Página principal

   
5 estrelas
Budismo
Ciência
Cinema
Cristianismo
Espiritismo
Filosofia
Geral
Hinduísmo
Holismo
Internacional
Judaísmo
Metafísica
Pensamentos
Política
Psicologia
Sufismo
Taoísmo
Ufologia
Videolog


Ver por mês


Últimos comentários

Retornar à página principal


CONTATO
qua, 26 de dezembro, 2007
 


Por Henrique Cezar da Silva, baseado no trabalho de final de curso apresentado à prof.a Cristina Bruzzo, no programa da pós-graduação da FE/Unicamp, e adaptado pro blog por mim (o original pode ser lido aqui). Não é recomendado ler o artigo depois da introdução pra quem não viu o filme, pois pode estragar algumas surpresas. Recomendo veementemente este filme a todos. Simplesmente uma jóia rara no mundo do cinema que vai ser mais valorizado com o passar do tempo.

Introdução

Contato, do diretor Robert Zemeckis, é um filme de ficção científica de 1997, adaptado do romance homônimo do cientista norte-americano Carl Sagan, tendo como atriz principal Jodie Foster no papel da Drª Eleanor Ann "Ellie" Arroway. O filme conta a história de uma cientista e sua incessante busca por contato com alguma civilização extraterreste. Eleanor Arroway é uma radioastrônoma que consegue, depois de muita dedicação pessoal e anos de luta, descobrir um sinal extraterrestre transmitido a partir da estrela Vega. A partir daí temos o desenrolar de como a humanidade vai lidar com essa notícia, o conflito entre ciência e religião, ética, razão e fé.

Mas o filme é, antes de tudo, uma reflexão sobre a existência.

Fazendo uso preciso e apaixonado do conhecimento científico, Carl Sagan constrói um enredo que gera expectativa a cada passo e nos aproxima de problemas que não cansam de desafiar a imaginação dos homens. As perguntas sobre a existência de Deus, por exemplo, ganham aqui uma tonalidade nova, à luz do estranhamento produzido pelo contato com um mundo muito diferente do nosso. Enquanto nos captura com sua ficção científica, Sagan também nos convida a contemplar os mistérios do Universo, a experimentar o deslumbramento que alimenta os místicos, os cientistas e os poetas.

O enredo é baseado em pesquisas científicas sobre vida extraterrestre inteligente, das quais o próprio Sagan participou, como o SETI, criado na década de 60 por Frank Drake, e que visa captar algum sinal inteligente proveniente do espaço.

Um dos pontos altos do filme, além da interpretação de Jodie Foster, são os efeitos visuais, produzidos pela mesma equipe da Industrial Light and Magic (ILM) que trabalhou com Zemeckis em Forrest Gump. Só não pense que vai ver cenas deslumbrantes em CGI, como em Jurassic Park. Assim como em Forrest Gump, os efeitos são praticamente invisíveis, estando à serviço da história.

Este é um filme que pode ser abordado de muitas formas. E nenhuma delas dará conta de tudo. Escolhemos abordar Contato pela questão do espaço e sua relação com o tempo. Neste filme a idéia de espaço não remete apenas a idéias e conceitos físicos, da astronomia, da cosmologia, da teoria da relatividade geral e restrita, mas a sentimentos, valores, afetividade, memórias. Entre outras coisas, esse filme que trata de extraterrestres, de viagens através do universo, de representações do universo segundo as teorias físicas atuais, põe em relevo aspectos éticos, morais, psicológicos e inconscientes dos personagens. Por isso optamos por falar do espaço de forma polissêmica. O espaço interior da personagem Ellie, sua viagem "psicológica", seu passado, sua história de vida, seus sentimentos, sua memória. A Terra, espaço da única civilização e das únicas formas de vida que conhecemos até o momento. E o espaço exterior, relacionado ao universo, sua viagem pelas galáxias, onde a admiração de Ellie não consegue descrever o extraordinário, dizendo simplesmente: "Eu não fazia idéia!...É pura poesia!…". O filme, portanto, nos permite pensar os múltiplos sentidos que a palavra e as imagens do espaço, na tela ou na nossa (in)consciência, sugerem.


Trailer

Continuar a leitura

 
5 estrelas, Cinema - publicado às 10:20 PM 110 comentários
UMA VISÃO DAS RELIGIÕES POR SEUS INTEGRANTES
qui, 13 de dezembro, 2007
 


A Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP), em seu Fórum Inter-religioso, produziu pequenos documentários sobre várias religiões, de forma muito direta, intimista e informativa (o nível chega a ser alto, algumas vezes).

Eles contemplam o budismo Tibetano (Lama Padma Santem), o Candomblé/Xangô, o cristianismo Anglicano e o Espiritismo (infelizmente não tem vídeo do Judaísmo Messiânico).

Clique aqui para ir para a página onde é possível assistir aos vídeos.

O documentário sobre o Candomblé, por exemplo, ficou melhor do que a reportagem sobre o mesmo tema, do Fantástico, que tem muito visual, muita produção, mas conteúdo raso (afinal, como tudo na Globo, é feito pro espectador Homer).

Aproveitando o ensejo multi-religioso, quero apresentar-lhes um vídeo do Enki sobre a história de Sri Ramakrishna:

E também recomendo um maravilhoso curta-metragem de Carlos Eduardo Nogueira, chamado Yansan, que narra a complicada mitologia africana que deu origem ao Candomblé na forma de um anime, isso mesmo, uma animação estilo japonesa, feita em computação gráfica, com elementos modernos (Clique aqui e depois clique no botão "assista", na esquerda da página).

Pra encerrar, uma página sobre conceitos de vida e morte no ritual do axexê.


 
Holismo - publicado às 10:07 PM 58 comentários
SHAKTIPAT E O ESPÍRITO SANTO
seg, 10 de dezembro, 2007
 


Shaktipat é um termo em Sânscrito que significa "toque de energia". É o modo como o guru (ou professor espiritual) confere seu poder espiritual (ou despertamento) ao discípulo/estudante. "Shakti" se traduz como energia e "pat" como toque. O "toque" não é necessariamente físico, podendo a transmissão ser feita pela palavra sagrada ou mantra, um olhar, um pensamento, ou um sopro.

A autora Barbara Brennan, no livro Mãos de Luz, descrive o Shaktipat como a projeção da "aura" do guru sobre o discípulo, pela qual o discípulo adquire o mesmo estado mental do guru.

As escolas de yoga em que os gurus realizam a prática de Shaktipat são a Siddha Yoga, o Bhakti Yoga e o Maha Yoga. Mas, como já falei aqui, tal prática não fica circunscrita à Yoga, muito menos ao oriente. Vemo-la na Bíblia (Marcos 5:25-34), na tradição Sufi e até mesmo hoje, no Brasil, no "animismo" do Espiritismo e no "Espírito Santo" das Igrejas Evangélicas.

Assim que eu vi este vídeo lembrei imediatamente do que já tinha visto em Igrejas, especialmente na técnica de se aproximar e falar(?) algo no ouvido da pessoa:


Na Índia: "Shaktipad pelo sopro"; o despertar da Kundalini.


No Brasil: "Avivamento Extravagante"; transferencia de virtude vinda do alto


 
Metafísica - publicado às 7:31 PM 68 comentários
ENTREVISTA COM DALAI LAMA
qui, 6 de dezembro, 2007
 


Tenzin Gyatso, o 14º Dalai Lama, líder espiritual do budismo tibetano e prêmio Nobel da paz, recebeu "La Vanguardia" antes de dar uma conferência no Palau Sant Jordi sobre a felicidade, a necessidade de amor e a compaixão. A China ocupou violentamente o Tibete em 1959 e desde então o Dalai Lama vive no exílio em Dharmsala, nas encostas do Himalaia indiano. As negociações para uma solução de acordo com Pequim estão estagnadas há dois anos. Ele não exige a independência, mas uma autonomia que mantenha a cultura tibetana e a religião budista sem ingerências da China.

La Vanguardia - Os países ocidentais fazem o suficiente para incluir os ensinamentos cívicos do budismo em seus programas educacionais?
Dalai Lama - Há ensinamentos como a felicidade, o amor, a tolerância e a compaixão que são comuns a todas as religiões. Em todo caso, a educação deve ser secular. Não deve ser religiosa, para que assim possa unir pessoas de diferentes religiões. Os códigos morais se dão à margem das religiões. Baseiam-se no senso comum e também na ciência.

LV - Como o senhor explica que a cada dia haja mais cientistas que se inclinam pelo budismo?
DL - Está demonstrado cientificamente que a prática da compaixão beneficia a saúde porque reduz o estresse. Não se trata de falar sobre Deus e a reencarnação, mas de buscar em nosso interior e sermos compassivos. Ajuda a baixar a pressão arterial e nossa saúde melhora. Precisamos de um programa educacional desde o jardim-de-infância até a universidade, que alerte sobre a importância da bondade.

LV - Como caminho para a paz?
DL - Para promover a paz mundial devemos insistir na bondade, porque a paz só chegará através da paz interior. É preciso ensinar aos jovens que os conflitos só poderão ser solucionados mediante o diálogo. Isso quer dizer a não-violência. Portanto, creio que os governos devem se esforçar mais para divulgar a educação da bondade.


Continuar a leitura

 
Budismo - publicado às 11:12 AM 63 comentários
ÍNDIA
ter, 4 de dezembro, 2007
 


"A Índia é o berço da humanidade, o lugar de nascença da fala humana, a mãe da história, a avó da lenda, e a grande mãe da tradição. Nossos mais valiosos e instrutivos materiais da história do homem estão entesourados na Índia, apenas"
(Mark Twain)

"Índia foi a pátria-mãe da nossa raça,
E sânscrito, a mãe das línguas européias;
Ela foi a mãe da nossa filosofia;
Mãe, através dos árabes, de grande parte da nossa matemática;
Mãe, através de Buda, dos ideais consagrados no cristianismo;
Mãe, através das suas comunidades, da auto-gestão e democracia.
Mãe Índia é, em muitos aspectos, a mãe de todos nós."
(Will Durant; Historiador Norte-americano; 1885-1981)

A primeira civilização avançada começou na Índia (A Civilização Védica). Civilizações indianas também foram as primeiras a utilizar metais.

A arte da navegação nasceu no rio Sindh, há mais de 6.000 anos. A própria palavra "Navegação" é derivada da palavra sânscrita NAVGATIH.

O Xadrez foi inventado na Índia, com o nome de Chaturanga.


Continuar a leitura

 
Ciência, Hinduísmo - publicado às 3:05 AM 72 comentários