Página principal

   
5 estrelas
Budismo
Ciência
Cinema
Cristianismo
Espiritismo
Filosofia
Geral
Hinduísmo
Holismo
Internacional
Judaísmo
Metafísica
Pensamentos
Política
Psicologia
Sufismo
Taoísmo
Ufologia
Videolog


Ver por mês


Últimos comentários

Retornar à página principal


PINEAL, A MORADA DA ALMA?
seg, 27 de fevereiro, 2006
 


O físico Erwin Schrödinger, no epílogo do seu livro "O Que é a Vida?", fez uma inferência interessante, a partir de um postulado simples: "EU sou a pessoa - se é que existe alguma - que controla o movimento dos átomos, de acordo com as Leis da Natureza." Sim, porque você não é a soma de seus átomos (em apenas um ano 98% de seus átomos são trocados por outros!) e, assim, também não pode ser seu cérebro. Acreditava-se também que o cérebro funcionasse como a CPU (processador) dos computadores, de forma rígida e mecanicista, mas ele também é inteligente, no sentido de procurar rotas neuronais alternativas para cumprir a função que ficou prejudicada, e novos neurônios estão nascendo o tempo todo, ao contrário do que acreditavam os cientistas até alguns anos atrás. Aliás, sobre esse assunto, quando o escritor espiritual (e ex-médico) André Luiz nos fala da estreita relação existente entre os neurônios e o perispírito no livro "Evolução em dois mundos" cap. IX, ele escreve algo que pode ser interpretado dubiamente: "Os neurônios nascem e se renovam, milhões de vezes, no plano físico e no plano extrafísico, na estruturação de cérebros experimentais, com mais vivos e mais amplos ingredientes do corpo espiritual, quando em função nos tecidos físicos, até que se ergam em unidades morfológicas definitivas do sistema nervoso". Estaria ele falando da gênese de um sistema nervoso definitivo, ou da contínua evolução de suas unidades no decorrer da vida? Gostaria que estudiosos desse de André Luiz colaborassem nesse tópico.

Ainda assim, nós não somos nossos neurônios. Então, o que somos? Onde está nossa alma? O filósofo René Descartes defendia a tese de ela estaria na glândula pineal, e explica:
"A razão que me leva a crer seja essa glândula a sede da alma é não encontrar, em todo o cérebro, nenhuma outra parte que não seja dupla. Ora, não vendo senão uma única cousa com os dois olhos, não ouvindo senão um mesmo som com os dois ouvidos, e, enfim, não tendo nunca senão um pensamento ao mesmo tempo, é absolutamente necessário que as impressões, que nos chegam através dos olhos, dos ouvidos, etc., se unam em alguma parte do corpo para serem aí consideradas pela alma. (...) Ora, não podemos encontrar nenhuma outra nestas condições, em toda a cabeça, senão a glândula pineal, que se acha, além do mais na situação mais adequada para esse fim, isto é, no meio, entre todas as concavidades, sustentada e cercada por pequenas ramificações das carótidas, que trazem os espíritos ao cérebro."

Alma na pineal? Já imaginou o toda a essência humana contida numa glândula do tamanho de um feijão? Passemos adiante, ainda no campo da filosofia, desta vez espírita, na questão 146 de O Livro dos Espíritos:
"A alma tem, no corpo, uma sede determinada e circunscrita?
Não. Mas ela se situa mais particularmente na cabeça, entre os grandes gênios e todos aqueles que usam bastante o pensamento e no coração dos que sentem bastante, dedicando todas as suas ações à Humanidade."

Ou seja, até possui uma área de influência maior no corpo em certas áreas de interesse do espírito. Mas daí a se situar no corpo vai longe...

Só que a pineal teima em aparecer em outras culturas, com grande importância: Na filosofia hindu, o sexto chakra, Ajna, está localizado um pouco acima dos olhos, entre as sobrancelhas (ponto conhecido como bhrumadhya). É simbolizado por um olho - o tão falado "terceiro olho" - que seria o olho da mente. Quando este chakra é estimulado e desenvolvido, ou seja, quando o olho é "aberto" através de mantras e meditações, é revelada uma nova dimensão da realidade para o praticante. Estudiosos ocidentais encararam isso como uma metáfora poética e nada mais.


Continuar a leitura

 
Ciência, Hinduísmo, Metafísica - publicado às 2:39 PM 32 comentários
UFOS NO JANGA
dom, 26 de fevereiro, 2006
 


Como já tinha dito nos comentários, no dia 20 desse mês fui pra casa da minha mãe, lá no Janga (PE) onde eu morava até um ano atrás, e sempre que estou lá não perco o hábito de olhar pro céu às 18:00 em diante. às vezes pode-se passar meses sem ver algo realmente interessante (apenas luzinhas que passam em linha reta, que podem muito bem ser satélites, e tal) mas neste dia dei sorte, pois avistei uma sequência de luzes que definitivamente não podem ser explicadas como balões, satélites ou aviões.


Continuar a leitura

 
Ufologia - publicado às 4:47 PM 35 comentários
CHAKRAS E VIBRAÇÃO
sex, 24 de fevereiro, 2006
 


Somos vibração. Tudo é vibração, e tudo é impermanente, pois tudo está o tempo todo em movimento. Nossa mente também é movimento, e movimento precisa de harmonia para criar eficiência. Harmonia é ritmo. Assim, afinamos nossa mente como afinamos um instrumento musical, até que ela funcione em harmonia e emita um "som afinado".

Perguntem a um audiófilo como deve ser a colocação das caixas de som de um home theater. Os graves ficam melhor se estiverem embaixo, sem concorrência sonora, enquanto os médios e agudos são melhor percebidos se atingirem diretamente o ouvido (direcionados pra linha do ouvido, nem mais alto, nem mais baixo). O conjunto final é harmonioso, completo, pois o TODO (que é a sala) vai estar imerso nas mais diversas faixas sonoras, sem que uma elimine a outra (diversas frequências ocupando o mesmo lugar no espaço, que é mesmo princípio pelo qual temos sobreposto ao nosso corpo físico o corpo Etérico e o Astral).

Assim, aquele que sabe manipular a vibração pode transformar as coisas ao seu redor, ou quem sabe até CRIAR. Toda oração é invocação ou chamado. Toda palavra/som, primeiramente influi no corpo de quem o emite, e só depois alcança seu objetivo externo. É por isso que tudo que desejamos (e pela palavra cristalizamos) para o próximo, a nós mesmos estamos desejando. De toda palavra inútil teremos que prestar conta. Nossa palavra é nossa lei.


Continuar a leitura

 
5 estrelas, Hinduísmo, Holismo, Internacional - publicado às 7:12 PM 33 comentários
SONHOS E SOLUÇÕES
ter, 21 de fevereiro, 2006
 


Trecho do artigo "A alma existe?" de Carlos Augusto Abranches:

Graças aos sonhos, diversos pesquisadores tiveram pistas para adiantar as descobertas de seus inventos.

a) Elias Howe foi o primeiro idealizador da máquina de costura, que acabou construindo em 1845. Ocorre que, antes do intento, ele não sabia como deveria fazer para encaixar a agulha a ser usada na máquina de coser. Preocupado com a questão, certa noite adormeceu e sonhou que estava sendo perseguido por selvagens. Na fuga, pisou em um prego, que ficou espetado em seu pé. Tendo em vão tentado retirar o objeto, só lhe restou o recurso de furá-lo na extremidade, enfiar nesse furo um cordão e assim puxá-lo. Ao acordar, o inventor lembrou-se do sonho e, dessa forma, resolveu a dificuldade de como utilizar a agulha na máquina de costura.

b) F. Grant Banting, prêmio Nobel de medicina, mediante o sonho, conseguiu estabelecer um método para isolar em laboratório o hormônio insulina, para tratamento de diabéticos.

c) O químico Kalkulé queria saber qual a fórmula do benzeno. Esforçou-se por escrevê-la, arrumando os átomos de hidrogênio e de carbono - e nada conseguiu. Ao dormir, sonhou com duas cobras, uma devorando a outra, numa forma fechada. Ao despertar, descobriu a solução para sua dúvida, e escreveu a forma estrutural cíclica do benzeno.

De acordo com o pensamento espírita, a Alma nunca fica inativa. Durante o sono os laços que a unem ao corpo se afrouxam e então o Espírito percorre o espaço e entra em relação mais direta com outros Espíritos. Os sonhos são, portanto, produtos da liberdade da alma que se torna mais independente pela suspensão da vida ativa e de relação.

O período de descanso do corpo físico pode ser muito bem aproveitado pelo ser humano. Espiritualmente, ele pode prosseguir sua jornada de crescimento e evolução, ao se vincular às tarefas de fraternidade no mundo espiritual, onde, juntamente com outros Espíritos, encarnados ou desencarnados, durante o período do sono, poderá participar de elevadas atividades de engrandecimento da alma. Para isso, é importante realizar a busca do equilíbrio enquanto desperto, ou em vigília, e na hora do repouso, fechar os olhos sob o amparo da prece, para que os serviços no bem durante a madrugada sejam efetivos e satisfatórios.

Todos podemos fazer isso, e essa possibilidade começa hoje. Depende do seu interesse, de sua vontade em abandonar de vez a visão limitada de que nossa vida se resume às poucas horas em que passamos acordados. Boa sorte em seu esforço. O resultado altamente benéfico desse empenho você verá no seu dia-a-dia, através da calma para enfrentar situações complicadas e da clareza de raciocínio para resolver dilemas existenciais graves.


 
Holismo - publicado às 4:30 PM 21 comentários
SINCRONICIDADE E SONHOS
seg, 20 de fevereiro, 2006
 


Sincronicidade quer dizer coincidência significativa, ou seja, dois ou mais eventos que ocorrem ao mesmo tempo e não guardam entre si uma relação de causa, mas de significado. Esse termo foi cunhado pelo psiquiatra suíço Carl Gustav Jung, e o caso de sincronicidade que mais intrigou o foi o do escaravelho de ouro:

"O meu exemplo refere-se a uma jovem paciente que, apesar dos esforços feitos e ambos os lados, provou ser psicologicamente inacessível. A dificuldade residia no fato de ela saber sempre mais sobre tudo. A sua educação excelente tinha-a equipado com uma arma feita à medida para o efeito, um racionalismo cartesiano primorosamente refinado com uma ideia da realidade impecavelmente "geométrica". Depois de várias tentativas frustradas de lhe adoçar o racionalismo com uma compreensão algo mais humana, tive de me reduzir à esperança de que algo inesperado e irracional acontecesse, algo que rompesse a réplica intelectual a que se tinha remetido. Bem, um dia, estava sentado em frente dela, de costas para a janela, ouvindo o fluxo da sua retórica. Tinha tido um sonho impressionante na noite anterior, em que alguém lhe tinha dado um escaravelho de ouro – uma peça de joalharia cara. Enquanto ela estava me contando o sonho, ouvi qualquer coisa batendo suavemente na janela.

Voltei-me e vi que era um inseto voador bastante grande que batia de encontro à vidraça, na tentativa de entrar na sala escura. Isso pareceu-me estranho. Abri a janela imediatamente e apanhei o inseto no ar quando ele entrou. Era um besouro da família dos Escarabídeos, que ataca as roseiras, cuja cor verde-dourada se parece muito com um escaravelho de ouro. Entreguei o besouro à minha paciente com as palavras, "Aqui tem o seu escaravelho". A experiência abriu a brecha necessária no seu racionalismo e quebro-lhe o gelo da resistência intelectual. Agora podia continuar o tratamento com resultados satisfatórios."
(Retirado de "O Caminho menos percorrido", de M.Scott Peck)


Continuar a leitura

 
Psicologia - publicado às 3:04 PM 50 comentários
CONVIVÊNCIA
qui, 16 de fevereiro, 2006
 


Alexandre Ledur escreveu isso para o contexto da Lista Voadores, mas se encaixa como uma luva aqui no blog:

"Respeitar as diferenças é respeitar quem também quem não aceita/acredita/crê naquilo que Eu aceito/acredito/creio...
E o melhor de tudo é que este respeito mantém a Paz no mundo; O sectarismo religioso e a intolerância queimam, matam, crucificam e destróem...
Há poucos dias foi publicada uma charge negativa sobre o Profeta Maomé, vejam então o que está acontecendo, uma onda de intolerância brutal onde não se aceitam desculpas e o pagamento tem que ser com a morte...
Mexer com os Dogmas e crenças do outro é mobilizar forças de resistência sobrenatural.
Conviver é respeitar/aceitar/discordar/amar/permitir/calar/falar...
É perceber que não adianta nada dizer sou espírita, católico, esotérico ou voador...
Evolução espiritual não se mede pelo time que eu torço ou a religião que eu professo,
Nem pela formação que eu tenho,
Nem pelo meu dinheiro ou beleza,
Mas pela maneira como eu reajo diante das dificuldades que enfrento.
O meu comportamento no enfrentamento é que vai determinar em que nível eu me encontro...."

Somos todos UM, mas com opiniões diferentes.


 
Holismo - publicado às 3:17 PM 67 comentários
OSHO: VOCÊ É O MUNDO
dom, 12 de fevereiro, 2006
 


"Você é o mundo." Esta é uma das colocações de Krishnamurti que causam confusão. Osho, Você poderia dizer algo sobre isso?

A colocação de J. Krishnamurti de que "Você é o mundo" não é confusa de maneira alguma. É muito simples; é necessário apenas uma pequena inteligência para compreendê-la.

Podemos tentar abordar a colocação a partir de muitas diferentes direções. O mundo é apenas um nome; o indivíduo é a realidade. Você pode continuar tentando encontrar o mundo em toda parte e não irá encontrá-lo; você sempre encontrará o indivíduo.

Palavras como o "mundo," a "sociedade," a "religião," a "nação," são meras palavras sem nenhum conteúdo por trás delas — caixas vazias.

Exceto você, não existe mundo.

Essa é uma maneira de compreender a colocação: que o indivíduo é a única realidade. E o mundo não é nada mais do que a coletividade de indivíduos, então, seja lá o que for, é uma contribuição de indivíduos. Se for feio, você contribuiu para a feiúra. Se estiver cheio de ódio, inveja, raiva, ambição, cobiça, você contribuiu para todo este inferno no qual estamos vivendo. Você não pode jogar a responsabilidade em alguém mais; você tem de aceitar a responsabilidade sobre os seus próprios ombros.

Esta é outra maneira de compreender a colocação "Você é o mundo."


Continuar a leitura

 
Hinduísmo - publicado às 5:04 PM 69 comentários
NOSSO LAR
qua, 8 de fevereiro, 2006
 


    Ravi Shankar & Philip Glass - Ragas in minor scale
O livro Nosso Lar, de André Luiz e Chico Xavier, foi o meu segundo contato com livros espíritas (o primeiro foi O abismo, de Ranieri), trata de descrever a vida numa cidade espiritual localizada no umbral, mais especificamente acima do Rio de Janeiro.

Esse livro foi revolucionário para o entendimento do espiritismo no Brasil, pois nos trouxe uma concepção de uma cidade espiritual menos diáfana e mágica do que qualquer pessoa poderia imaginar, visto que ainda descreve a cidade com Governos, Ministérios, normas, revoltas, etc, tudo como aqui "embaixo". Isso fez um sentido enorme para mim. Dos anos 50 (época em que o livro foi escrito) pra cá, muita coisa mudou nos planos espirituais, assim como mudou aqui "embaixo" também, mas esse livro ainda ajuda a elucidar muitas das dúvidas do tipo "o que vou fazer depois que morrer?" (O resumo da resposta seria: vai trabalhar, vagabundo!)

Pra quem está por fora de termos como umbral, cidades espirituais e espíritos, vou resumir: quando a gente "morre", na verdade apenas "descasca", ficando numa faixa vibracional acima do que podemos perceber ou mensurar. Então, de acordo com a freqüência vibracional na qual você estiver após a morte você vai habitar certos "planos" de existência que seriam, a grosso modo, como "dimensões paralelas". A mais conhecida dos espíritas (por estar detalhada nos livros) é o umbral, uma faixa vibracional bastante diversificada, por acolher os recém-desencarnados - sejam eles quais forem - por conta do "peso" energético que carregam consigo no corpo etérico. É por isso que temos relatos diferentes do umbral, seja como um verdadeiro Inferno de Dante, seja como uma tranquila réplica da nossa cidade, ou como paradisíacas cidades espirituais, este último assim descrito em "Nosso Lar".

"Nosso Lar" é o nome de apenas uma das diversas cidades espirituais que envolvem a crosta da Terra, estando ela situada "acima" do Rio de Janeiro e que, nos anos 50, mais parecia uma cidadezinha de interior, refúgio dos recém-desencarnados que possuem uma certa vibração/entendimento que não os arraste literalmente para os "infernos" da consciência atormentada (que, nos umbrais, ganha contornos externos e também comunitários). Lá em Nosso Lar eles descansam, aprendem, perdoam, criam novos vínculos e planejam a próxima encarnação. A maioria não chega a "subir" para outros planos, por estarem tão ligadas mentalmente às coisas/problemas/prazeres terrestres. Aliás, pouco sabemos do que se encontra para além das faixas umbralinas...


Continuar a leitura

 
Espiritismo - publicado às 2:05 PM 112 comentários
VIVENDO DE LUZ
ter, 7 de fevereiro, 2006
 


Uma pessoa só consegue sobreviver sem comer alimentos sólidos por cerca de 40 dias. E não vive mais de três dias sem beber água.
(Conhecimento científico estabelecido)

Rio Pomba, Minas Gerais: Uma senhora passa 65 anos praticamente sem se alimentar, e vive até os 85.

Bara, Nepal: Um garoto medita embaixo de uma árvore por 8 meses sem comer ou beber (e continua lá!)

Londres, Inglaterra: O mágico David Blaine passa 44 dias dentro de uma caixa de vidro, apenas ingerindo líquidos.

Caxemira, Paquistão: Uma mulher de 40 anos sobrevive por 2 meses embaixos dos escombros, após o terremoto que atingiu o país.

Essas aparentes "aberrações" da natureza podem ser mais comuns do que se imagina. A brasileira Evelyn Torrence, 39 anos, e seu marido, o americano Steve, 36, revelam que há dois anos são adeptos da não-alimentação e passam muito bem, obrigado.


Continuar a leitura

 
Holismo - publicado às 3:24 PM 76 comentários
O JUNCO E O CIPRESTE
seg, 6 de fevereiro, 2006
 


D. Guillermo Gana

Ao Lúgubre cipreste em voz plangente
O junco melancólico dizia:
— Que triste sorte a minha!
Ergui-me tão alegre e tão contente
Quando a alvorada vinha!
E já sem força e já sem energia
Curvo a cabeça... E lânguido e sozinho
Sinto que vou morrer. Ah! por que a sorte
Dando-te vida, só me guarda morte?

E o cipreste dizia:
A dor foi sempre eterna,
Mas a fortuna só perdura um dia!

E o junco respondia:
Em ti simbolizaram a tristeza,
Em mim somente o anelo
Dos que no amor esperam.
Como é que nunca dobras a cabeça,
Nem a raiva das chuvas e dos ventos
A cor sequer te alteram?

Daqueles que de tudo desesperam
Para lembrar a lúgubre aflição,
Só existe uma cor, disse o cipreste...
E se jamais tu viste
Curvar minha folhagem para o chão...
É que desprezo o mundo baixo e triste
E mergulho a cabeça n'amplidão.


____________________

Por outro lado, o Tai Chi Chuan mostra a superioridade do suave sobre o rígido. Conta-se que um carvalho ridicularizava o junco. Logo veio uma violenta tempestade e o carvalho foi abatido. O junco, com sua flexibilidade, curvou-se para a tempestade e, no dia seguinte, apresentava-se como se nada tivesse acontecido. O destino do rígido e inflexível é quebrar.

É por isso que o bambu também é admirado, simbolizando o vazio e a retidão. O bambu é flexível, apesar de forte; ele reverencia o vento que o toca com música, ele se dobra às tempestades, mostrando-nos que quanto menos um ser se opuser à realidade da vida, mais resistente se tornará para vivê-la em sua plenitude. Não é um escapismo, haja vista que o bambu praticamente não sai do seu lugar, mas um contorno inteligente da situação de modo que nem o bambu nem o vento saiam prejudicados.


 
Taoísmo - publicado às 3:43 PM 7 comentários
AMIGOS PARA SEMPRE
qui, 2 de fevereiro, 2006
 


Um hamster chamado Gohan e uma cobra batizada de Aochan convivem fraternalmente em um zoológico do Japão. A dupla divide uma pequena caixa no zoológico de Mutsugoro Okoku, subúrbio de Tóquio.

Os tratadores do zôo explicam que Gohan - cujo nome em japonês significa "refeição" - foi colocado na jaula onde vive a cobra em outubro do ano passado como um teste. Aochan não estava se alimentando de ratos congelados e corria o risco de morrer de inanição.

Mas, ao invés de saborear uma fresca refeição, Aochan decidiu fazer amigos, segundo o funcionário Kazuya Yamamoto. Desde então, a dupla vive sob o mesmo teto. "Eu nunca tinha visto uma coisa destas. Gohan às vezes sobe em Aochan para cochilar em suas costas", conta Yamamoto.

Fonte: Terra


 
Geral - publicado às 1:36 PM 35 comentários