missa de domingo e na segunda mandar matar centenas de pessoas num estádio de futebol. Claro que o presidente do Irã pode ir na mesquita num dia e depois dizer que Israel deveria ser eliminado do mapa (sabe-se lá como) mas na mente deles há sempre uma justificativa religiosa (verdadeira ou não) para tal, e é justamente aí que deveríamos discutir, no terreno religioso!!! Foi essa idéia que me impeliu a analisar o Corão, procurar conhecê-lo um pouco (a barreira da língua é tão impeditiva quanto procurar analisar a Torá sem conhecer hebraico) e procurar não pontos de discórdia, mas pontos de conciliação.

Assim sendo, vejamos a relação dos muçulmanos com os “estrangeiros” no Corão:

2:62 Os fiéis (do Corão), os judeus, os cristãos, e os Sabianos, enfim todos os que crêem em Deus, no Dia do Juízo Final, e praticam o bem, receberão a sua recompensa do seu Senhor e não serão presas do temor, nem se lastimarão.

29:46 “Não discutais com o Povo do Livro, senão de modo amável (com exceção dentre eles os que são injustos). Dizei: “Cremos no que nos foi revelado e no que vos foi revelado. Nosso Deus e o vosso Deus são Um e a Ele nós estamos submetidos”.

O livro Sagrado dos maometanos afirma que Deus deu o livro (o Corão) primeiramente a Moisés, e não a Maomé:

10:93-94 E concedemos aos israelitas um agradável abrigo e os agraciamos com todo o bem. Mas disputaram entre si, depois de receberem o conhecimento. Teu Senhor julgará entre eles pelas suas divergências, no Dia da Ressurreição. Porém, se você (Muhammad) está em dúvida sobre o que te temos revelado, consulta aqueles que leram o Livro antes de ti. Sem dúvida que te chegou a verdade do teu Senhor; não sejas, pois, dos que estão em dúvida.

Os versos abaixo são uma cobrança de posição dos judeus, que, em tese (ver versos acima) são vistos como irmãos (não exatamente amigos) e como tal deveriam respeitar e serem respeitados:

2:84 E de quando exigimos nosso compromisso, ordenando-vos: Não derrameis o vosso sangue, nem vos expulseis reciprocamente de vossas casas; logo o confirmastes e testemunhastes.
2:85 No entanto, vede o que fazeis: estais vos matando; expulsais das vossas casas alguns de vós, contra quem demonstrais injustiça e transgressão; e quando os fazeis prisioneiros, pedis resgate por eles, apesar de saberdes que vos era proibido bani-los. Credes, acaso, em uma parte do Livro e negais a outra? Aqueles que, dentre vós, tal cometem, não receberão, em troca, senão aviltamento, na vida terrena e, no Dia da Ressurreição, serão submetidos ao mais severo dos castigo. E Deus não está desatento em relação a tudo quanto fazeis.
2:86 São aqueles que negociaram a vida futura pela vida terrena; a esses não lhes será atenuado o castigo, nem serão socorridos.

Vê-se que, desde muito tempo, já havia conflitos com os judeus, e que, pelo menos no Corão, eles se colocam como vítimas (não sei nada da história daquela época, portanto não posso emitir um parecer), mas vejo aí uma brecha para a paz, já que não há realmente uma declaração de ódio aos judeus, mas sim à “injustiça e transgressão”, coisa que nenhum povo suporta. mas há dispositivos no próprio Corão para que se busque a paz:

49:9 E quando dois grupos de fiéis combaterem entre si, reconciliai-os, então. E se um grupo provocar outro, combatei o provocador, até que se cumpram os desígnios de Deus. Se porém, se cumprirem (os desígnios), então reconciliai-os eqüitativamente e sede equânimes, porque Deus aprecia os que agem com justiça.

49:10 Sabe que os fiéis são irmãos uns dos outros; reconciliai, pois, os vossos irmãos, e temei a Deus, para vos mostrar misericórdia.

49:11 Ó fiéis, que nenhum povo zombe do outro; é possível que (os escarnecidos) sejam melhores do que eles (os escarnecedores). Que tampouco nenhuma mulher zombe de outra, porque é possível que esta seja melhor do que aquela. Não vos difameis, nem vos motejeis com apelidos mutuamente. Muito vil é o nome que detona maldade (para ser usado por alguém), depois de Ter recebido a fé! E aqueles que não se arrependem serão os iníquos.

49:12 Ó fiéis, evitai tanto quanto possível a suspeita, porque algumas suspeitas implicam em pecado. Não vos espionem, nem vos calunieis pelas costas. Quem de vós seria capaz de comer a carne do seu irmão morto? Tal atitude vos causa repulsa! Temei a Deus, porque Ele é Remissório, Misericordiosíssimo.

49:13 Ó humanos, em verdade, Nós vos criamos de macho e fêmea e vos dividimos em povos e tribos, para reconhecerdes uns aos outros. Sabei que o mais honrado, dentre vós, ante Deus, é o mais temente. Sabei que Deus é Sapientíssimo e está bem inteirado.

0 0 vote
Avaliação
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.