Página principal

   
5 estrelas
Budismo
Ciência
Cinema
Cristianismo
Espiritismo
Filosofia
Geral
Hinduísmo
Holismo
Internacional
Judaísmo
Metafísica
Pensamentos
Política
Psicologia
Sufismo
Taoísmo
Ufologia
Videolog


Ver por mês


Últimos comentários

Retornar à página principal


A JABUTICABEIRA
dom, 30 de maio, 2010
 


Um senhor idoso estava cuidando de uma planta com todo o carinho. Um jovem se aproximou e perguntou:

- Que planta é esta que o senhor está cuidando?

- É uma jabuticabeira, meu jovem.

- E quanto tempo ela demora para dar frutos? (perguntou o jovem ansioso)

- Pelo menos uns quinze anos!

- E o senhor espera viver tanto tempo assim? - perguntou com ironia o rapaz.

- Não, não creio que viva mais tanto tempo, pois já estou no fim da minha jornada! - disse o ancião.

- Então, que vantagem você leva com isso? Vai demorar 15 anos para dar frutos, o senhor nem vai apreciar o gosto da jabuticaba. Você está todo sujo, cansado e ainda terá que regar e cuidar de uma planta da qual nunca verá os frutos! Que vantagem você tem nisso?

- Nenhuma, a não ser a vantagem de saber que ninguém colheria jabuticabas e nem saberia como são saborosas se todos pensassem como você...

O jovem se retirou muito envergonhado, refletindo seriamente naquelas palavras.

E quanto a nós? Escutamos o dito popular: Vamos viver hoje, porque amanhã...
É claro que não nos devemos nos preocupar com o futuro, pois pertence somente a Deus, mas se tudo o que fizermos for para servir somente para nós, sem que nos preocupemos em nada com as futuras gerações, então continuaremos a destruir o ecossistema, e, consequentemente, a nós mesmos. Além de destruirmos a sociedade onde vivemos, através das nossas relações cada vez mais individualistas.

Não importa se teremos tempo suficiente para ver mudado as coisas e as pessoas, mas façamos a nossa parte, para que tudo se transforme a seu tempo, pois com certeza nem tudo o que estamos plantando hoje teremos a oportunidade de colher amanhã; talvez sejam nossos filhos, netos...


 
Geral - publicado às 1:15 PM 34 comentários
O BURACO
ter, 25 de maio, 2010
 


1.
Ando pela rua.
Há um buraco fundo na calçada.
Eu caio...
Estou perdido... Sem esperança.
Não é culpa minha.
Leva uma eternidade para encontrar a saída.

2.
Ando pela mesma rua.
Há um buraco fundo na calçada.
Mas finjo não vê-lo.
Caio nele de novo.
Não posso acreditar que estou no mesmo lugar.
Mas não é culpa minha.
Ainda assim leva um tempão para sair.

3.
Ando pela mesma rua.
Há um buraco fundo na calçada.
Vejo que ele ali está.
Ainda assim caio... É um hábito.
Meus olhos se abrem.
Sei onde estou.
É minha culpa.
Saio imediatamente.

4.
Ando pela mesma rua.
Há um buraco fundo na calçada.
Dou a volta.

5.
Ando por outra rua.


Texto extraído de O Livro Tibetano do Viver e do Morrer, de Sogyal Rinpoche (Ed. Talento/Palas Athena)


Infelizmente muita gente prefere continuar caindo no mesmo buraco. Às vezes desenvolve até um prazer mórbido nisso, como uma forma de chamar a atenção pra si. Estes já têm sua recompensa. O ruim é quando arrastam outros consigo; outros que não queriam estar nesta situação, mas, por compaixão, dever, necessidade ou pura falta de opção, acabam caindo também. Aí a pessoa gera karma ruim não só para ela, mas cria uma dívida kármica com os outros.

E quando um país inteiro é arrastado para o buraco? É o que chamamos karma coletivo. As necessidades de um (ou vários) se sobrepõem às demais, e num primeiro momento os outros acabam apoiando, por ignorância. As necessidades desse grupo continuam crescendo, e a sociedade faz vista-grossa, afinal estamos todos colhendo benefícios... Logo o apoio se torna incondicional, um hábito. Esse exemplo encaixa perfeitamente no que aconteceu com o nazismo, com o socialismo, mas serve pra outros grupos mais próximos de nosso dia-a-dia.

Resta o consolo de que tudo, por pior que seja, é aprendizado. Ou, como diz a música da Alanis Morissete:

Você vive, você aprende,
você ama, você aprende
Você chora, você aprende,
você perde, você aprende
Você sangra, você aprende,
você grita, você aprende

Você se aflige, você aprende,
você se sufoca, você aprende
Você ri, você aprende,
você escolhe, você aprende
Você reza, você aprende,
você pergunta, você aprende
Você vive, você aprende

Quando será que aprenderemos, como país, a dar a volta no buraco e mudar de rua sempre que necessário?


 
Budismo, Política - publicado às 12:15 AM 106 comentários
GENTE QUE MENTE
dom, 16 de maio, 2010
 


Este não é um projeto do governo, é da sociedade. O do governo, que vamos trabalhar com prioridade, é o do pré-sal. Antes do dia 6, não temos compromisso de votar
(Senador Romero Jucá, sobre o projeto "Ficha Limpa")

Essa é a frase do líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), que sintetiza bem o que realmente é o Partido dos Trabalhadores e seus aliados: o interesse DELES vem acima do interesse do povo. Jucá quer usar o Ficha Limpa como moeda de troca pro Senado aprovar o Pré-$al, que vai garantir mais dinheiro pro partido vindo das empreiteiras petrolíferas. Duvida? A empreiteira UTC Engenharia começou a pagar uma "mesada" de R$ 150 mil ao PT 2 dias antes desta fechar um contrato com a Petrobrás, no valor de R$ 114 milhões. Contrato feito por CONVITE. Ilegal? Infelizmente, não. Imoral? Certamente. É a ELES que o PT responde, não ao povo. Até porque não é do interesse dos maus políticos, muito menos do Senador Romero Jucá, que o Ficha Limpa seja aprovado. Logo ele que tem dois inquéritos no STF: Um por captação ilícita de votos e corrupção eleitoral, e outro por Desvio de verbas públicas. O próprio Lula é contra o Ficha Limpa: "A pessoa só estará proibida de ser alguma coisa se ela for condenada nas instâncias que ela tem de ser julgada." Não me espanta, vindo da pessoa que considera Sarney uma pessoa incomum, acima da lei, ou que diz que as imagens de Arruda recebendo pacotes de dinheiro "não falam por si". Essa é a última pessoa de quem eu esperaria apoio a algo moralizante na política brasileira. Irônico, pois ele teve meu voto em 2002 justamente por fingir uma postura de indignação e moralidade contra casos assim, e em 2006 ainda tentou enganar o povo se indignando contra a Roseana Sarney (hoje aliada política) e o Edison Lobão (que 2 anos mais tarde viria a ser seu ministro).


É uma chantagem política com a sociedade. Uma coisa são os projetos de interesse do governo. Outra são os projetos de interesse da sociedade, que se sobrepõem ao governo, até porque o governo só existe em função do mandato que lhe foi outorgado
(Ophir Cavalcante; presidente nacional da OAB)

Enquanto isso o líder do governo na Câmara dos Deputados, Cândido Vaccarezza (PT-SP), queria antecipar em UM MÊS o período chamado de "recesso branco", em que os parlamentares não comparecem semanalmente ao Congresso e vão a Brasília apenas para votações eventuais. Tudo isso por causa da Copa do Mundo, vejam só! O nobre deputado não queria apenas ver os jogos do Brasil, mas também acompanhar todos os jogos, os comentários, a mesa-redonda... Esse mesmo deputado agora quer descontar sua frustração por não terem aprovado o recesso em cima dos aposentados, que trabalharam uma vida inteira, todos os dias da semana, pra sustentar o salário dos nobres parlamentares. Ele quer invalidar o aumento dos aposentados, aprovado na câmara, por conta de um erro no percentual num dos parágrafos. Ou seja, uma formalidade. Mas não pensem que a preocupação do Vaccarezza é técnica. Ele apenas representa os interesses do governo, a saber: "Se o Senado aprovar o texto como está, Lula não tem a mínima condição de sancioná-lo". Pros aposentados um aumento de 7,7% vai estourar a Previdência. Mas emprestar 250 milhões de dólares pra Grécia pode, né?

Agora esse partido quer nos empurrar uma candidata a presidente que foi forjada na mentira. Primeiro, mentiu pra sobreviver na ditadura, quando era combatente e terrorista. Agora mente pra atingir os objetivos do seu partido, que é manter o poder custe o que custar. E pra isso começa ignorando as leis de nosso país SISTEMATICAMENTE ao lançar a campanha eleitoral antecipadamente, seja "inaugurando" obras do PAC que nem estão terminadas, seja inventando eventos onde ela e Lula podem aparecer discursando e pedindo votos. Dilma, Lula e o PT já foram multados várias vezes pelo TSE, mas eles estão pouco se lixando pra multas de 5 e 20 mil reais (o que é isso quando o partido ganha R$ 150 mil AO MÊS de UMA empreiteira?) e a perda do programa partidário na TV para o ANO QUE VEM! Devido a lentidão da justiça, o programa partidário dessa semana foi ao ar com mais uma campanha descarada pra Dilma.

Isso tudo é muito ruim. O país não avança culturalmente dessa maneira. É a perda total de parâmetros, a inversão de valores. O errado passa por certo e vice-versa... As pessoas não estão se dando conta de que essa permissividade pode levar a conseqüências seríssimas
(Marco Aurélio; Ministro do STF, sobre o contínuo desrespeito à lei eleitoral)


Lamento que tenha sido entendido assim. A gente não quis cometer nenhum ato incorreto
(Dilma Rousseff, sobre a multa que ela e o PT receberam do TSE, por campanha antecipada na TV em dezembro de 2009)

Se não houve intenção de desrespeitar a legislação eleitoral com o programa partidário que foi ao ar em dezembro do ano passado, qual a justificativa da ex-ministra Dilma Rousseff e do PT para novamente desrespeitar a lei eleitoral no programa do partido exibido essa semana? Até porque, como partido político, o PT deve saber que o programa partidário é para falar de partido, e não de uma única pessoa por 10 minutos. E, muito menos, para falsear informações sobre esta pessoa. Por exemplo, Lula mentiu quando disse que "percebeu a vocação verdadeiramente social de Dilma quando ela apareceu com a proposta do programa Luz Para Todos". O projeto foi uma iniciativa do líder do PSDB, deputado federal João Almeida, aprovada em 2003 a partir da experiência do Luz no Campo, criado em 1999 pelo governo FHC. Almeida, que propôs o Luz Para Todos ao Governo Lula, reagiu, indignado: "Tenho uma surpresa muito grande quando aparece um ou outro deputado, e agora a ex-ministra de Lula, dizendo que levou o Luz Para Todos para aqui, ou que outro levou o Luz Para Todos para lá. Mentem todos!! Ninguém leva o Luz Para Todos para qualquer lugar!! Quem diz onde o programa vai acontecer é o computador, que lista as comunidades a serem atendidas em cada momento, considerando o menor custo por unidade beneficiada".

Infelizmente poucos vão saber que se trata de uma mentira, porque é a TV que "educa" o curral eleitoral do PT, a massa de ignorantes que cada vez mais vai sendo cultivada pela falta de investimento em educação nesse país.


O PT cometeu uma violência contra a legislação eleitoral do país, desdenhou da Justiça Eleitoral. Se a autoridade maior desse país não respeita a lei, como se exigir que o cidadão comum venha a respeitá-la nesse momento crucial de definição do futuro do país? O que fazer? Respeitar a lei ou seguir o exemplo do adversário, afrontando a legislação para tentar conquistar voto? Nessa competição desigual em que um partido respeita a lei e outro não, o que não respeita é premiado, e a competição se torna desigual
(Senador Alvaro Dias)

Outro absurdo divulgado pelo programa de TV foi a comparação de Dilma com Mandela: "Um dia o Mandela me disse que foi para o conflito porque não lhe deram outra saída", diz Lula. Mas Dilma teve escolha, sim. Está aqui, na página da Dilma na Wikipedia: "Seus militantes logo viram-se divididos em relação ao método a ser utilizado para a implantação do socialismo: enquanto alguns defendiam a luta pela convocação de uma assembleia constituinte, outros preferiam a luta armada. Dilma ficou com o segundo grupo, que deu origem ao Comando de Libertação Nacional (COLINA)."


Eu lutei sim, pela liberdade, pela democracia, contra a ditadura, do primeiro ao último dia, com os meios e as concepções que eu tinha naquela época
(Dilma Rousseff, no programa eleitoral ilegal da semana passada)

Mais uma mentira deslavada. Ela nunca lutou pela democracia (A menos que você considere Cuba e a URSS uma democracia!). Basta pesquisar os grupos aos quais Dilma pertenceu: COLINA (organização brasileira de extrema esquerda que tinha como objetivo a instalação de um regime de inspiração soviética no Brasil) e Var Palmares (Nas palavras do próprio grupo: "uma organização político-militar de caráter partidário, marxista-leninista, que se propõe a cumprir todas as tarefas da guerra revolucionária e da construção do Partido da Classe Operária, com o objetivo de tomar o poder e construir o socialismo."), todos envolvidos com roubo a bancos, assassinatos, terrorismo, sequestro e tortura.

Dilma não pode alegar que não sabia o que estava fazendo, nem ignorar o tipo de política que ela estava lutando pra implementar: "A Polop misturava de tudo. Tinha Lênin, Marx, Rosa de Luxemburgo e uma pitada de Trotsky. Era o grupo mais intelectualizado. O pessoal da AP rezava o dia inteiro. Os do PC do B só liam Mao Tse-Tung. A Polop era um movimento iluminista", descreve Apolo Heringer, 67, um dos gurus da esquerda belo-horizontina nos anos 60. Polop era como todos se referiam à "Organização Revolucionária Marxista Política Operária", da qual Dilma participava. Mais tarde, em 1967, o grupo se tornou o COLINA.

Dilma mentiu sobre seu mestrado e doutorado em economia. E ainda mentiu de novo pra justificar a mentira:

Pior ainda, a plataforma Lattes do CNPq, que só é acessível com senha pessoal e intransferível, foi literalmente FRAUDADA com as informações de mestrado e doutorado. Dilma, assim como Lula, diz não saber de nada.

Dilma mentiu quando disse que não se encontrou em privado com Lina Vieira, pra ela "agilizar a fiscalização do filho do Sarney". Apesar de Dilma negar o encontro, o Gabinete de Segurança Institucional confirma a existência de registros da presença de Lina no palácio. Lula arrogantemente desafiou Lina a mostrar a agenda dela com a reunião, que estava sumida. A agenda apareceu com a reunião marcada, e o caso foi misteriosamente esquecido.


Dilma Rousseff mente. Mentiu no passado sobre seu currículo e mente hoje sobre seus adversários. Usa a mentira como método. Aposta na desinformação do povo e abusa da boa fé do cidadão.
(Senador Sérgio Guerra, em carta aberta a imprensa)


O desempenho de Dilma à frente do Ministério de Minas e Energia pode ser medido pela visão estreita com o qual o PT investiu (ou melhor, deixou de investir) nesse recurso essencial ao desenvolvimento do país: Minas e Energia teve o maior bloqueio de verbas da Esplanada. Essa falta de investimentos culminou num gigantesco apagão, que revelou ao Brasil toda a truculência dessa senhora:


Agora estão correndo atrás da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, pouco se lixando pra impactos socio-ambientais e, num descaso com o povo maior ainda, estão querendo construir DUAS novas usinas nucleares, mesmo sem solução à vista para armazenar os lixos radioativos (vocês sabiam disso? eu não!). Vão aumentar um problema que é seríssimo na Europa (A Alemanha já está desativando suas usinas) e empurrar o mesmo com a barriga. Enquanto isso nenhuma palavra sobre energia renovável, nem mesmo investimentos em pesquisa com energia eólica ou solar. Há dois anos uma jovem cientista australiana criou células fotovoltáicas - usadas para transformar energia solar em energia elétrica - a partir de produtos parecidos com esmalte e acetona, uma impressora e um forno de pizza!!! Ou seja, há solução barata e limpa, mas falta interesse governamental! Cadê os carros híbridos, que são a nova febre na Europa e Japão? Por que aqui esqueceram toda a propaganda em torno do biocombustível assim que descobriram o Pré-Sal??!

Além dessa "brilhante" atuação à frente da crise do apagão, vemos que o despreparo de Dilma vai muito além da esfera política:


Há também uma controvérsia envolvendo a ficha criminal da Dilma, nos tempos de terrorista. A Folha de SP publicou uma suposta ficha do DOPS, recebida por email. Dilma Rousseff contratou peritos da UnB e da UNICAMP que concluiram ser falsa a ficha que circula na internet. Os peritos contratados pela Folha concluiram que a cópia digital da ficha é insuficiente para uma perícia conclusiva. A única forma de tirar a limpo os fatos seria a abertura dos famigerados "arquivos da ditadura". Quando o jornal foi aos arquivos para fazer pesquisa mais minuciosa, o acesso lhe foi negado. Os famosos arquivos da ditadura continuam indisponíveis para pesquisa. Dilma afirma com veemência que a ficha é falsa pois alega que mandou pesquisar no DOPS se lá existe ficha similar. Estranhamente as fichas que existem em diversos arquivos não estão disponíveis para consulta. Só Dilma Rousseff teve acesso às mesmas. Por que?? A quem interessa o segredo? Isso só leva a duas conclusões:
Ou a ficha é verdadeira, não havendo como provar o contrário (e Dilma fica lançando ameaças vazias na mídia na tentativa de desacreditar o documento), ou a ficha é realmente falsa, conforme laudos periciais (e a verdadeira seria muito mais comprometedora, devendo ser ocultada a qualquer preço). Daí a estranha reação de Dilma Rousseff de mandar pesquisar o que existe no DOPS, mas não tornar os documentos públicos.

Deixei o melhor para o final: Dilma, de agnóstica pra católica em apenas 3 meses! Trruum... tshhh!

Alguém ainda acredita nessa mulher pra alguma coisa? Alguém ainda tem coragem de votar nessa mulher e nesse partido para os cargos mais importantes da política brasileira?








A história vai julgar se houve ou não mensalão, tal como foi dito. A história que eu sei é que o cidadão que disse que tinha mensalão foi cassado porque não provou que tinha mensalão. Ora, se você é cassado porque não provou a acusação que fez a mim, significa que, a priori, eu sou inocente. Mas o processo continua, e muitos que são inocentes pagaram o preço. Vamos esperar que se faça justiça nesse país
(Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em entrevista ao SBT Brasil, 13/05/10)


Para o Supremo Tribunal Federal não há dúvidas de que o Mensalão do PT existiu. Em 2007, o tribunal abriu ações penais contra todos os 40 acusados de envolvimento no esquema. Entre os réus, estão o ex-ministro chefe da Casa Civil, José Dirceu, o ex-presidente do PT, deputado José Genoino (PT-SP), o ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, e o ex-secretário-geral do PT, Silvio Pereira, que respondem criminalmente por formação de quadrilha.


 
Política - publicado às 4:14 PM 471 comentários
CHICO XAVIER E O LSD
ter, 4 de maio, 2010
 


Em outubro de 1958, Chico tomou uma decisão surpreendente: iria experimentar o ácido lisérgico. Perguntou a Emmanuel se ele poderia fazer a experiência com amigos de Belo Horizonte. O guia se ofereceu para promover a "viagem". À noite, Chico se sentiu fora do corpo, Emmanuel se aproximou dele, colocou uma bebida branca num copo e explicou: era um alcalóide capaz de produzir o mesmo efeito do LSD.

Chico engoliu a bebida, um tanto amarga, e começou a se sentir mal, como se estivesse entrando num pesadelo. Animais monstruosos se aproximavam e cenas assustadoras desfilavam diante de seus olhos. Ele acordou com mal-estar. O sol parecia uma fogueira e o irritava, as pessoas o cercavam, desfiguradas. À noite, Emmanuel reapareceu com a lição psicodélica: o alcalóide refletia seu estado mental.

Chico quis saber como recuperar a tranqüilidade e escapar da ressaca. Receita: oração, silêncio e caridade, para colher vibrações positivas. Chico seguiu as dicas à risca. Começou a visitar doentes pobres, a atrair bons fluidos e, durante cinco dias, trabalhou para se refazer. No sexto dia ele se sentiu melhor. À noite, Emmanuel voltou e propôs repetir a experiência com o mesmo alcalóide. Mesmo desconfiado, o discípulo concordou. O efeito foi surpreendente: alegria profunda.

Teve sonhos maravilhosos, visitou uma Cidade de cristal, olhou para o céu como se ele fosse de vidro. Até a Fazenda Modelo ficou deslumbrante. Os livros pareciam encadernados por safiras e ametistas, luzes saíam do corpo dos companheiros, das plantas e dos animais. Chico sentiu vontade de abraçar todo mundo. Ficou assim, em êxtase, quatro dias seguidos, em estado de alegria descontrolada, insuportável. Emmanuel apareceu com as explicações:

- Você está vendo seu próprio mundo íntimo fora de você. Moral da história:
Nós estamos aqui para cumprir obrigações, não para gozar um céu imaginário nem para fantasiar um inferno que devemos evitar.


Extraído do livro "As Vidas de Chico Xavier" (Planeta, 2003), escrito pelo jornalista Marcel Souto Maior


 
Espiritismo - publicado às 2:26 AM 182 comentários