Página principal

   
5 estrelas
Budismo
Ciência
Cinema
Cristianismo
Espiritismo
Filosofia
Geral
Hinduísmo
Holismo
Internacional
Judaísmo
Metafísica
Pensamentos
Política
Psicologia
Sufismo
Taoísmo
Ufologia
Videolog


Ver por mês


Últimos comentários

Retornar à página principal


NOVO CÓDIGO DA VINCI
seg, 30 de julho, 2007
 


A famosa obra do artista renascentista já é foco de especulações em todo mundo depois que o romancista Dan Brown baseou seu livro "O Código Da Vinci" na obra, argumentando em sua história que Jesus casou-se com Maria Madalena, tendo um filho com ela.

Agora, Slavisa Pesci, um especialista em informática e estudioso amador, afirma que a superposição de "A Última Ceia", com sua imagem espelhada, cria uma imagem contendo uma figura que parece um cavaleiro templário e outra pessoa segurando um bebê.

"Eu percebi isso por acidente, a partir de alguns detalhes você pode inferir que não estamos falando de coincidência, mas sobre cálculos precisos", disse Pesci a jornalistas quando revelou sua teoria no início dessa semana.

Na versão sobreposta, uma figura à esquerda de Cristo parece segurar um bebê nos braços, disse Pesci, mas ele não faz sugestões de que a criança possa ser filha de Cristo. Judas, que no quadro é mostrado à direita de Cristo, aparece em um espaço vazio no lado esquerdo na imagem sobreposta. E Pesci também sugere que a versão sobreposta mostra um cálice diante de Cristo e ilustra quando Ele abençoou o pão e o vinho na ceia com seus apóstolos.


Clique na imagem para ver no tamanho original

Li a notícia acima no Terra. Daí tentei fazer em casa, usando uma imagem que peguei na internet, e usando o Photoshop. Com isso, pude controlar o grau de transparência da imagem espelhada. E, usando outro nível de transparência, o resultado foi ainda mais surpreendente:


Clique na imagem para ver no tamanho original

O que aparece CLARAMENTE é o apóstolo Felipe tapando a boca de Maria (ou João, caso você não seja adepto da teoria de Dan Brown) e de Pedro ao mesmo tempo! Não precisa nem ter imaginação pra ver isso! O alinhamento e o gestual dos corpos é perfeito. E o rosto de Jesus fica visivelmente transfigurado de dor (eu espelhei somente uma metade da imagem). Qual a mensagem que Da Vinci quis passar com isso?

Acho que isso tudo é preciso demais pra ser uma coincidência... ainda mais vindo de Da Vinci, que adorava colocar easter-eggs em seus quadros (o rosto da Monalisa e de São João Batista lembram muito o do próprio pintor). Além do que Da Vinci era um perfeccionista, um profundo estudioso da anatomia humana, e no quadro da Última Ceia desenha o braço dapóstolo Felipe (terceiro à esquerda de Jesus, de laranja) de forma muito esquisita, com pouco detalhes na dobra do manto, e a cabeça de Pedro (a segunda cabeça à direita de Jesus) mais larga que o normal. E, quando invertemos, tudo parece fazer sentido, até mesmo a cor da roupa de Felipe ser praticamente a mesma (quando sobreposto) da de João/Maria!

Há três tipos de pessoas, as que vêem, as que vêem quando lhes é mostrado, e as que não vêem
(Leonardo Da Vinci)

Pode-se afirmar, com segurança, que nenhuma fisionomia, nenhum gesto é fortuito no quadro original da Última Ceia. Tudo obedece a um propósito longamente meditado, pois há uma enorme quantidade de desenhos preparatórios, tanto do conjunto da obra como de cada figura isolada. Cada apóstolo está numa relação de polaridade com aquele que ocupa posição simétrica à sua. Assim, o gesto expansivo de Mateus (o terceiro da direita para a esquerda) encontra sua contrapartida na postura receptiva de André (o terceiro da esquerda para a direita). E a indiscutível sinceridade estampada na fisionomia de Felipe (o quarto da direita para a esquerda) contrasta com o mundo de intenções ocultas, mal dissimulado nas feições de Judas (cujo corpo recuado faz com que seu rosto ocupe, no lugar de Pedro, a quarta posição da esquerda para a direita).

A obra demorou três anos para ser concluída. Consta que Leonardo (normalmente polivalente e disperso) trabalhava nesse afresco dia e noite, esquecendo-se de comer e dormir; depois, deixava passar vários dias sem tocar na obra, apenas a examinava e criticava. De repente, deixava outra ocupação e dirigia-se ao convento para dar uma pincelada, partindo em seguida.

Referência: De volta, o esplendor da última ceia;
Leonardo da Vinci familiar


 
Geral - publicado às 2:06 AM 39 comentários
JUCELINO, O VIDENTE DO DIA SEGUINTE
dom, 29 de julho, 2007
 


Já que estamos falando em personalidades controversas do mundo espiritual e seus problemas de credibilidade, será que o "vidente" Jucelino da Luz (que, assim como J.J. Benítez, é um dos últimos homens na terra a usar máquina de escrever) "previu" em uma carta (que obviamente só apareceu DEPOIS do acidente) a catástrofe com o avião da TAM? Segundo o que está em seu site, a carta é de 23 de outubro de 2006. E está escrito:


"O avião partirá com 170 pessoas e 6 da tripulação técnica
"

Ora, parece que a "previsão" do Jucelino seguiu à risca o comunicado oficial da TAM, de 17/07/2007, até mesmo no termo "tripulação técnica".

Uau, esse Jucelino é bom mesmo!! Previu até como seriam os termos do comunicado oficial! Pena que previu o comunicado ERRADO, pois no dia seguinte a TAM elevou de 180 para 186 o número de ocupantes do vôo 3054. Parece que o "Mentor" dele, que o avisa dessas catástrofes, só avançou no tempo até o dia 17, pegou a informação na internet e voltou pra contar pro Jucelino em sonho. Só pode ser isso. Afinal, ele tem o recibo dos correios de que enviou (alguma coisa) pra TAM.

Para o bem dos parentes do acidente da TAM (e de outras catástrofes que possam acontecer) eu estou torcendo para que ele ganhe logo a recompensa pela captura de Saddam, fique milionário às custas dos EUA e não precise mais escrever suas "previsões" pelo resto da vida.

Oh, e antes que me esqueça, o Jucelino também previu que no dia 29 de Outubro de 2007 o vôo 3300 (o número e empresa foram apagados, mas em outros sites ainda dá pra ler) da TAM, procedente de FORTALEZA (Ceará), saindo às 08:30, vai cair na periferia de SÃO PAULO e matar mais de 200 pessoas, por conta de falha mecânica:

"

Seria trágico, se não fosse cômico, por um detalhe: segundo a carta, o acidente ocorrerá por volta das 09:10. Será que a TAM vai inaugurar daqui pra outubro um supersônico de tecnologia alienígena? Pois nem o Concorde (o avião de passageiros mais rápido do mundo) consegue fazer do Ceará até SP em 40 minutos!!!

Distância aérea SP-Fortaleza 2.369 Km
Velocidade necessária para fazer o percurso em 40 minutos: 3.553 km/h
Velocidade do Concorde: 2.160 km/h

Só existe uma máquina conhecida capaz deste feito (afinal, ela fez a travessia de Kessel em menos de 12 parsecs):


Cuidado: Se vocês virem esta nave cruzando os céus de São Paulo no dia 29/10/07, corram que ela vai cair!

Saiba mais: Imposturas científicas;
O médium que previa o passado


 
Geral - publicado às 12:57 AM 27 comentários
A VOLTA DE JESUS
sex, 27 de julho, 2007
 


Eu tentei permanecer neutro, como das outras vezes. Mas não deu... definitivamente não deu. Ao ouvir a entrevista do Jan Val Ellam falando da previsão mal-sucedida da volta de Jesus, eu simplesmente não aguentei. Me senti compelido a escrever (devem ter sido os seres cósmicos que me obrigaram). Segue um trecho da entrevista:

"Se o que ocorreu comigo fosse uma simples obsessão, eu diria 'Me desculpe, eu estava obsediado' (...) mas o pior é que, mesmo não tendo se cumprido na data referida, eles (os amiguinhos do Ellam) continuam dizendo que aquilo tinha de ser feito pra que se cumprissem as escrituras e que o fato de não ter se cumprido e a testemunha (ele, Ellam) "ter morrido" foi pra atestar a chegada iminente do Mestre, então além de eu ter ido pra desgraça, ainda tenho que continuar escutando "você não errou"..."

Alguém poderia recomendar um bom centro espírita em SP que faça desobsessão, pro Sr. Ellam? Algum amigo poderia fingir que ele foi convidado a fazer uma palestra lá, e quando ele chegar os médiuns o agarram e tiram essa legião de espíritos obsessores que só fazem botar esse homem no ridículo. E o pior é que não passa pela cabeça dele que possam ser obsessores... (afinal, quem está obsediado não reconhece, mesmo). Acho que teria de baixar o Chico Xavier pra dizer a ele: "filho, seja verdadeiramente humilde e busque tratamento..." Ou o Kardec perguntar "Já passou suas comunicações pelo crivo da razão?"

Me dá uma vontade louca de falar: Caro Ellam, se esses seus "amigos" que lhe botaram nessa enrascada (e eu não tenho a menor vontade de conhecê-los) estivessem fazendo de bobo apenas o Sr., eu não estaria preocupado. Afinal, como bem sabemos, nos afinizamos com aquilo que somos... ou desejamos ser. Só que seu caso de obsessão está irradiando-se - graças aos meios de comunicação - a uma gama enorme de pessoas na mesma sintonia, gente que só estava esperando um "guia" pra extravasar suas frustrações com o "mundano" e olhar apenas pra o super/meta/extra-humano (esquecendo, portanto, que somos todos espíritos, sujeitos a acertos e ERROS, não importando se somos da Terra ou de Marte). Azar deles, poderíamos dizer... mas não seria muito espiritualista da nossa parte, não é mesmo? Será que receber continuamente "avisos" dos nossos "irmãos galáticos" dizendo "o tempo está chegando, Jesus está voltando" nos torna pessoas melhores? Será que vamos gastar menos água potável? Será que enfim vamos deixar de votar no Maluf, no Dirceu e no Genoíno? Apenas com a volta dele tudo vai mudar? Será que não seria bastante ajuizado de vossa parte se abster de relatar NOVAS comunicações - que, como vimos, estão sujeitas a serem FALSAS, e seja qual for o motivo dado, foram FALSAS - até que o Mestre enfim se apresente?

Eu até gostaria de acreditar nas comunicações dos nossos irmãos intergaláticos. Mas eles têm a terrível tendência a nos tratar como completos idiotas. Talvez por serem tão avançados, nos considerem meros macacos que falam, pois vivem repetindo as mesmas coisas, seja em que grupo mediúnico for: "os tempos são chegados..." Só que essa parte eu já entendi!! Jesus vai chegar, que ótimo! E daí? Os crentes nos falam isso há décadas! Será que os nossos irmãos intergaláticos são evangélicos? Como será que eles pagam o dízimo de lá de cima de suas naves? Será que tem VISA Intergalático ou é via Paypal?

O filme K-PAX é MUITO mais informativo, comunicativo e convincente do que qualquer compêndio de canalizações extraterrestres já feito na última década. Só isso dá uma mostra do baixo nível de informação dessas mensagens. Eu adoraria ver uma instrução intergalática, mas só vejo auto-ajuda pura. E pra isso não precisa ser de fora da Terra, basta pegar um escritor como Donald Walsch. Querem ver uma coisa realmente de alto nível? Leiam O livro de Mirdad. E foi escrito por um terráqueo! ..... Mas ei, não desista, isso não diminui o valor da leitura! Talvez tenha sido canalizado!! Eu desconfio que seja uma mensagem de Órion, sabe? Pelo estilo literário, me lembra muito as obras de Órion... é, talvez tenham usado um humano insignificante lá do Oriente Médio só pra não dar na vista dos Homens de Preto. (tsc tsc)

Mas, voltando ao assunto, outro trecho da entrevista de Ellam:
"Na hora em que eles abriram minha mente espiritual e me mostraram como o centurião que crucificou Jesus, e que era ele (Jesus) que estava me pedindo pra que eu fizesse a loucura de me expor a qualquer custo (...) eu só fui pro sacrifício não porque eu seja evoluído, mas porque eu fiquei morrendo de vergonha quando me mostraram o que fiz nas vidas passadas e eu não tinha outra alternativa diante de minha propria consciência. Aí fui. Mas fui porque fui "forçado" por minha própria consciência..."

Ellam, em outras palavras, você foi CONSTRANGIDO. Péssimo método, ainda mais quando vem de "seres superiores", ou mesmo do próprio "Jesus". Eu JURAVA que Jesus tinha REALMENTE perdoado seus algozes, quando ainda estava na cruz, sabe... achei que seria um pré-requisito de seres evoluídos deixarem essas coisas pequenas como raiva e mágoa por um ser insignificante pra trás. Mas parece que Jesus não lhe perdoou totalmente... ele esperou quase 2.000 anos pra se vingar e lhe botar nessa sinuca de bico. Obrigado, Jesus! Só agora captei a profundidade e extensão da frase "a vingança é um prato que se come frio". E é mais saborosa ainda quando se tem autoridade pra executá-la não pelo medo, mas pelo respeito. Yeah! Morra de inveja, Don Corleone!

A coisa toda da volta de Jesus voltou à baila porque Bezerra de Menezes, através do médium Divaldo Franco, recentemente falou:
"Ide, pois, como aqueles setenta da Galiléia preparar os caminhos, porque o Senhor está chegando à Terra para proclamar a Glória do Espírito Imortal."

Agora ficar excitado porque "Jesus está voltando" é tão palpável quanto o fato de que eu estou "Saindo da Matrix". São os milagres do gerúndio! Jesus vai voltar? Claro! E eu vou sair da Matrix, me iluminar, virar Buda. Vocês também, aliás! Mas talvez nós encontremos Jesus antes mesmo dele "voltar", quem sabe? Não é a primeira vez que alguém renomado no meio espiritualista fala na volta de Jesus. Há mensagens de Chico Xavier nesse sentido, e até mesmo do Papa João Paulo II, e nem por isso ele voltou no século passado. Nem na virada do milênio. E nem no começo de abril, pilotando discos voadores... que chato, não? Como vamos viver "sem ele"?

...e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos
(Mateus 28:20)

Ora, não seja tolo, Jesus! É claro que você não está conosco, ou não teria necessidade de voltar montado num disco voador! Afinal, tudo o que aprendi com as mensagens é que o mundo está do jeito que está só até que você volte, trazendo a tão almejada reintegração cósmica, e aí então tudo vai mudar para melhor, com a separação do joio do trigo. E se você não voltou ainda, é porque deve estar muito ocupado sacaneando o Jan Val Ellam.

Como podemos falar em Integração Cósmica se não há sequer Integração terráquea??


Posts relacionados:
Contato extraterrestre em 2006??;
O dia em que Jesus não veio;
O "Caso Ellam" analisado pelo espiritismo


 
Cristianismo, Ufologia - publicado às 9:16 PM 47 comentários
GURUS E KUNDALINI
qua, 25 de julho, 2007
 


Antigos textos filosóficos do Shivaísmo da Caxemira ensinam que o universo inteiro é a expansão de Deus, e demonstra como um ser humano pode perceber sua identidade com o Princípio divino onipresente. De acordo com os textos shivaítas, a Realidade suprema realiza cinco funções cósmicas:
Criação;
Sustentação do Universo;
Dissolução do Universo;
Ocultação da verdadeira natureza deste mundo;
Doação da graça, através da qual os seres humanos são capazes de perceber a verdade sobre si próprios e sobre o universo.

Pois bem. O Shivaísmo descreve o Guru como a personificação da quinta função cósmica de Deus, a de outorgador da graça. O Guru humano é, em suma, um veículo para este quinto processo cósmico, a descida da graça. Por ter fundido sua consciência individual com o Divino, o Guru pode servir como um puro canal pelo qual flui sua energia pura. E esta energia que desperta e guia a Kundalini, o poder infinito do mundo, que pode tomar qualquer forma.


Continuar a leitura

 
Hinduísmo, Internacional - publicado às 3:12 PM 54 comentários
EMANAÇÕES
sáb, 21 de julho, 2007
 


Nas tradições espirituais de todo o mundo, há difundida a crença de que existe uma energia evolucionária que guia o homem de volta à sua origem divina. Os índios Hopi, do sudoeste dos Estados Unidos, entendiam que "o corpo vivo do homem e o corpo vivo da terra eram formados da mesma maneira. Em cada um deles corria um eixo, e o eixo do homem era a espinha dorsal, a coluna vertebral, que controlava o equilíbrio de seus movimentos e funções. Ao longo desse eixo existiam vários centros vibratórios que ecoavam o som primordial da vida através do universo ou soavam como um aviso se algo estivesse errado". Em ordem descendente, os Hopi descrevem sua localização no topo da cabeça ("a porta aberta" pela qual o homem recebeu sua vida e comunicou-se com seu Criador), no cérebro, na garganta, no coração e abaixo do umbigo.

Segundo os Hopi, "O homem é criado perfeito, à imagem do seu Criador. Então, após fechar a porta (no topo da cabeça) e descer do estado de graça para a manifestação da vontade humana, ele começa sua lenta escalada de retorno para o alto... Com essa volta, o homem se eleva, fazendo funcionar de maneira predominante cada um dos centros superiores. Então, a porta no topo da cabeça se abre e ele mergulha na totalidade da Criação, de onde ele surgiu".

Essa energia é conhecida na Índia como Kundalini, e os centros (portas) correspondem aos chakras, descritos na Yoga. Os dois chakras inferiores citados na literatura yogui - o centro na base do órgão reprodutor e o centro na base da coluna - não são mencionados na tradição Hopi.


A NATUREZA DA KUNDALINI

De um modo ou de outro, quase todas as tradições falam dessa energia, descrevendo-a cada qual à sua maneira. Em japonês, chama-se Ki; em chinês, Chi; as escrituras cristãs a chamam de Espírito Santo. Na Índia é conhecida por Kundalini, que é o poder do Ser, o poder da Consciência.

A Kundalini é Shakti, a energia suprema, a quem os sábios da Índia adoram como a Mãe do universo. Shakti é a consorte (esposa) de Shiva (também conhecida como Parvati). Os que seguem a tradição da felicidade suprema a chamam de Ananda (Bem-Aventurança). Os yoguis a consideram a meta de sua Yoga. Os sábios iluminados a percebem em todas as formas e objetos do universo e, vendo a unidade de todas as coisas com Isso, a Isso se fundem.

Qual é a natureza desta Shakti? Ela é o poder criador supremo do Ser absoluto. Ela é Brahman na forma de som, a vibração sonora do Absoluto que manifestou o Universo (aqui podemos fazer um paralelo com o IChing). Nos mantras, toma a forma das letras, e nas palavras, toma a forma do conhecimento. Todas as letras são compostas por Ela; é Ela que dá existência ao som, à linguagem e ao alfabeto. É o início e o fim. É a criação, a sustentação e a dissolução deste mundo.

Outro nome para a Kundalini é Chiti, a Consciência Universal. O Pratyabhijnãhridayam, uma das principais escrituras do Shivaísmo, a descreve dizendo: "A Consciência universal cria o universo por Seu livre arbítrio. Ela manifesta o universo sobre Sua própria tela". Ou seja, cada átomo do mundo está preenchido por Chiti. Tudo que conhecemos é Chiti. Um agricultor semeia diferentes plantas na terra - pimenta, cana-de-açúcar, limoeiros - e, ao regá-las, faz com que a mesma água seja absorvida por estas planta. Quando a água penetra no limoeiro, adquire a qualidade do limão e torna-se ácida, e quando penetra na pimenta, torna-se picante. Porém, mesmo manifestando-se sob várias formas, o solo é o mesmo, a água é a mesma e o agricultor é o mesmo. De maneira idêntica, Chiti, a energia cósmica, converte-se neste universo multiforme. Ela não o cria do mesmo modo que um homem constrói uma casa, usando vários tipos de materiais e permanecendo diferente deles. Ela cria o universo a partir de Seu próprio ser, e é Ela mesma que se torna o universo, penetrando as diferentes formas que vemos ao nosso redor.

Ela se torna o Sol, a Lua, as estrelas e o fogo. Torna-se o Prana (a força vital), para manter vivas todas as criaturas. O que vemos e o que não vemos, o que existe, da terra ao céu, nada mais é do que Chiti, nada além de Kundalini. É esta energia suprema que move e anima todas as criaturas, do elefante à formiga mais diminuta. Ela permeia todas as criaturas e coisas que cria; mesmo assim, nunca perde Sua identidade e Sua pureza imaculada.

Inimaginável a luz nos olhos!
Indescritível o tilintar no ouvido!
Incomparável o sabor na língua!
Imensurável a paz do inconcebível sushumna nadi!
Em toda parte você O encontrará:
Nas menores partículas de pó, Na madeira dura, ou num talo de grama macia.
Ele está em toda parte! O sutil, o imperecível, o imutável Senhor!

(Allama Prabhu)


Continuar a leitura

 
Hinduísmo, Holismo - publicado às 1:40 AM 41 comentários
CÉREBRO (OU FALTA DELE) SURPREENDE MÉDICOS
sex, 20 de julho, 2007
 



    Imagem compara um cérebro normal (dir.) com o cérebro do homem. O espaço escuro é o fluido que preenche grande parte dos ventrículos laterais
Cientistas franceses estão surpresos com a situação de um homem que leva uma vida normal apesar de ter um cérebro incrivelmente pequeno. O fato é possivelmente ocasionado pelo aparecimento de um espesso fluído em uma câmara craniana. A descoberta foi publicada na revista científica The Lancet, informou hoje o site da NewScientist.

Imagens obtidas por ressonância magnética mostraram que o tecido cerebral ocupa apenas um espaço tão fino quanto uma folha de papel. "É difícil dizer qual a exata porcentagem de redução do cérebro, mas, visualmente, é possivel afirmar que há uma redução de entre 50% e 75% em relação ao tamanho normal, disse Lionel Feuillet, neurologista da Mediterranean University, localizada em Marselha, na França.

O homem, que tem 44 anos, é casado e tem dois filhos, foi ao hospital depois de sentir uma leve fraqueza na perna esquerda. Quando seu histórico foi verificado, a equipe médica descobriu que, durante a infância, ele foi submetido a um procedimento para drenar água no cérebro.

Quando realizaram uma tomografia computadorizada e uma ressonância magnética, os médicos ficaram surpresos ao ver uma grande dilatação dos ventrículos laterais - usualmente pequenas câmaras que guardam o fluído que protege o cérebro.

Testes de QI realizados no homem deram 75, resultado bem inferior à média 100. No entanto, ele não foi classificado como portador de algum tipo de retardado mental. "O que eu achei fantástico foi como o cérebro consegue lidar com algo completamente incompatível com a vida", comentou Max Muenke, médico especialista em danos cérebrais do Instituto Nacional de Pesquisas do Genoma Humano.

Fonte: Terra


 
Ciência - publicado às 4:33 PM 31 comentários
ACIDENTE DA TAM
qua, 18 de julho, 2007
 


Sobre o acidente da TAM, a melhor coisa que li foi o Lázaro, na lista Voadores, simulando uma declaração de Krishna acerca do acidente:

"O espírito não nasce nem morre, apenas entra e sai de corpos perecíveis. O fogo não o queima"

Na verdade Krishna disse isso a Arjuna, há 3.500 anos, e está registrado no Baghavad Gita:

Andas triste por algo que tristeza não merece – e tuas palavras carecem de sabedoria. O sábio, porém, não se entristece com nada, nem por causa dos mortos nem por causa dos vivos.

Nunca houve tempo em que eu não existisse, nem tu, nem algum
desses príncipes – nem jamais haverá tempo em que algum de nós deixe
de existir em seu Ser real.

O verdadeiro Ser vive sempre. Assim como a alma incorporada
experimenta infância, maturidade e velhice dentro do mesmo corpo,
assim passa também de corpo a corpo – sabem os iluminados e não se
entristecem.

Quando os sentidos estão identificados com objetos sensórios,
experimentam sensações de calor e de frio, de prazer e de sofrimento –
estas coisas vêm e vão; são temporárias por sua própria natureza.
Suporta-as com paciência!

Mas quem permanece sereno e imperturbável no meio de prazer e
sofrimento, somente esse é que atinge imortalidade.

O que é irreal não existe, e o que é real nunca deixa de existir.
Os videntes da Verdade compreendem a íntima natureza tanto disto como
daquilo, a diferença entre o Ser e o parecer.

Compreende como certo, ó Arjuna, que indestrutível é aquilo que
permeia o Universo todo; ninguém pode destruir o que é imperecível, a
Realidade.

Perecíveis são os corpos, esses templos do espírito – eterna,
indestrutível, infinita é a alma que neles habita. Por isto, ó
Arjuna, luta!

Quem pensa que é a alma, o Eu, que mata, ou o Eu que morre, não
conhece a Verdade. O Eu não pode matar nem morrer.

O Eu nunca nasceu nem jamais morrerá. E, uma vez que existe, nunca
deixará de existir. Sem nascimento, sem morte, imutável, eterno –
sempre ele mesmo é o Eu, a alma. Não é destruído com a destruição do
corpo (material).

Quem sabe que a alma de tudo é indestrutível e eterna, sem
nascimento nem morte, sabe que a essência não pode morrer, ainda que
as formas pereçam.

Assim como o homem se despoja de uma roupa gasta e veste roupa
nova, assim também a alma incorporada se despoja de corpos gastos e
veste corpos novos.

Armas não ferem o Eu, fogo não queima, águas não molham, ventos
não o ressecam.

O Eu não pode ser ferido nem queimado; não pode se molhado nem
ressecado – ele é imortal; não se move nem é movido, e permeia todas
as coisas – o Eu é eterno.

Para além dos sentidos, para além da mente, para além dos efeitos
da dualidade habita o Eu. Pelo que, sabendo que tal é o Eu, por que
te entregas à tristeza, ó Arjuna?

Se o ego está sujeito às vicissitudes de nascer e morrer, nem por
isto deves entristecer-te, ó Arjuna.

Inevitável é a morte para os que nascem; todo o morrer é um
nascer – pelo que, não deves entristecer-te por causa do inevitável.

Imanifesto é o princípio dos seres; manifesto o seu estado
intermediário; e imanifesto é também o seu estado final. Por isto, ó
Arjuna, que motivo há para tristeza?

Alguns conhecem o Eu como glorioso; alguns falam dele como
glorioso; outros ouvem falar dele como glorioso; e outros, embora
ouçam, nada compreendem.

Eterno e indestrutível é o Eu, que está sempre presente em cada
ser. Por isto, ó Arjuna, não te entristeças com coisa alguma.


Gostaria de ofertar este texto a todos os parentes e amigos de quem esteve naquele vôo (e que agora estão em outros vôos, com destino ignorado pra nós, que não embarcamos... ainda).


 
Geral - publicado às 11:47 AM 38 comentários
OS ILUMINISTAS
seg, 16 de julho, 2007
 


Semana passada a melhor notícia que tivemos nos jornais foi "Pai denuncia o filho, que é preso por dirigir embriagado". Num país saturado com corrupção, nepotismo e vista-grossa a jovens riquinhos que batem em prostitutas, empregadas domésticas e queimam índios, a atitude Juraci Martins foi como uma lufada de ar fresco no inferno. Rousseau propôs, em "O Emílio", que todo pai deve um ser humano à espécie, um homem à sociedade e um cidadão ao Estado, e é isso que todos deveríamos buscar ao educar nossos filhos.

Jean-Jacques Rousseau foi um filósofo suíço, escritor, teórico político e um compositor musical autodidata. Uma das figuras marcantes do Iluminismo francês, Rousseau é também um precursor do romantismo e foi uma das principais inspirações ideológicas da segunda fase da Revolução Francesa - a última das revoluções modernas. O Contrato Social, de sua autoria, inspirou muitos dos revolucionários e regimes nacionalistas e opressivos subseqüentes a esse período, um pouco por toda a Europa continental. Inspirados nas idéias de Rousseau, os revolucionários defendiam o princípio da soberania popular e da igualdade de direitos.

Rousseau é associado freqüentemente às idéias anti-capitalistas e considerado um antecessor do socialismo e comunismo. Foi um dos primeiros autores modernos a atacar a propriedade privada. Rousseau questionou a suposição de que a maioria está sempre correta e argumentou que o objetivo do governo deveria ser assegurar a liberdade, igualdade e justiça para todos, independentemente da vontade da maioria.


Continuar a leitura

 
Filosofia - publicado às 1:43 AM 56 comentários
IGREJA© copyright 2007 ICAR S.A.
qua, 11 de julho, 2007
 


Como posso não criticar a Igreja Católica? É impossível! Se eu fosse espírita, eu me espelharia em Chico Xavier que, como bom Avatar mineiro, não criou confusão nem com a ditadura militar, sempre procurando conciliar e esperar o tempo ruim ir embora, assim como uma tempestade. Afinal, ele já não representava apenas "o Chico", e sim toda a Doutrina Espírita num país de dimensões continentais. Já eu não represento nada além do Saindo da Matrix, que, como o nome sugere, prega a libertação das correntes, seja ela midiática, científica, filosófica ou espiritual. O que não significa abominar as correntes das nossas vidas (podemos usá-la numa bicicleta, por exemplo, pra nos AJUDAR, e não nos atrapalhar).

Por isso, me indigno quando o maior representante espiritual do ocidente vai a público pra dizer "Cristo constituiu sobre a terra uma única Igreja" e que - por acaso - ela é justamente a Igreja Católica Apostólica Romana (ICAR), a única onde Cristo vive! Daqui a pouco eles vão pedir Copyright pelo uso do nome Jesus!!!!!! O Palpat..., digo, Papa já tinha botado as manguinhas de fora, insinuando que a ECA..., digo ICAR era o melhor caminho pra Deus, mas que as outras Igrejas estavam apenas "em uma situação gravemente deficitária", segundo a Declaração da Congregacão para a Doutrina da Fé Dominus Iesus, de 2000. Agora ele vai mais além e alfineta: Cristo está apenas na Igreja Católica!

Vaticano define Igreja Católica como única religião de Cristo

Por Valquiria Rey, da BBC, Roma

O Vaticano publicou nesta terça-feira documento afirmando que a Igreja Católica é, sempre foi e será a única igreja de Cristo


    Eu ia fazer uma montagem do corpo do Papa com o rosto da menina do Exorcista, mas como eu não consigo olhar pra cara dela mais do que alguns segundos, fiquem com essa do Ratzinger ao natural, sem retoques... e precisa?
Com o título "Repostas a questões relativas a alguns aspectos da doutrina sobre a Igreja", o texto da Santa Sé procura esclarecer o que considera como "interpretações desviantes e em descontinuidade com a doutrina católica tradicional sobre a natureza da igreja", que ocorreram depois da publicação do documento Lumem Gentium ("A luz das nações"), do Concílio Vaticano 2º (1962-1965), dizendo que a única igreja de Cristo "subsiste" na Igreja Católica.

"Cristo constituiu sobre a terra uma única Igreja e instituiu-a como grupo visível e comunidade espiritual, que desde a sua origem e no curso da história sempre existe e existirá", diz o texto. "Esta Igreja, como sociedade constituída e organizada neste mundo, subsiste na Igreja Católica, governada pelo sucessor de Pedro e pelos bispos em comunhão com ele."

A nova publicação assinada pela Congregação para a Doutrina da Fé, responsável por promover e tutelar a doutrina da fé e a moral no mundo católico, diz que "com a palavra 'subsistir' o Concílio queria exprimir a singularidade e não a multiplicabilidade da Igreja de Cristo: a Igreja existe como único sujeito na realidade histórica".

"Contrariamente a tantas interpretações sem fundamento, não significa que a Igreja Católica abandone a convicção de ser a única verdadeira Igreja de Cristo, mas simplesmente significa uma maior abertura à particular exigência do ecumenismo de reconhecer o caráter e dimensão realmente eclesiais das comunidades cristãs não em plena comunhão com a Igreja Católica", diz o documento.

Leonardo Boff

O tema já foi desmentido em inúmeras ocasiões pelos papas que comandaram o Vaticano antes de Bento 16. Entre elas, em 1973, com a declaração Mysterium Ecclesiae de Paulo 6º e, em 2000, com a Dominus Iesus, aprovada por João Paulo 2º.

No texto publicado nesta terça-feira pelo Vaticano é lembrada também a notificação de 1985 da Congregação para a Doutrina da Fé sobre os escritos do teólogo Leonardo Boff, segundo o qual a única Igreja de Cristo "pode também subsistir noutras igrejas cristãs".

Naquela ocasião, a Congregação puniu o brasileiro pelo que considerou um equívoco e disse que o Concílio adotou a palavra "subsiste", precisamente para esclarecer que existe uma só "subsistência" da verdadeira Igreja.

Críticas e mal-estar

Outras considerações importantes do documento devem gerar novos protestos das outras igrejas cristãs, como ocorreram anteriormente, principalmente a afirmação de que somente a Igreja Católica dispõe de todos os meios de salvação e de que, fora dela, existem apenas "comunidades eclesiais".

"Embora estas claras afirmações tenham criado mal-estar nas comunidades interessadas e também no campo católico, não se vê, por outro lado, como se possa atribuir a essas comunidades o título de Igreja, uma vez que não aceitam o conceito teológico de Igreja no sentido católico e faltam-lhes elementos considerados eclesiais pela Igreja Católica", diz o texto.

Segundo o vaticanista Andrea Tornielli, o objetivo da nova declaração é combater o que o papa Bento 16 considera como "relativismo eclesiológico", segundo o qual todas as igrejas que dizem fazer parte do cristianismo têm o mesmo nível de verdade ou que cada uma delas não têm mais que uma parte desta verdade.

A divulgação do documento ocorre três dias depois de o papa Bento 16 ter assinado decreto que dá mais liberdade para os sacerdotes celebrarem missas em latim, uma concessão aos tradicionalistas.

Em uma carta aos bispos de todo o mundo, no último sábado, o pontífice rejeitou as críticas de que sua atitude poderia dividir os católicos.

No entanto, o documento gerou mal-estar e, segundo especialistas, poderá ameaçar também o diálogo entre cristãos e judeus.

___________

Ou seja, a Igreja Católica quer a exclusividade da palavra "Igreja". Segundo o FAQ do Vaticano, "Porque, segundo a doutrina católica, tais comunidades (as Igrejas não-católicas) não têm a sucessão apostólica no sacramento da Ordem e, por isso, estão privadas de um elemento essencial constitutivo da Igreja. Ditas comunidades eclesiais que, sobretudo pela falta do sacerdócio sacramental, não conservam a genuína e íntegra substância do Mistério eucarístico, não podem, segundo a doutrina católica, ser chamadas "Igrejas" em sentido próprio."

Poder-se-ia argumentar: mas isso é apenas uma orientação para os católicos. A única mudança é que eles, e apenas eles, não vão mais se referir às comunidades não-católicas como "Igrejas". Não é interessante notar que, em toda a história, a intolerância que leva a guerras e mortes começa com uma certa "distinção"? A idéia de que "Os judeus são vermes que precisam ser exterminados" começou com um pequeno partido político sem representatividade. Deixem eles acreditarem no que quiserem - e, o mais importante, propagarem sua visão distorcida e perigosa de mundo aos quatro ventos -, pois são uns lunáticos. Nós todos sabemos o que aconteceu.

Precisamos REPUDIAR essas idéias logo no seu nascimento! Precisamos nos enojar de tanto separativismo, exclusividade, CONTROLE sobre idéias, ESPECIALMENTE no campo da espiritualidade!

O Papa está senil! Só pode! Ele e todos os Bispos, pois REAFIRMAR com ênfase a mentira de que Jesus constituiu uma Igreja com linha sucessória que vai culminar na ICAR, em pleno século 21, é uma INSANIDADE! Não tem nada que sustente essa idéia na Bíblia, a não ser os enigmáticos versículos Mateus 16:13-19:

Tendo Jesus chegado às regiões de Cesaréia de Felipe, interrogou os seus discípulos, dizendo: Quem dizem os homens ser o Filho do homem? Responderam eles: Uns dizem que é João, o Batista; outros, Elias; outros, Jeremias, ou algum dos profetas. Mas vós, perguntou-lhes Jesus, quem dizeis que eu sou? Respondeu-lhe Simão Pedro: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. Disse-lhe Jesus: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue que to revelou, mas meu Pai, que está nos céus. Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do hades não prevalecerão contra ela; dar-te-ei as chaves do reino dos céus; o que ligares, pois, na terra será ligado nos céus, e o que desligares na terra será desligado nos céus.

Há aqui um jogo de palavras só acessível a estudiosos (o que deveria ser o caso do Papa e do colegiado católico). Tudo começa em João 1:42, quando Jesus, fixando o olhar, disse: "Tu és Simão, filho de João, tu serás chamado Cefas". Ora, Cefas (ou Kepha), em aramaico, quer dizer pedra. Mas como o evangelho foi escrito em grego, MUITO tempo depois da morte de Jesus, o nome que ficou escrito foi Petros (Pedro), que obviamente significa pedra, rocha, em grego. E é esse apelido que foi usado na bíblia durante a maioria dos versículos. O significado de "pedra" muito provavelmente alude ao jeito durão de ser de Simão, que, nos Evangelhos Apócrifos, aparece sendo rude e cabeça-quente.

Ora, no versículo de Mateus, Jesus primeiro chama Pedro pelo nome verdadeiro (Simão) e depois diz, pra que fique bem claro a comparação: "Tu és pedra, e sobre esta pedra edificarei minha igreja". A palavra Igreja, no original grego, é ekklesia, que signfica literalmente "convocação". Tinha então o sentido original de "assembléia, reunião, conselho", e era usada pelos Atenienses para designar as assembléias populares.

Podemos imaginar que Jesus não se referia ao modo de pensar de Pedro (durão, rude, ignorante), mas no que ele viria a se tornar após a morte de Jesus. E o que ele foi? Assim como Jesus previra, ele foi a base da verdadeira comunidade cristã. Não só uniu os apóstolos ao seu redor (juntamente com Tiago, "o justo", irmão de Jesus) como botou em prática os ensinamentos do Cristo, ajudando pobres, desvalidos, cuidando de leprosos, "impuros" em geral, e gente sem lar. Igualzinho ao núcleo da Igreja Católica de hoje!

Mas, por que a Igreja Católica se apega tanto à noção de que Pedro foi o primeiro Papa ("Bispo de Roma") da linhagem que perdura até hoje? A resposta é uma só: Legitimidade. Como não tem sustentação espiritual pra se dizer a Igreja do Cristo (afinal, como é que pode sê-lo, com um histórico tenebroso de perseguição e intolerância que a ICAR mantém até os dias de hoje??) ela precisa de sustentação histórica, baseada em obscuras interpretações bíblicas, pra dar um suporte a toda a sua estrutura feudal.

Na Idade Média (e em alguns grotões, até hoje, aproveitando-se da ignorância do povo) era muito fácil enganar populações inteiras, mas hoje, com a disseminação da informação, querer perserverar neste argumento "histórico" é dar um tiro no pé, pois acaba provocando um movimento de reação (como o meu) que traz à tona, pra cada vez mais pessoas, a verdade dos fatos. Ora, a Igreja Católica é muito mais baseada em Paulo de Tarso, Mitraísmo e paganismo em geral do que em Pedro. Vejamos alguns fatos coletados aqui (e que podem ser pesquisados em outras fontes):

A data do suposto papado de Pedro durante 25 anos em Roma não coincidem com as datas bíblicas que envolvam Pedro como primeiro papa.

Pedro Nunca foi Bispo de Roma: Se ele foi martirizado no Reinado de Nero, por volta de 67 ou 68 AD, subtraindo desta data vinte cinco anos, retrocederemos a 42 ou 43 AD.

a) Vasculhando a vida de Pedro, conforme a Bíblia, iremos desmascarar esta mentira dos Romanos. O Concílio de Jerusalém (Atos 15), ocorreu em 48, ou pouco depois, entre a primeira e a segunda viagem missionária de Paulo. Embora Pedro não o presidiu; a presidência coube a TIAGO (At. 15:13-19). Em 58, Paulo escreveu a Epístola aos Romanos. No último capítulo da epístola, o apóstolo mandou saudações para muita gente em Roma, mas Pedro sequer é mencionado (não acha estranho?). Em 62, Paulo chega a Roma, e foi visitado por muitos irmãos (At. 28:30-31), e novamente não se tem notícias de Pedro.

b) Epístolas escritas em Roma: De Roma, Paulo escreveu quatro cartas. Em 62, Efésios, Colossenses e Filemon. Em 63, Filipenses. Entre 67 e 68, após o incêndio de Roma, quando estava preso pela segunda vez, 2 Timóteo. Esse tal papa não é mencionado.

Vejamos as seguintes características de Pedro:

1ª) Pedro não era celibatário. Tanto que teve sogra curada por Cristo (Mc 1.29-31). O papa é celibatário, sendo o celibato uma imposição a todo o clero. Em I Timóteo está escrito: "Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e doutrinas de demônios; ...proibindo o casamento."

2ª) Pedro era pobre. "E disse Pedro: Não tenho prata nem ouro..." (At 3.6). O papa está cercado de riquezas.

3ª) Pedro nunca esteve em Roma. Não é interessante observar que o chefe da igreja de Roma nunca esteve em Roma? Os católicos lançam mão de fontes extra-bíblicas para afirmar que Pedro esteve em Roma.

4ª) Pedro nunca consentiu que ninguém se ajoelhasse a seus pés. "E aconteceu que, entrando Pedro, saiu Cornélio a recebê-lo, e, prostrando-se a seus pés, o adorou. Mas Pedro o levantou, dizendo: Levanta-te, que eu também sou homem." (At 10.25 e 26). O papa constantemente recebe este tipo de reverência e adoração.

5ª) Pedro não era infalível. "E, chegando Pedro a Antioquia, lhe resisti na cara, porque era repreensível. Porque antes que alguns tivessem chegado da parte de Tiago, comia com os gentios; mas, depois que chegaram, se foi retirando, e se apartando deles, temendo os que eram da circuncisão." (Gl 2.11 e 12). O papa é considerado infalível. A infalibilidade papal foi definida e aceita oficialmente em 1870 no Concílio do Vaticano I. A Igreja Católica demorou 1870 anos para considerar o papa infalível. É importante observar que não foi Deus que decidiu, mas foram homens pecadores reunidos que chegaram a conclusão que o papa era infalível. Na Bíblia está escrito: "porque todos pecaram e destituídos da glória de Deus" (Rm 3.23) e ainda está escrito que quando dizemos que não temos pecado fazemos a Deus mentiroso. Veja: "Se dissermos que não pecamos fazemo-lo mentiroso, e a Sua palavra não está em nós." (I Jo 1.10).

6ª) Pedro não tinha a primazia na igreja. Observe o que Pedro escreveu: "Aos presbíteros, que estão entre vós, que sou também presbítero como eles e testemunha das aflições de Cristo..." (I Pe 5.1). Em At 8.14 está escrito: "Os apóstolos, pois, que estavam em Jerusalém, ouvindo que Samaria recebera a Palavra de Deus, enviaram para lá Pedro e João." Note bem: não foi Pedro que enviou alguns dos apóstolos, mas foram os apóstolos que lhe enviaram. Onde está a primazia de Pedro? Em At 11.1-18 vemos Pedro justificando-se perante a igreja. Quero destacar principalmente o versículo 2: "E subindo Pedro a Jerusalém, disputavam com ele os que eram da circuncisão." Enquanto que a igreja Católica afirma que as decisões do papa não podem ser questionadas.

O destino final de Pedro não é claro. No Evangelho apócrifo "Atos de Pedro" diz-se que ele foi crucificado de cabeça para baixo (a pedido dele, pois alegava que não era digno de morrer como Jesus) por conta da perseguição de Roma aos cristãos. O "suposto primeiro Papa", humilde e humano, foi morto a mando daquele que se dizia o representante de Deus na Terra: o César Nero.

Para terminar, gostaria de deixar claro que, enquanto tenho cada vez mais NOJO da Instituição Igreja Católica Apostólica Romana, nada tenho contra os católicos. Estamos todos no mesmo barco, rumando para o aperfeiçoamento moral, uns mais rápidos, outros mais devagar, uns em círculos, outros em linha reta, mas uma coisa eu tenho percebido: nunca quem está adiantado aproveita-se disso pra rebaixar os outros. Lembrando o próprio Jesus, O CRISTO, que disse:

"Quando por alguém fores convidado às bodas, não te reclines no primeiro lugar; não aconteça que esteja convidado outro mais digno do que tu; e vindo o que te convidou a ti e a ele, te diga: Dá o lugar a este; e então, com vergonha, tenhas de tomar o último lugar. Mas, quando fores convidado, vai e reclina-te no último lugar, para que, quando vier o que te convidou, te diga: Amigo, sobe mais para cima. Então terás honra diante de todos os que estiverem contigo à mesa. Porque todo o que a si mesmo se exaltar será humilhado, e aquele que a si mesmo se humilhar será exaltado"
(Lucas 14:8-11)

Ler em espanhol (por Teresa)


 
Cristianismo, Internacional - publicado às 3:20 AM 148 comentários
PALAVRAS DE CHICO XAVIER (parte 2)
ter, 10 de julho, 2007
 


Continuando "As aventuras de Chico Xavier", vamos nos concentrar em atualidades. Muito se fala sobre delinqüência juvenil, mas este problema não é de hoje. Chico/Emmanuel fala sobre isso no livro À sombra do Abacateiro, de Carlos A. Baccelli.


Delinqüência juvenil

"Depois da luta da criança considerada em penúria, apareceu para nós a luta da criança demasiadamente livre nos primeiros anos da existência... Há muitos desequilíbrios, embora sejam descendentes de lares muito abastados. Essas outras crianças crescem revoltadas pela ausência de carinho; às vezes, sofrem o abandono mesmo dos avós que não se interessam pelos netos... De um lado, as crianças em penúria; de outro lado, as que estão mais ou menos atendidas, ou às vezes altamente atendidas em suas necessidades...

Hoje ouvimos falar de muitos crimes efetuados por meninos de 10, 14 anos... Deveríamos tratar de códigos que dessem a maioridade aos 14 anos. A criança é chamada a memorizar as suas vidas passadas muito depressa, motivada pela televisão, etc. Precisávamos da criação de leis que ajudem a criança a não se fazer delinqüente nem viciada. 0 governo não pode ser responsável por todas as nossas modalidades de penúria; não podemos exigir que os ministros venham a fazer intervenções em nossas vidas familiares. O problema da penúria é nosso. (...) Não temos uma disposição muito ativa em torno da criança considerada desvalida; nós fazemos distribuições anuais, mas nos esquecemos que criança, tal qual nos acontece, almoça todo dia, estuda todo dia, toma banho todo dia...


    Professor Xavier e seus "jovens" estudantes superdotados, à sombra do grande computador central que amplia seus poderes, apelidado de "Abacateiro"
De um lado, a criança em penúdria; de outro, a criança abandonada pelos pais... Vamos pedir a Deus para que nos inspire a trabalhar um pouco mais, para dar mais um pouco do nosso tempo..."

Chico começou a contar que no Japão existia, há algum tempo, um surto muito grande de delinqüência. O próprio governo sentia-se incapaz de sofrear aquela expansão infeliz... Foi quando um grupo de senhoras sugeriu que, nas cidades, as famílias se reunissem, em grupos de cinco a dez famílias, para debaterem o problema. A idéia tomou vulto. Quase que o Japão inteiro começou a reunir-se, semanalmente, discutindo o que se poderia fazer pela criança, pelos reeducandos, para que a idéia do crime diminuísse. Em dois anos, o índice de delinqüência juvenil diminuiu em 80%.

E ele continua, ante a forte expectativa geral:
"Se pudéssemos iniciar, sem distinção de crenças, para ver as aberturas que precisamos de fazer hoje nos domínios da compreensão teríamos muito menos a lamentar. Se pudéssemos reunir quinzenalmente, não só os espíritas - não somos privilegiados, Deus é Pai de nós todos - estabelecendo um laço de entendimento entre nós...

Tudo parece ainda distante, mas as idéias são sementes e as palavras disseminam...

Se pudéssemos discutir com amor o problema, para saber o que podemos fazer junto aos reformatórios... Infelizmente, hoje, os reformatórios são escolas de banditismo, por mais queiramos negar, é realidade pura.

Delinqüência - prossegue - somos nós mesmos que criamos. Há muita gente boa que se dedica exclusivamente ao amparo do próximo, mas a verdade é que a maioria de nós outros conversa sobre o assunto, acha-o extraordinário, mas desfeita a reunião alega falta de tempo... Assim, vamos destruindo o que temos de melhor, pela nossa incapacidade de trabalho, não de conhecimento.

Somos o País de mais amplo conhecimento evangélico... O Brasil é o País de maioria católica, espírita... Tem mais afinidade com a África do que os próprios africanos entre si. Aqui é onde mais se aprofunda no conhecimento vastíssimo; se quiséssemos, poderíamos realizar muito.

Ontem era 1981, hoje é 1982, mas estamos com os mesmos sentimentos. Precisamos alertar o nosso coração, não nutrir um desprezo tão grande e, às vezes, tão calculado, pelos mesmos problemas sociais... (...) Nós todos, caímos pela inteligência. Sentimo-nos falsamente superiores aos outros. Mas resolveremos o assunto pelo coração, pelo sentimento, pelo Cristo aplicado em nossa vida. Temos muita pena do menino que está com fome, mas, às vezes, temos desprezo total pelo menino que se fez delinqüente. Quem precisa mais? O menino dado aos tóxicos ou que se entrega às más influências poderia ser o nosso. Estamos na mesma embarcação e o naufrágio é para nós todos...

Fulano prega mas não faz... O problema é para que cada um de nós meta as mãos no serviço. Do pouco de muitos é que se faz aquilo que é necessário - legenda maravilhosa que já tem idade de quase dois mil anos.

Nós agradecemos tanto uma gentileza, por que é que vamos negar essa gentileza aos outros? São perguntas que devemos fazer, pois, por enquanto, elas estão sem respostas."


Continuar a leitura

 
Espiritismo, Internacional - publicado às 2:18 PM 23 comentários
PALAVRAS DE CHICO XAVIER (parte 1)
sáb, 7 de julho, 2007
 


O livro que estou lendo agora é "Chico Xavier, à sombra do abacateiro", de Carlos A. Bacelli. Gostaria de agradecer publicamente a Om Shanti, que o enviou. Aproveito para partilhar aqui o presente com meus leitores, em trechos selecionados que muito me interessaram:

De 1980 a 1985, todos os sábados, habitualmente Chico Xavier realizava um culto evangélico, à sombra de um frondoso abacateiro, em pleno coração da Natureza, em Uberaba (Minas Gerais). Bacelli e colaboradores escreveram, à mão, o que Chico dizia, intuído por Emmanuel. É uma coletânea de frases e lições preciosas ditas a ceu aberto, para um público heterogêneo, que incluía desde médicos sedentos do pão espiritual de Chico/Emmanuel, a pobres esfomeados que iam atrás do pão material (distribuído no local). Muito embora Chico (ou Emmanuel, ninguém sabe ao certo) fizesse uma ressalva: "Jesus multiplicou os pães. Nós repartimos as migalhas".

Para os poucos (creio eu) que ainda não sabem quem foi Chico Xavier (no futuro dirão que ele foi apenas uma lenda, como alguns dizem de Buda ou mesmo Jesus), faço aqui um breve histórico, baseado na tradicional e conceituada enciclopédia eletrônica, a Desciclopédia:


    Xavier em sua cadeira flutuante


    Fase de adolescente rebelde


    Como detetive sobrenatural
Francisco Cândido Xavier (também conhecido pela alcunha de Professor X) é um renomado mutante psicógrafo e também o líder dos X-píritas. Xavier possui a faculdade de ver mortos, ouvi-los, conversar com eles via MSN, adicioná-los no Orkut e receber Torpedos MMS dos mesmos.

Chico teve uma infância difícil, por conta do medo e da incompreensão dos seus poderes, que o levaram a se afastar da sociedade e refugiar-se no movimento punk, como líder da banda Ramones. Pra sobreviver, fazia bicos como Detetive Sobrenatural, resolvendo aqui casos de espíritos que fugiam do Umbral para a Terra.

Já em 1931, Chico Xavier entrou em contato com uma entidade do Ultiverso, conhecida como Emmanuel, que acabou amplificando seus poderes, tornando-o um dos mutantes mais poderosos do planeta. Guiado por Emmanuel, Xavier devotou a sua vida a ensinar os mutantes a lidar com os seus poderes, ajudando os mutantes, mortos e humanos normais a coexistirem sem medo.


Agora que já conhecemos melhor este fenômeno mediúnico, vamos aos trechos de suas palestras à sombra do abacateiro:


Sobre as reuniões espíritas

Chico principiou afirmando que "durante trezentos anos quase, os cristãos se reuniam ao ar livre. (...) O Sermão da Montanha, o documento mais importante da humanidade, não foi produzido entre quatro paredes; mas sim, ao ar livre, junto daqueles que são os herdeiros do Evangelho, que somos nós todos, através dos tempos". Aproveitou então para se referir às reuniões de caráter elitista. Ultimamente, Chico vinha se preocupando muito com o elitismo que grassa nas fileiras espiritas, não deixando passar a oportunidade de alertar quanto ao mesmo erro em que incorreu o Cristianismo ao metamorfosear-se em Catolicismo. Ele acrescentou que as "reuniões fechadas" são também necessárias, mas carecemos ir de encontro aos mais simples "para que todos saibam, e nós também, que somos irmãos uns dos outros. (...) Quando desencarnarmos, encontraremos com a família da idéia, do coração..."

Repetindo que, na essência, somos todos irmãos, Chico advertiu-nos em nome da Espiritualidade Superior: "O cumprimento do dever estabelece a diferença; igualdade absoluta só existe na origem e na chegada. (...) Os mais fortes são chamados para ajudar os mais fracos; os que têm mais saúde podem ajudar os doentes..."
E falou que as reuniões "fora de nossas especificidades são boas e necessárias...", pela aproximação real que promovem... pelo formalismo que é posto de lado...

"Temos o percursor do 'céu aberto' em Jesus Cristo, que ensinou nas praças públicas e deixou o Sermão da montanha em pleno ar livre, falando a milhares de pessoas de todas as condições, ensinando o amor, a misericórdia, a brandura, a paz. O Sermão da montanha representa para muitos dos estudiosos do progresso humano o maior documento da humanidade. Jesus nos ensinou, sobretudo, a despertar o nosso coração para o amor, e Allan Kardec prosseguiu nessa tarefa doando-nos O livro dos espíritos, que contém os ensinamentos do amor."

"Jesus ensinou em barcos emprestados, ensinou em bancos públicos, nas praças em que comparecia, nos montes, nos lares de companheiros... A única propriedade de Cristo foi a cruz. Não se fala de uma casa do Cristo, de um território do Cristo, mas a Cruz do Cristo é muito recordada".


Continuar a leitura

 
Espiritismo, Internacional - publicado às 1:29 AM 38 comentários
SAINDO DA MIDIATRIX
seg, 2 de julho, 2007
 


Quando o Bonner encontra o Hommer


Um filme de Breno Giuseppe

 
Cinema - publicado às 4:24 PM 67 comentários
SiCKO
 


Caso chegue ao Brasil, assistam ao mais novo documentário de Michael Moore (Tiros em Columbine, Fahrenheit 9/11), Sicko. É um assunto que, a primeira vista, não nos interessa muito (o serviço de saúde dos EUA), mas não esqueçam de que nós, índios brasileiros, nos espelhamos no que dos EUA têm de pior, e o modelo de saúde segue quase à risca o que os EUA adotam desde os anos 70, ou seja, diminuir os investimentos em saúde ao ponto de causar um colapso no sistema público, obrigando as pessoas a dependerem de um plano particular.

O filme tem momentos fantásticos, do tipo "eu só não vou dizer com todas as palavras porque iriam me processar, mas se você não for um completo idiota, vai entender", especialmente na parte da corrupção dos congressistas norte-americanos (vejam só, nós também importamos isso... ou será que ensinamos?). Tem um final realmente emocionante, com a ida dos heróis do 11 de setembro (rejeitados pelos planos de saúde e sem dinheiro pra hospital) a Cuba (isso mesmo!) pra obter um tratamento DIGNO, e uma singela homenagem dos cubanos.

Mas a parte que mais abre os olhos é quando Moore visita outros países ditos "civilizados", como Canadá, França e Grã-Bretanha, onde o serviço de saúde é gratuito, universal, e, o mais importante: de QUALIDADE. A entrevista com Tony Benn, antigo deputado britânico, é uma aula de cidadania:


Quando surgiu esta idéia de que qualquer cidadão britânico deveria ter direito a cuidados de saúde?

Se voltarmos atrás, tudo começou com a democracia. Antes de podermos votar, todo o poder estava nas mãos dos ricos. Se tivesse dinheiro, podia ter cuidados de saúde, educação, prevenir-se para a velhice... E o que a democracia fez foi dar o voto aos pobres, e passou o poder do mercado para a cabine de voto, da carteira, para o voto.
E o que as pessoas disseram foi muito simples, elas disseram: "Na década de 1930, tivemos desemprego em massa, mas não houve desemprego durante a guerra. Se se pode ter emprego pleno por matar Alemães, por que não se pode ter emprego pleno para construir hospitais, para construir escolas, contratando enfermeiras, contratando professores?" Se conseguimos arranjar dinheiro para matar pessoas, conseguimos arranjar dinheiro para ajudar as pessoas.
Este panfleto foi lançado em 1948 de uma forma muito direta:

"O seu novo Serviço Nacional de Saúde começa a 5 de Julho. Ele irá fornecer-lhe todos os cuidados médicos, dentários e de enfermagem. Qualquer pessoa, rica ou pobre, homem, mulher ou criança pode utilizá-lo, qualquer parte dele. Não tem custos, exceto para alguns casos especiais, não há obrigações de seguro, mas não é uma caridade. Estão pagando quando são contribuintes, e irá aliviar as suas preocupações financeiras em tempos de doença."

De alguma forma, estas poucas palavras resumem tudo.

Acho que a democracia é a coisa mais revolucionária do mundo. Mais revolucionária do que idéias socialistas ou de qualquer outra pessoa. Se tiver poder, ele é usado para prover as suas necessidades e as da sua comunidade. E esta idéia de escolha, de que o capital fala constantemente, "tem que ter uma escolha", a escolha depende da liberdade de escolher. Se você estiver coberto de dívidas, não tem liberdade de escolha. Parece que o sistema se beneficia se o trabalhador comum estiver coberto de dívidas. As pessoas em dívida perdem a esperança, e pessoas sem esperança não votam. Dizem que todas as pessoas devem votar, mas acho que se os pobres, se eles votassem em pessoas que representassem os seus interesses, seria uma verdadeira revolução democrática. E não querem que isso aconteça, por isso mantêm as pessoas oprimidas e pessimistas.

Penso que há duas formas nas quais as pessoas são controladas: em primeiro lugar, assustar as pessoas, e em segundo, desmoralizá-las. Uma nação educada, saudável e confiante é mais difícil de governar. E acho que há um elemento no pensamento de algumas pessoas, "não queremos que as pessoas sejam educadas, saudáveis e confiantes, porque ficariam fora de controle." 1% da população mundial detém 80% da riqueza. É incrível que as pessoas tolerem isso, mas elas são pobres, estão desmoralizadas, estão assustadas. E então, pensam que o mais seguro é seguir ordens e esperar o melhor. E esperar pelo melhor é o que fazemos desde o momento em que nascemos.

Ler em espanhol (por Teresa)


 
Cinema, Internacional, Política - publicado às 3:47 PM 25 comentários