Página principal

   
5 estrelas
Budismo
Ciência
Cinema
Cristianismo
Espiritismo
Filosofia
Geral
Hinduísmo
Holismo
Internacional
Judaísmo
Metafísica
Pensamentos
Política
Psicologia
Sufismo
Taoísmo
Ufologia
Videolog


Ver por mês


Últimos comentários

Retornar à página principal


MAGIA JUDAICA (Parte 1)
seg, 25 de abril, 2016
 


Após um longo tempo de deprê de fim-de-ano, eis que volto com uma série de posts sobre uma exposição que visitei no Museu de Arte e História do Judaísmo, intitulada Magia: Anjos e demônios na tradição judaica. Neles veremos uma faceta pouco conhecida do judaísmo: suas superstições e como os antigos judeus se protegiam das influências malignas, invocando anjos e desenhando símbolos em quadros, amuletos, objetos de casa, etc.


ANJOS E DEMÔNIOS

O judaísmo tradicional acredita que Deus governa sobre um mundo de numerosos seres invisíveis e poderosos, especialmente os anjos, demônios e os mortos.

Entre o período do Segundo Templo e o período talmúdico (600 aC - 500 dC) vários textos descreviam o mundo celestial como povoado por um número infinito de anjos, intermediários entre o homem e Deus. É no Sefer ha-Razim (Livro dos Mistérios), o livro de magia judaica mais antigo que sobreviveu (meados do primeiro milênio de nossa era) que esta visão do mundo adquire uma dimensão mágica, com uma hierarquia complexa anjos encarregados de cada fenômeno natural ou provocados pelo homem, bem como maneiras de os convocar.

O Talmude Babilônico (Talmud Bavli), compilado por volta do século VI, vê os demônios como seres intermediários entre homens e anjos: incontáveis, podem alterar a aparência, moverem-se para os quatro cantos da terra instantaneamente e se tornarem invisíveis. Obedecendo a um rei, Ashmodai, eles vivem à margem da civilização, em desertos, poços, ruínas, fossas de latrinas, mas também entre os homens, e por vezes dentro neles. Seu poder oculto reside na sua capacidade de prejudicar os humanos.

Terrível, o demônio Lilith, mãe de todos os demônios, encarna a brutalidade de uma natureza hostil aos seres humanos. Sua imagem e nome são econtrados em grande quantidade de amuletos e objetos apotropaicos, muitas vezes acompanhados dos nomes e figuras de três anjos da medicina: Sanoi, Sansanoi e Semangelof (סנוי סנסנוי וסמנגלוף) - que mantêm o demônio afastado.

Amuleto de prata contra Lilith (Irã, 1920). Inscrições em hebraico com os vários nomes de Deus, a bênção sacerdotal "Birkat kohanim", frases como "Fora Lilith" e os nomes de vários anjos, entre eles os 3 da medicina
Amuleto de prata contra Lilith (Irã ou Iraque, 1900). Inscrições em hebraico com a bênção sacerdotal, frases para expulsar Lilith e nomes dos patriarcas e matriarcas.

Continuar a leitura

 
Judaísmo - publicado às 11:50 PM 38 comentários