Página principal

   
5 estrelas
Budismo
Ciência
Cinema
Cristianismo
Espiritismo
Filosofia
Geral
Hinduísmo
Holismo
Internacional
Judaísmo
Metafísica
Pensamentos
Política
Psicologia
Sufismo
Taoísmo
Ufologia
Videolog


Ver por mês


Últimos comentários

Retornar à página principal


FÁBULA SUFI
sáb, 28 de outubro, 2006
 


"O homem comum se arrepende dos seus pecados; o eleito se arrepende da insensatez deles"
(Dh'l-Nun Misri)

A maioria das fábulas contém pelo menos alguma verdade, e elas, não raro, facultam às pessoas a absorção de idéias que os modelos comuns do seu pensamento as impediriam de digerir. As fábulas, portanto, têm sido usadas pelos mestres sufistas a fim de apresentar uma imagem da vida mais em harmonia com os seus sentimentos do que seria possível por meio de exercícios intelectuais. Aqui está uma fábula sufista a respeito da situação humana, sumariada e adaptada adequadamente, como sempre deve acontecer, ao tempo em que é apresentada. As fábulas comuns de "entretenimento" são consideradas pelos autores sufistas uma forma de arte degenerada ou inferior.

Era uma vez uma comunidade ideal que vivia numa região muito distante. Seus membros não tinham temores como os que hoje conhecemos. Em lugar da incerteza e da vacilação, tinham determinação e meios mais completos de se expressar. Embora não houvesse nenhuma das tensões e pressões que a humanidade considera hoje essenciais ao seu progresso, suas vidas eram mais ricas, porque outros elementos, melhores, substituíam essas coisas. Seu modo de existência, por sua vez, era ligeiramente diferente. Poderíamos quase dizer que nossas percepções atuais são uma versão crua, provisória, das percepções reais que possuía a comunidade. Suas vidas eram reais, e não semi-vidas. Podemos chamar-lhes o povo de Xirtam.

Eles tinham um líder, que descobriu que o seu país se tornaria inabitável por um período, digamos, de vinte mil anos. Em vista disso, planejou-lhes a fuga, compreendendo que seus descendentes só conseguiriam voltar para casa depois de inúmeras tentativas. Encontrou para eles um lugar de refúgio, uma ilha cujas características se pareciam ligeiramente com as de sua terra natal. Por causa da diferença de clima e situação, os imigrantes tiveram de sofrer uma transformação, que os tornou, física e mentalmente, mais adaptados às novas circunstâncias; percepções grosseiras, por exemplo, substituíram as percepções mais finas, como quando as mãos do trabalhador manual se tornam mais calosas em resposta às necessidades do seu ofício. Com a intenção de reduzir a dor que traria uma comparação entre o estado antigo e o novo, eles foram induzidos a esquecer quase inteiramente o passado. Só ficou dele a lembrança mais vaga, embora suficiente para ser redespertada quando chegasse a ocasião. O sistema era muito complicado, mas bem ordenado. Os órgãos através dos quais o povo sobreviveu na ilha foram também transformados em órgãos de prazer, físico e mental. Os órgãos que eram construtivos em sua velha terra natal foram colocados numa espécie de inatividade provisória e ligados à lembrança vaga, preparados para sua posterior ativação.


Continuar a leitura

 
Sufismo - publicado às 12:32 AM 56 comentários
O SUFISMO
qui, 26 de outubro, 2006
 


Escrito por Robert Graves, para o livro "Os Sufis", de Idries Shah

Os sufis são uma antiga maçonaria espiritual cujas origens nunca foram traçadas nem datadas; nem eles mesmos se interessam muito por esse tipo de pesquisa, contentando-se em mostrar a ocorrência da sua maneira de pensar em diferentes regiões e períodos. Conquanto sejam, de ordinário, erroneamente tomados por uma seita muçulmana, os sufis sentem-se à vontade em todas as religiões: exatamente como os "pedreiros-livres e aceitos", abrem diante de si, em sua loja, qualquer livro sagrado - seja a Bíblia, seja o Corão, seja a Torá - aceito pelo Estado temporal. Se chamam ao islamismo a "casca" do sufismo, é porque o sufismo, para eles, constitui o ensino secreto dentro de todas as religiões. Não obstante, segundo Ali el-Hujwiri, escritor sufista primitivo e autorizado, o próprio profeta Maomé disse: "Aquele que ouve a voz do povo sufista e não diz aamin (amém) é lembrado na presença de Deus como um dos insensatos". Numerosas outras tradições o associam aos sufis, e foi em estilo sufista que ele ordenou a seus seguidores que respeitassem todos os "Povos do Livro", referindo-se dessa maneira aos povos que respeitavam as próprias escrituras sagradas - expressão usada mais tarde para incluir os zoroastrianos.

Tampouco são os sufis uma seita, visto que não acatam nenhum dogma religioso, por mais insignificante que seja, nem se utilizam de nenhum local regular de culto. Não têm nenhuma cidade sagrada, nenhuma organização monástica, nenhum instrumento religioso. Não gostam sequer que lhes atribuam alguma designação genérica que possa constrangê-los à conformidade doutrinária. "Sufi" não passa de um apelido, como "quacre", que eles aceitam com bom humor. Referem-se a si mesmos como "nós amigos" ou "gente como nós", e reconhecem-se uns aos outros por certos talentos, hábitos ou qualidades de pensamento naturais. As escolas sufistas reuniram-se, com efeito, à volta de professores particulares, mas não há graduação, e elas existem apenas para a conveniência dos que trabalham com a intenção de aprimorar os estudos pela estreita associação com outros sufis. A assinatura sufista característica encontra-se numa literatura amplamente dispersa desde, pelo menos, o segundo milênio antes de Cristo, e se bem o impacto óbvio dos sufis sobre a civilização tenha ocorrido entre o oitavo e o décimo oitavo séculos, eles continuam ativos como sempre. O seu número chega a uns cinqüenta milhões. O que os torna um objeto tão difícil de discussão é que o seu reconhecimento mútuo não pode ser explicado em termos morais ou psicológicos comuns - quem quer que o compreenda é um sufi. Posto que se possa aguçar a percepção dessa qualidade secreta ou desse instinto pelo íntimo contato com sufis experientes, não existem graus hierárquicos entre eles, mas apenas o reconhecimento geral, tácito, da maior ou menor capacidade de um colega.


Continuar a leitura

 
Sufismo - publicado às 12:01 AM 12 comentários
KEN WILBER: DOENÇA E KARMA
seg, 23 de outubro, 2006
 


Abaixo, trechos do livro Grace and Grit, de Ken Wilber, onde este filósofo e pensador nos dá a conhecer o pináculo de seus pensamentos em relação ao difícil problema que ele e Treya, sua esposa, enfrentaram: o câncer (que acabou por vitimá-la). Na visão "new age", a doença é uma lição. Você está-se permitindo esta doença porque há algo muito importante a aprender com ela a fim de continuar seu crescimento espiritual e evolução. A mente sozinha causa a doença e somente a mente pode curá-la. Já a visão integralista de Ken Wilber segue abaixo:


A VISÃO "NEW-AGE" SOBRE DOENÇA E CARMA

Tradução de Ari Raynsford


1. O argumento básico da filosofia perene é que homens e mulheres estão imersos na Grande Cadeia do Ser. Isto é, temos em nós matéria, corpo, mente, alma e espírito.

2. Para cada doença, é extremamente importante tentar determinar que nível ou níveis primariamente a originam – físico, emocional, mental ou espiritual.

3. É muito importante usar procedimento do "mesmo nível" (mas não necessariamente o único) para o rumo inicial do tratamento. Use intervenção física para doenças físicas, terapia emocional para distúrbios emocionais, métodos espirituais para crises espirituais e assim por diante. No caso de uma mistura de causas, use uma mistura de tratamentos dos níveis apropriados.

4. Isto é especialmente importante porque se você errar no diagnóstico da doença pensando que ela origina-se num nível mais elevado, então gerará culpa; se diagnosticá-la num nível inferior ao correto, gerará desespero. Em qualquer dos casos, o tratamento não será eficaz, com a desvantagem adicional de gerar no paciente culpa ou desespero devido somente a um erro de diagnóstico.

Por exemplo, se você for atropelado por um ônibus e quebrar a perna, esta é uma doença física com recursos físicos: coloca-se o osso no lugar e engessa-se a perna. É uma intervenção do "mesmo nível". Você não se senta na calçada e visualiza sua perna curando-se. Esta é uma técnica do nível mental que não é efetiva para este problema do nível físico. E mais, se lhe disserem que a causa do seu acidente foram simplesmente seus pensamentos e que você deveria ser capaz de curar sua perna com seus pensamentos, então a única coisa que vai acontecer é que você sentirá culpa, irá autocondenar-se e sua auto-estima diminuirá. É um completo descasamento de níveis e tratamentos.


Continuar a leitura

 
Holismo - publicado às 8:49 PM 25 comentários
A VIDA POR "HIPÓTESE", NÃO TEM HIPÓTESE
sex, 20 de outubro, 2006
 


Escrito por Orlando Braga, no blog Letras com garfos (os comentários também são dele)


Muita gente acredita que a vida na Terra (sublinho, Vida na Terra) foi originada por acidentes aleatórios. Todos nós recordamos as teorias que aprendemos sobre a "sopa original" ou "sopa pré-biótica" que existia antes do aparecimento da vida. Essa "sopa" teria sido atingida por uma faísca e em resultado disso, os aminoácidos – construindo blocos de vida – apareceram. Portanto, juraram-nos a pés juntos que um "acidente" desta natureza aconteceu há milhões de milhões de anos, originando a vida a partir de matéria inerte. A verdade é que recentes descobertas no campo da Biologia Molecular, da Astrofísica de Partículas e da Geologia levantam dúvidas profundas sobre as teorias que os detentores de "alvarás de inteligência" das faculdades nos meteram na cabeça.

Existem principal e atualmente três tipos de questões em investigação: (1) Será matematicamente possível que processos acidentais de geração de vida possam ter sido a causa da primeira forma de vida? (2) Se o "acidente" é matematicamente impossível como causa da primeira forma de vida, serão os outros "cenários" plausíveis, como por exemplo, a teoria da matéria "auto-organizada"? (3) Será matematicamente possível que processos acidentais possam estar na causa da formação de um universo compatível com a vida?


Continuar a leitura

 
Ciência - publicado às 8:00 PM 61 comentários
O CEGO E A LANTERNA
ter, 17 de outubro, 2006
 


Quando saía da casa de um amigo tarde da noite, um homem cego recebeu deste uma lanterna. O cego disse, surpreso:

"Sou cego. De que me vale levar uma lanterna?"

"Sei disso, mas como vais caminhar no escuro, a lanterna evitará que outras pessoas esbarrem em vós," disse o solícito amigo, acendendo a vela dentro da lanterna.

O homem partiu levantando a lanterna à sua frente. Confiante no fato de que ela evitaria acidentes com outras pessoas, ele caminhou sem medo ou relutância ao longo da estrada. Nunca ele se sentiu tão confiante, sabendo que a lanterna era um eficiente aviso de sua presença no caminho.

Entretanto, para sua completa surpresa, de repente alguém esbarra fortemente nele, que cai ao chão. Irritado com isso, o cego grita:

"Não podeis ver uma lanterna aproximando-se?! Com certeza és mais cego do que eu!!!!"

Mas o outro homem disse, confuso:

"Mas como eu poderia ter visto uma lanterna apagada nesta noite escura?!"

Todo aquele tempo o cego carregava a lanterna inutilmente, pois o vento tinha apagado a vela há muito...


"Ninguém, depois de acender uma candeia, a põe em lugar oculto, nem debaixo do alqueire, mas no velador, para que os que entram vejam a luz. A candeia do corpo são os olhos. Quando, pois, os teus olhos forem bons, todo o teu corpo será luminoso; mas, quando forem maus, o teu corpo será tenebroso. Vê, então, que a luz que há em ti não sejam trevas. Se, pois, todo o teu corpo estiver iluminado, sem ter parte alguma em trevas, será inteiramente luminoso, como quando a candeia te alumia com o seu resplendor"
(Lucas 11:33-36)


 
Budismo - publicado às 10:24 PM 32 comentários
A MATRIX DA MATRIX
seg, 16 de outubro, 2006
 


A coisa no esoterismo está tão viajada, mas tão fora de controle, que até mesmo sites que falam de teorias mirabolantes - e difíceis de acreditar sem uma dose generosa de boa vontade - agora conclamam seus leitores à reflexão. No site Portal Shtareer tem um texto supostamente canalizado que pede justamente pra não acreditarem piamente em textos canalizados. Achei o paradoxo tão interessante que vou reproduzir alguns trechos selecionados com os quais eu concordo plenamente (especialmente as partes em negrito):

Muitas almas encontram-se num processo interno de despertar, descobrindo suas missões e propósitos. Isto tem provocado um aumento na procura por diversos conhecimentos e informações os quais antigamente eram ocultos ou limitados apenas a uma elite. Esta "fome" e corrida desenfreada atrás de informações têm nos preocupado, pois essa vossa abertura é uma importante "brecha" para que as mesmas instituições e seres que dominam hoje vosso planeta continuem seus planos de manipulação conscencial.

Assim "camufladamente" usando a sensibilidade de muitas pessoas, "intuem" as mesmas a escrever lindas mensagens com uma depurada terminologia espiritualista.
Escondendo o real propósito que tem por trás do fato de fazer com que vocês continuem colocando atenção e doando energia para entidades que nem sempre se encontram no caminho do Cristo, desviando vosso caminho e comprometendo muitas vezes o nome de Grandes Consciências de Luz que velam pela vossa humanidade.
(...)
A captação das freqüências e mensagens de Consciências Superiores não é uma questão corriqueira e sim um processo muito sério que exige do canal ou comunicador uma conduta impecável em todos os aspectos. Conduta esta demarcada pelo conhecimento em geral, lógica, senso de misericórdia, de amor, respeito, introspecção no Cristo, Consciência da origem divina, conhecimento das verdadeiras Leis Universais, senso comum, reto pensar e higiene mental, reto sentir e equilíbrio emocional, saúde em geral, freqüência vibratória elevada, etc.

Por isso vossas comunicações em geral são estabelecidas a partir da conexão com entidades que ainda permanecem dentro do campo freqüencial terrestre, podendo as mesmas estar ou não em sintonia com as Hierarquias e Fraternidades de Luz. Já as Consciências ligadas às Altas Hierarquias Criadoras nunca estiveram no planeta na realidade de vocês e jamais poderiam se comunicar diretamente, por uma questão de ressonância e freqüência, porém todas elas se encontram intrinsecamente dentro de vossos corações e fluxo trino espiritual.

Aonde queremos chegar?

• Queremos que vocês acordem!
• Queremos que analisem muito bem as mensagens que estão sendo canalizadas por muitos de Vocês!
• Queremos que não sejam novamente enganados por antigos "deuses"!
• Que estudem detalhadamente todas as filosofias e antigos conhecimentos que estão florescendo a partir da abertura da "nova era".
• Que pensem muito bem antes de "entrar" na egrégora de alguma religião ou grupo.
• Que tenham cuidado em quanto ao uso dos novos conhecimentos e ferramentas que são canalizadas ou vem por orientação "espiritual", antes disso analisem a origem dos mesmos como também o gradiente energético e postura moral do canal.
Que não aceitem mensagens que despertem medo e insegurança ou que peçam para abrir mão de vosso livre arbítrio, jamais a Hierarquia de Luz orientará alguém para que transmita as mesmas.
• Queremos que acreditem em vocês mesmos!

Vejamos como acontece então o processo de comunicação:

Quando uma informação ou mensagem e transmitida a partir das dimensões superiores ela e obrigada a "furar" diferentes barreiras ou malhas ate chegar a vossa captação mental.
Cada vez que um "impulso" de informação passa pelas malhas da matrix acontece um desbastamento energético e freqüencial do mesmo, fazendo com que o gradiente real dessa informação se perca na medida em que a mesma vai entrando na matrix terrena.
O que é captado por vós são apenas "sinais" transmitidos e reconfigurados a partir de Consciências que chamais de Guias, Mentores e Mestres, os quais se encontram dimensionalmente perto de vocês e por conseqüência conseguem atingir vosso mental.
Lembrem também que normalmente as mensagens que são canalizadas vêm de uma releitura de outras que se encontram inseridas no inconsciente coletivo e campo quântico, por isso a similitude entre elas. Também devemos considerar que seres que fazem parte das forças renegadas também têm canais. Assim grande parte das informações que vem "do alto" não são captadas por vocês devido à falta de entendimento e limitação energética de vossas consciências.
(...)
A sintonização com essas Hierarquias Superiores é feita a partir da orientação interna que faz com que o canal desenvolva um assunto. Para isso ele passa a ser intuindo a escrever a partir da formatação de blocos de pensamentos e idéias que ele vai ter que interpretar de acordo com seu conhecimento, cultura, crenças, experiencia de vida, freqüência energética, etc. Porém é muito importante esclarecer que dificilmente Seres de Luz, mesmo em processo de conexão direta com o mental da pessoa, irá fazer referencia à vida pessoal ou questões corriqueiras da mesma.

Meus queridos, vejam as características das nossas mensagens:

Elas apresentam informações para todos e não apenas para um grupo seleto.
• Nunca em nenhuma circunstância vão anunciar uma catástrofe.
• Nunca vão pedir para abrir mão de vosso "tão restrito" livre arbítrio.
• Nunca vão interferir nos assuntos humanos obrigando pelo medo a fazer alguma coisa.
Nunca serão estabelecidas datas ou conjunções astrológicas, para a abertura de "portais" ou qualquer outro evento, pois vosso tempo e relativo à matrix da Terra e se encontra fora da vibração do resto do sistema.
• Jamais os Grupos ligados as Grandes Fraternidades vão pedir pra desviar a atenção na construção de coisas físicas, como templos, etc, pois seriam alvos fáceis de ataques energéticos das energias trévicas que dominam vosso mundo.
• Nunca é feita alguma referência à filosofia, seita ou religião, apenas ensinamentos.
Jamais será colocado apenas um discípulo como sendo o único a canalizar as informações.

Queridos, procurem não se desviar do vosso propósito achando que seres que se encontram vibrando na quinta ou sexta dimensão vão resolver vossos problemas.
Procurem se conectar internamente construindo seus próprios templos de luz em vossos corações, aprimorando a consciência e a espiritualidade e se estruturando para poder de verdade ajudar o próximo de uma forma real.
Ponham em pratica todo conhecimento benéfico e coloquem atenção na vossa realidade, tentem resolver a mesma da melhor maneira possível, pois muitas dessas entidades e suas mensagens estão desviando vocês do verdadeiro crescimento e evolução que é aqui, na vossa consciência física, encarnados do jeito que se encontram.
Não adianta pensar em ascensão se vocês não conseguem ser saudáveis em todos os aspectos aqui enquanto encarnados.
Vocês precisam trabalhar muito para se libertar das amarras de controle, vejam como até dentro do meio esotérico e místico da chamada "nova era" por vocês encontram lobos vestidos de ovelhas.

A humanidade tem que parar de ser ingênua e apostar na luz e poder que possuem dentro.
(...)
Se conectem internamente, esqueçam as promessas políticas de seres que se encontram tão limitados como vocês no que se refere à consciência e entendimento dos verdadeiros propósitos e olhem para seus irmãos no planeta.
Quanta fome doença e dor! Quanta mentira e desespero! Quanta manipulação!
Não esperem que desçam as Naves dos Comandos Celestiais para salvá-los, pois isso não e possível, por enquanto!
Não esperem por milagres vindos dos céus, pois isso ficou em vosso ingênuo passado!
Nem esperem por nenhuma Hierarquia resolver vossos conflitos, pois isso não será possível!
Arregacem vossas mangas e lutem com a consciência da liberdade e do amor, pois cada Um de vocês que chega a essa consciência dentro do plano físico tem mais poder de ação que qualquer Mestre que está longe de atingir diretamente este plano.
(...)
Sejam vocês mesmos e ajudem com vosso pensamento em meditações os seres que se encontram nas guerras, passando fome, doentes ou nas trevas da ignorância.
Ajudem concretamente a vocês mesmos cada vez se amado e valorizando mais.
Direcionem sua preciosa energia para seus semelhantes em problemas, seja na família, amigos ou em geral e parem de viajar em outras dimensões intergalácticas ou de querer se parecer com esses seres imitando ou doando vossa energia para os mesmos.
Pensem e analisem todo o que foi colocado nesta mensagem.
Cuidem muito bem de vocês. Se protejam com vosso amor e luz.
Estaremos no possível ajudando e amparando vocês.
Na luz e na verdade.

Mitch Ham Ell.
A partir da energia e orientação de Miguel e captação de Astreia.
Por Carina Greco.
Florianópolis 27 de agosto de 2006
17h55min PM.

"Os místicos usam a palavra paradoxo, e não contradição. Na própria palavra "contradição" há uma condenação: algo está errado, algo precisa ser consertado. Mas um paradoxo é um fenômono completamente diferente. Nada precisa ser consertado. Um paradoxo é um mistério, fugídio, inexplicável."
(Osho)

 
Holismo - publicado às 4:59 PM 49 comentários
A ESPIRITUALIDADE EM JUNG
dom, 15 de outubro, 2006
 


"A base essencial de nossa personalidade é a afetividade. Pensar e agir são, por assim dizer, meros sintomas da afetividade. Os elementos da vida psíquica, sentimentos, idéias e sensações apresentam-se à consciência sob a forma de certas unidades que, numa analogia à química, poderiam ser comparadas às moléculas."


"As pessoas, quando educadas para enxergarem claramente o lado sombrio de sua própria natureza, aprendem ao mesmo tempo a compreender e amar seus semelhantes."


"Onde impera o amor, não existe vontade de poder; e onde o poder tem precedência, aí falta o amor. Um é a sombra do outro."


"Ninguém que haja passado pelo processo de assimilação do inconsciente poderá negar o fato de ter-se emocionado profundamente e de ter-se transformado."


"O erotismo constitui um problema controvertido e sempre o será, independentemente de qualquer legislação futura a respeito. Por um lado, pertence à natureza primitiva e animal do homem e existirá enquanto o homem tiver um corpo animal. Por outro lado, está ligado às mais altas formas do espírito. Só floresce quando espírito e instinto estão em perfeita harmonia. Faltando-lhe um dos dois aspectos, já se produz um dano ou, pelo menos, um desequilíbrio, devido à unilateralidade, podendo resvalar facilmente para o doentio. O excesso de animalidade deforma o homem cultural; o excesso de cultura cria animais doentes. Este dilema mostra toda a insegurança que o erotismo traz ao homem. No fundo, é algo muito poderoso que, como a natureza, pode ser dominado e usado como se fosse impotente. Mas o triunfo sobre a natureza se paga muito caro. A natureza dispensa quaisquer declarações de princípios, contenta-se com tolerância e sábias medidas."


"Não há transformação de escuridão em luz, nem de inércia em movimento, sem emoção."


Continuar a leitura

 
Psicologia - publicado às 1:01 AM 14 comentários
CARL JUNG RELOADED
qui, 12 de outubro, 2006
 


Análise da trilogia de filmes The Matrix a partir dos estudos de Carl Jung, com elementos do Estruturalismo e do Pós-Estruturalismo como base comparativa. Adianto que um conhecimento prévio dos filmes é essencial para a compreensão do texto:




A forma do mundo em que o homem nasceu já está dentro dele como imagem virtual
(Carl Jung)

Carl Gustav Jung era um jovem psiquiatra de Zurique na época em que conheceu e ficou fascinado pelo revolucionário psicanalista Sigmund Freud, no começo do século passado. A admiração mútua durou pouco mais de uma década, tendo os dois rompido relações por incompatibilidades pessoais e intelectuais, principalmente pela rejeição de Jung ao pansexualismo de Freud. Para Jung, o comportamento humano é condicionado não somente pela sua história individual e racial (causalidade), mas também pelos seus alvos e aspirações (teleologia). O passado como realidade, e o futuro como aspiração/potencialidade dirigem o comportamento presente.

"O indivíduo vive para os alvos, assim como pelas causas"
(Carl Jung)

No primeiro filme, The Matrix, Neo aprende a viver por sua aspiração, que é primeiro libertar-se de algo que ele não conseguia ver ou saber, mas cuja opressão ele podia sentir em sua alma. Ele buscou essa libertação desesperada e inconscientemente, e foi ajudado por Morpheus e Trinity a sair da Matrix. Após o conhecimento do QUE o subjugava, sobreveio o medo, e a pequenez diante do poder do carcereiro (no caso, as máquinas). Precisou, novamente, de ajuda externa, na figura de Oráculo, que progressivamente o ensinou que buscar os seus objetivos é como respirar (ou amar): não deve haver dúvidas se você pode ou não pode, você apenas respira (ou ama) e aquilo é o natural. Sua mente, enganada (e subjugada) pelas máquinas durante toda a vida, poderia novamente ser enganada (e subjugada) por uma força ainda maior: ele mesmo. Inicia-se todo um esforço de desprogramação (desintoxicação) das limitações que o cerceavam na Matrix.

Foi em um momento de absoluta necessidade, quando não havia espaço para o raciocínio lógico, que uma parte do poder de Neo aflorou, e ele salvou Trinity da queda no helicóptero numa seqüência de acontecimentos que poderíamos chamar aqui de Sincronicidade, onde cada ação ocorreu em seu momento certo, da forma correta. Embora ele tenha tido este momento de epifania, dúvidas ainda pairavam em sua mente, dúvidas essas que o levaram ao erro (a bala que passou de raspão ao tentar desviar) e foi preciso que seu corpo na Matrix morresse (simbólica e literalmente) para que uma nova consciência pudesse despertar. Essa nova consciência, finalmente liberta das amarras da ilusão (Matrix), escolheu ensinar a humanidade o poder dessa libertação.


Continuar a leitura

 
5 estrelas, Cinema, Psicologia - publicado às 3:00 PM 60 comentários
PREMONIÇÃO
qua, 11 de outubro, 2006
 


Fonte: Terra

A menina Hannah Kowalski, 6 anos, pressentiu a morte do pai, o antropólogo alemão Andreas Kowalski, 41 anos, uma semana antes da queda do Boeing 737-800 da Gol, no último dia 29. A revelação foi feita pela criança na sala de aula, entre soluços, à professora.

"O avião do meu pai vai explodir", disse a menina.

No dia e horário do acidente, segundo relato de uma vizinha de Hannah, a menina disse que o avião onde o pai viajava tinha explodido. A menina teria feito a afirmação quando visitava uma amiga, perto de casa, em Brasília (DF). Por volta das 17h do dia 29 de setembro, o Boeing da Gol caiu na fronteira entre o Mato Grosso e o Pará, com o pai de Hannah e outras 153 pessoas a bordo. Todos morreram.

A aparente premonição de Hannah foi relatada pela professora e a vizinha à mãe da garota, a jornalista maranhense Dalva Veloso Kowalski, 46. Ela não se preocupou em pincípio, creditando as frases a um sonho ou influência da televisão. "Eu vi, mas o meu pai estava do lado de fora", contou a menina, já depois da queda do avião. "Agora, meu pai é um anjo", disse.

Hannah demorou para aceitar a morte do pai. "Inventava desculpas para a ausência dele, dizia que já viria em outro vôo", conta Dalva, ela mesma, ainda incrédula com a brusca mudança de vida. "Ainda não acredito que ele não vai voltar", confessa a jornalista, que só se refere ao marido conjugando os verbos no presente.

Andreas, que vivia com a família em Brasília há dois anos, estava na Amazônia ajudando amigo a comprar peças indígenas para museu na Áustria. Após cinco semanas, deu uma parada rápida na capital para matar as saudades da filha e voltou. "Ele foi até o shopping, programa que detestava. Parece até que estava se despedindo", lembra Dalva.

A jornalista relembra os primeiros momentos no aeroporto, quando piscava no painel "Vôo 1907 - procurar companhia" e ouvia alguém dizer "parece que teve um acidente". "Achava que o avião tinha pousado, que ele estaria ajudando os outros. Sou jornalista, sei que um avião não desaparece simplesmente. Mas precisava acreditar naquilo", relatou Dalva, ontem, após ter cremado o corpo do marido. Dalva agora planeja voltar a viver na Alemanha, para onde vão as cinzas de Andreas. Lá também foi onde a filha nasceu e vivem os sogros.

"Ela diz que o pai vai voltar"

"Hannah bloqueou a morte do pai. Ela não fala sobre isso e pede pra eu parar de chorar porque ele vai voltar. Quando ela disse que o avião do pai tinha explodido foi exatamente a hora em que ele estava caindo. O Andreas era tão apaixonado pela filha que deve ter pensado nela nessa hora e ela deve ter sentido ou visto alguma coisa. Não entendo como alguém que foi à Guerra do Kosovo dar ajuda humanitária, que passou por tanta coisa, foi morrer logo num acidente do avião."

Maria Dalva Veloso Kowalski, 46 anos, jornalista


 
Geral - publicado às 7:58 PM 27 comentários
DESFAZENDO EQUÍVOCOS
qui, 5 de outubro, 2006
 


Por Reverenda Yvonette Silva Gonçalves

Se você quer milagres, não procure o budismo. O supremo milagre para o budismo é você lavar seu prato depois de comer.

Se você quer curar seu corpo físico, não procure o budismo. O budismo só cura os males de sua mente: ignorância, cólera e desejos desenfreados.

Se você quiser arranjar emprego ou melhorar sua situação financeira, não procure o budismo. Você se decepcionará, pois ele vai lhe falar sobre desapego em relação aos bens materiais. Não confunda, porém, desapego com renúncia.

Se você quer poderes sobrenaturais, não procure o budismo. Para o budismo, o maior poder sobrenatural é o triunfo sobre o egoísmo.

Se você quer triunfar sobre seus inimigos, não procure o budismo. Para o budismo, o único triunfo que conta é o do homem sobre si mesmo.

Se você quer a vida eterna em um paraíso de delícias, não procure o budismo, pois ele matará seu ego aqui e agora.

Se você quer massagear seu ego com poder, fama, elogios e outras vantagens, não procure o budismo. A casa de Buda não é a casa da inflação dos egos.

Se você quer a proteção divina, não procure o budismo. Ele lhe ensinará que você só pode contar consigo mesmo.

Se você quer um caminho para Deus, não procure o budismo. Ele o lançará no vazio.

Se você quer alguém que perdoe suas falhas, deixando-o livre para errar de novo, não procure o budismo, pois ele lhe ensinará a implacável Lei de Causa e Efeito e a necessidade de uma autocrítica consciente e profunda.

Se você quer respostas cômodas e fáceis para suas indagações existenciais, não procure o budismo. Ele aumentará suas dúvidas.

Se você quer uma crença cega, não procure o budismo. Ele o ensinará a pensar com sua própria cabeça.

Se você é dos que acham que a verdade está nas escrituras, não procure o budismo. Ele lhe dirá que o papel é muito útil para limpar o lixo acumulado no intelecto.

Se você quer saber a verdade sobre os discos voadores ou sobre a civilização de Atlântida, não procure o budismo. Ele só revelará a verdade sobre você mesmo.

Se você quer se comunicar com espíritos, não procure o budismo. Ele só pode ensinar você a se comunicar com seu verdadeiro eu.

Se você quer conhecer suas encarnações passadas, não procure o budismo. Ele só pode lhe mostrar sua miséria presente.

Se você quer conhecer o futuro, não procure o budismo. Ele só vai lhe mandar prestar atenção a seus pés, enquanto você anda.

Se você quer ouvir palavras bonitas, não procure o budismo. Ele só tem o silêncio a lhe oferecer.

Se você quer ser sério e austero, não procure o budismo. Ele vai ensiná-lo a brincar e a se divertir.

Se você quer brincar e se divertir, não procure o budismo. Ele o ensinará a ser sério e austero.

Se você quer viver, não procure o budismo, pois ele o ensinará a morrer.

Se você quer morrer, não procure o budismo, pois ele o ensinará a viver.


 
Budismo - publicado às 1:27 PM 169 comentários
PRINCÍPIOS HERMÉTICOS (parte 2: Vibração)
ter, 3 de outubro, 2006
 


Decidi não seguir os Princípios Herméticos de acordo com a ordenação encontrada no livro "O Caibalion", por uma questão puramente pessoal de organização das idéias. Considerando que todos os princípios estão inter-relacionados, creio que não vai fazer muita diferença, no final das contas.


II. O Princípio de Vibração


Nada está parado; tudo se move; tudo vibra
(O Caibalion)

Este Princípio encerra a verdade que tudo está em movimento: tudo vibra; nada está parado; fato que a Ciência moderna observa, e que cada nova descoberta científica tende a confirmar. E, contudo, este Princípio hermético foi enunciado há milhares de anos pelos Mestres do antigo Egito. Este Princípio explica que as diferenças entre as diversas manifestações de Matéria, Energia, Mente e Espírito, resultam das ordens variáveis de Vibração. Desde O TODO, que é Puro Espírito, até a forma mais grosseira da Matéria, tudo está em vibração.

Quanto mais elevada for a vibração, tanto mais elevada será a posição na escala, como uma nota musical. O som é movimento (compressão e vibração das moléculas causada pelas ondas sonoras). Quanto maior a escala da nota, maior a freqüência (vibração), mais fino (sutil) parecerá, aos nossos ouvidos, o som. O mesmo ocorre com as cores: todas as cores que percebemos são na verdade vibração (ondas), captadas (e filtradas) pelo nosso nervo óptico; o vermelho na escala mais baixa (visível a nós), e o violeta, na mais alta. E não pára por aí: a diferença entre a pedra, a água e o ar TAMBÉM é uma questão de vibração (e não estamos falando aqui de esoterismo). Quanto mais denso é um material, mais estável ele é, menor a vibração.


Continuar a leitura

 
5 estrelas, Holismo, Metafísica - publicado às 1:49 PM 51 comentários