Página principal

   
5 estrelas
Budismo
Ciência
Cinema
Cristianismo
Espiritismo
Filosofia
Geral
Hinduísmo
Holismo
Internacional
Judaísmo
Metafísica
Pensamentos
Política
Psicologia
Sufismo
Taoísmo
Ufologia
Videolog


Ver por mês


Últimos comentários

Retornar à página principal


TELEPORTE DE OBJETOS
qua, 24 de agosto, 2005
 


Muitas vezes rejeitamos aquilo que não podemos ver, e o categorizamos como crendice. Só que a ciência não é tão somente baseada naquilo que podemos ver ou medir, como bem provou Einstein ao formular a Teoria da Relatividade (que até hoje está apenas parcialmente comprovada, mas é utilizada até hoje com sucesso). O fenômeno espírita é baseado na Teoria de que o Plano Espiritual (o "mundo dos mortos") está além dos nossos sentidos, mas pode interagir com o nosso Plano de Existência em casos especiais. Quem participa de reuniões espíritas onde acontece incorporação de entidades pode (ou não) ter presenciado fenômenos como teleporte de objetos, curas ou, mais comumente, o aparecimento de odores no ambiente, característicos de certas entidades.

Negar é sempre mais fácil e cômodo do que investigar, ou ter de dar uma resposta para aquilo que não se conhece e nem se dispõe de tecnologia para comprovar. Como, por exemplo, o caso do teleporte de objetos realizado em laboratório na China:

Em setembro de 1981, a revista Ziran Zazhi publicou que pesquisadores chineses levaram a efeito na República Popular da China uma série de experiências fantásticas envolvendo teleporte de pequenos objetos. O assunto foi muito comentado, porque era a primeira vez naquele país que algo tão fora do comum era obtido em laboratório. O resultado dos ensaios era algo que beirava o inacreditável, difícil mesmo de saber como seria possível realizar aquilo. Mas práticas semelhantes já haviam sido levadas a efeito em laboratórios de outros países, com resultados similares.

Os testes foram realizados em ambiente controlado, usando os métodos blind e double-blind (em que nenhum dos dois lados poderá interferir, consciente ou inconscientemente, no resultado). Os agentes psicocinéticos escolhidos foram dois meninos, Ping e Chang. Vários observadores de Instituições médicas da China estavam presentes, assim como representantes da Comissão Científica de Defesa da República Popular da China.


Continuar a leitura

 
Ciência - publicado às 4:28 PM 3 comentários
LIBERDADE
ter, 23 de agosto, 2005
 


O ser humano é capaz de se deixar morrer para conquistar a sua liberdade. Mas de qual liberdade se trata? O homem só pode ser livre quando consegue restabelecer a verdadeira hierarquia em si mesmo. Nesse momento, ele é o rei, retoma o seu lugar no trono e tudo lhe obedece: sentimentos, pensamentos, instintos e desejos. Para a maioria das pessoas, a liberdade consiste em abrir todas as portas ou janelas e sair dizendo: "Sou livre", mas traz todas as prisões dentro de si. Quem coloca em primeiro lugar os desejos, os caprichos e as paixões, é um escravo. E seria melhor se fosse se fechar em algum lugar, pois com essa liberdade só pode prejudicar os outros e a si mesmo. A liberdade é privilégio do espírito, logo, só o homem no qual o espírito governa, isto é, a luz, tudo o que é grande, justo e nobre, pode afirmar o direito de ser livre.

Omraam Mikhaël Aïvanhov


 
Pensamentos - publicado às 12:03 PM 99 comentários
JERUSALÉM
seg, 22 de agosto, 2005
 


Estava eu um dia sentado na escadaria, junto às portas da Cidadela de David, depois de pousar duas pesadas cestas ao meu lado. Um grupo de turistas ao redor do seu guia fez de mim um ponto de referência:
- "Estão vendo aquele homem ali com dois cestos? À direita da cabeça dele está um arco do período romano. Um pouco à direita da sua cabeça."
- "Mas ele está se mexendo!"
Eu disse para mim próprio: a redenção só chegará quando lhes disserem: "Estão vendo aquele arco romano? Não importa, mas ao pé dele, um pouco para a esquerda e depois um pouco abaixo, está um homem que acabou de comprar fruta e vegetais para a sua família."

(Yehuda Amichai; poeta israelita) fonte


 
Judaísmo - publicado às 12:12 AM Sem comentários
KWANYIN: UM SHOW DE BELEZA E PERFEIÇÃO
ter, 16 de agosto, 2005
 


Quando li "Nosso Lar", de Chico Xavier, ficava imaginando aquela cidade espiritual, onde as pessoas que trabalham recebiam seus bônus-hora e podiam gastá-lo em lazer de altíssimo nível, com apresentações que superavam em muito a beleza e graciosidade das artes terrenas... sempre fiquei imaginando como seria, com a liberdade da forma, com a manipulação das luzes, das cores, e das freqüências sonoras, e pensava: será que algum dia veríamos algo assim?

Décadas se passaram, e eis que surge a Radical Chic com um vídeo de uma companhia chinesa de dança onde todas as bailarinas são surdas, mas, através de uma perfeita coordenação e trabalho duro, fazem com que o espectador acredite que todas estão sincronizadas com os sons. Até aí nada demais, até que comecei a ver...

Oh, Glória! Oh, Beleza! Oh, Perfeição! E me senti no paraíso por 5 minutos... É o tipo de coisa que você não quer que acabe.

Achei neste blog o seguinte texto explicativo, extraído do Shangai Daily News:

"A inesquecível apresentação de dança da Companhia de Arte Performática Chinesa de Deficientes Físicos, realizada em comemoração ao Ano Novo Chinês, se repetirá em Shangai no próximo fim de semana, conforme relata a repórter Michelle Qiao. Mas todos os ingressos já estavam vendidos mesmo antes de as dançarinas terem saído para Shangai.

'Esta vai se tornar a dança mais famosa na China', disse o coreógrafo Zhang Jigang, usando linguagem de gestos. Ele "disse" isto às 21 dançarinas surdas logo antes de elas entrarem no palco diante de uma platéia estimada em 1 bilhão de pessoas que estavam assistindo ao canal de TV China Central, na transmissão do Festival de gala de Primavera, em fevereiro último.

E ele estava certo. Na apresentação "A Kwanyin de Mil Braços", as dançarinas se posicionavam numa longa fila, criando para a audiência a fabulosa ilusão de que era uma única deusa com múltiplos braços e pernas. A apresentação atingiu imensa popularidade naquela noite. Aparentemente todos que assistiram aos seis minutos de performance adoraram o que viram, e muitos votaram naquele show como a melhor apresentação da noite.

Agora, as dançarinas, todas integrantes da referida Companhia, voltarão a Shangai para novos shows na sexta e no sábado, com ingressos esgotados mesmo antes que as dançarinas começassem a viagem. 'É a primeira vez na História que uma dança chinesa foi assistida e apreciada por uma platéia de um bilhão de pessoas', disse o renomado crítico de dança moderna Ou Jianping. 'No passado, não houve trabalhos expressivos e originais de dança por artistas chineses'. Na verdade, os espectadores chineses nunca deram muita bola para dança e esta modalidade artística geralmente tinha importância secundária nos shows, servindo mais como acompanhamento de cantores. 'No entanto, desta vez, com a iluminação, o figurino e a coreografia, esta dança foi algo insuperável', disse o crítico."

O vídeo pode ser visto aqui, aqui ou pode ser baixado aqui (15 megas)

Vocês podem achar uma versão em altíssima qualidade (240 MB) no Emule com o nome Thousands.Hands.Guanyin.TV.DVDRip.XviD-DRL.avi (recomendado!)

Para saber mais:
Sina English
Tai Lihua: A Dançarina surda
A face for one thousand hands


 
Geral - publicado às 12:21 AM 50 comentários
CIÊNCIA E RELIGIÃO
dom, 14 de agosto, 2005
 


Acredito que há um equilíbrio entre os malefícios e os benefícios da religião (nos últimos séculos pendendo para o malefício). Religião não é importante, mas sim a religiosidade inerente a TODAS elas. Religião é pró-forma. Religiosidade é atitude de vida. Um budista não precisa sair por aí de bata laranja pra lembrá-lo dos seus deveres enquanto budista. Um crente não precisa esquentar a bíblia debaixo do braço e se envolver em discussões teológicas até pra comprar um pãozinho... Eu faço essa distinção, que na minha mente é clara, de que não precisamos de religião (rótulo), e sim de atitudes religiosas (de qualquer religião). Religião escraviza, formata a pessoa num certo dogma. Religiosidade liberta, porque não pode ser confinada a uma religião. Jesus não patenteou o lema "amai-vos uns aos outros", isso está no cerne de várias religiões, e é convenientemente esquecido por todas. A Inquisição NUNCA teria existido se tivesse havido religiosidade na Igreja Católica da Idade das trevas (e penso eu que ela ainda continua saudosista).


Continuar a leitura

 
Ciência, Holismo, Internacional - publicado às 2:30 PM 27 comentários
PINGA-FOGO COM CHICO XAVIER
qui, 11 de agosto, 2005
 


O ano é 1971. Chico Xavier é entrevistado pelo programa Pinga Fogo, da TV Tupi, parecido com nosso atual "Roda Viva", onde ele foi sabatinado por entrevistadores e pelo público, ao vivo, durante mais de duas horas. Foi a maior audiência da TV brasileira na época, maior do que a da Copa de 70, e um marco para o espiritismo no Brasil. A partir daí a figura de Chico Xavier ganhou a simpatia e respeito de todos no Brasil (menos do padre Quevedo). Com certeza estes programas foram e são o melhor cartão de visitas que o espiritismo pode oferecer, pois Chico estava assessorado nas respostas por Emmanuel (por mediunidade auditiva), e as perguntas foram todas de alto nível, difíceis de responder "na lata".


Continuar a leitura

 
Espiritismo - publicado às 12:04 PM 55 comentários
JUNG E A MEDIUNIDADE
qua, 10 de agosto, 2005
 


O livro JUNG E A MEDIUNIDADE, de autoria de Djalma Argollo, se dedica a uma abordagem da vida de Jung a partir de um olhar espírita. Trata das experiências e opiniões de Jung, no que diz respeito aos fenômenos mediúnicos cuja ação sentiu em si em sua família, além de, em vários de seus pacientes - foram por ele estudada. É de suas experiências e opiniões, neste último campo, de que trata este livro. Aceitou ele a imortaliadade da alma, a comunicação dos mortos e a reencarnação? Custa R$ 20 reais na Fundação Lar Harmonia, mas também pode ser lido gratuitamente em versão PDF.

"Folheando" a versão online, vi uma historinha interessante, onde Jung narra sua estadia numa casa com fama de mal-assombrada. No quarto, ele ouvia vários ruídos e pingos de água caindo a um metro dele, embora não visse nada, e a casa não tivesse água corrente ou estivesse chovendo.

Outra é engraçada: Em plena crise psicológica, depois do rompimento com Freud, Jung resolveu entregar-se a um mergulho interior, ou, como ele diz, às suas "fantasias". Acontece que tais fantasias se corporificaram. Primeiro se apresentaram como um casal, que se denominam Elias e Salomé. Salomé era uma mulher bonita, porém cega. Ambos demonstram independência e sabedoria, orientando e esclarecendo muitos problemas existenciais de Jung. Ele aproveita pra ficar "se analisando", e os identifica como as figuras bíblicas tão conhecidas: "Naturalmente, tentei tornar plausível a aparição dos personagens bíblicos em minha fantasia, uma vez que meu pai fora pastor" (Jung, 1997, p. 161). Essa tentativa de racionalizar sua fantasia como recordações da infância soa um tanto quanto forçada, e o próprio Jung reconhece: "Mas isso não esclarecia coisa alguma" (Jung, 1997, p. 161).

Jung declarou, no final da sua vida, que o seu trabalho mais maduro durante toda a sua carreira, cresceu com as experiências transpessoais que fez e relatou isto no seu livro Os Sete Sermões aos Mortos, publicado primeiramente em 1916. Neste livro, Jung descreve a sua descoberta do mundo transpessoal quando rompeu as barreiras do estado de consciência comum, penetrando num mundo que ele nem sequer imaginava. Neste mundo ele encontrou uma entidade que lhe disse chamar-se "Basilides". Basilides, perguntado por Jung, esclareceu-lhe que vivera em Alexandria, muitos séculos antes do nascimento do psicólogo. Basilides transmitiu a Jung o conhecimento do "Pleroma", um conceito transpessoal que mais tarde influenciaria o psicólogo na descoberta do "inconsciente coletivo" da humanidade:

"O Pleroma é, ao mesmo tempo, o princípio e o fim dos seres criados. Ele os penetra, como a luz do sol penetra em qualquer lugar, penetra o ar... Somos, entretanto, o próprio Pleroma porque somos parte do eterno e do infinito. Mesmo no seu ponto o mais insignificante o Pleroma não tem fim, é inteiro, desde que pequeno e grande são qualidades contidas nele. Ele é este nada o qual é tudo e é continuidade!"

A segunda entidade encontrada por Jung no mundo transpessoal foi "Philemon", que influenciou profundamente o seu trabalho. Philemon lhe aparecia como sendo uma "figura espiritual". Jung atribuiu a Philemon muito do sucesso do seu trabalho e da sua obra.

Como curiosidade: Jung foi a primeira pessoa a conhecer e divulgar a cor azul do planeta Terra. Na sua autobiografia, ele relata que, após um ataque do coração, teve uma experiência de quase-morte (obtendo, assim, uma expansão de consciência semelhante a uma saída fora do corpo) e constatou, deslumbrado, a coloração azul da Terra, o vermelho-amarelado do deserto do Saara, ou o verde-ferrugem dos continentes. Tudo isso em 1944, 17 anos antes do primeiro homem ir ao espaço!

Referência: Jornal Infinito: A Natureza Transpessoal da Consiência;
Um Mundo Povoado de Espíritos


 
Espiritismo, Psicologia - publicado às 11:31 AM 34 comentários
ESPÍRITO E MATÉRIA
ter, 9 de agosto, 2005
 


Graças à alma e ao espírito, o ser humano é de essência divina, e como tal manifesta-se no Alto, nos mundos superiores. Porém, ele deve dar também à sua alma e ao seu espírito a possibilidade de se conhecerem e de se manifestarem embaixo, através da matéria do corpo físico.

Essa coexistência do espírito e da matéria em um mesmo indivíduo e as relações que ocorrem entre si é que tornam a existência humana algo tão complexo e misterioso, simbolizado pela imagem da serpente que morde a própria cauda. A cabeça representa o Eu do alto, o espírito; a cauda representa o eu de baixo, a matéria. A cabeça engole a cauda: isso significa que o espírito trabalha sobre a matéria para poder se manifestar através dela. O espírito que está no alto, que é onisciente e onipotente, deve poder se olhar embaixo, através da matéria, como em um espelho.

Eis o objetivo da Iniciação: tornar a matéria capaz de reenviar ao espírito a sua própria imagem

Omraam Mikhaël Aïvanhov


 
Pensamentos - publicado às 1:47 PM 14 comentários
RELACIONAMENTOS
seg, 8 de agosto, 2005
 


Por que é tão difícil se relacionar?

Porque você ainda não é. Há um vazio interior e o medo de que ao se relacionar com alguém, mais cedo ou mais tarde, você será exposto como sendo vazio. Por isso parece mais seguro manter distância das pessoas, pelo menos você pode fingir que é.

Você não é. Você ainda não nasceu, é apenas uma potencialidade. Você ainda não está preenchido, e só duas pessoas preenchidas podem se relacionar. Relacionar-se é uma das melhores coisas da vida: relacionar-se significa compartilhar. Mas antes de poder compartilhar, você tem que ter. E antes de poder amar, você deve estar cheio de amor, transbordando de amor.

Duas sementes não podem se relacionar, elas estão fechadas. Duas flores podem se relacionar, elas estão abertas, podem mandar suas fragrâncias uma à outra, podem dançar no mesmo sol e no mesmo vento, podem dialogar, podem sussurrar. Mas isso não é possível para duas sementes. As sementes são totalmente fechadas, sem janelas - como podem se relacionar?

Milhões de pessoas decidem não crescer. Elas permanecem sementes, permanecem potencialidades, nunca se tornam realidade. Se você se relaciona, você respeita, você não pode possuir. Se você se relaciona, há uma grande reverência. Se você se relaciona, chega perto, muito perto, em profunda intimidade, se sobrepõe. Contudo, a liberdade do outro não é invadida, o outro permanece um indivíduo independente. O relacionamento é o do eu-você e não do eu-isso - se sobrepondo, interpenetrando, todavia num sentido independente.

Por Osho; que nunca nasceu, nunca morreu.
Apenas visitou este planeta Terra entre 11 de Dezembro de 1931 e 19 de Janeiro de 1990


 
Hinduísmo - publicado às 3:29 PM 59 comentários
J-FILES
 


Continuando com a missão de abrir os arquivos outrora secretos da pasta Janga (J-Files), apresento mais dois vídeos intrigantes:

Neste vídeo, acompanho, numa bela madrugada, uma bola de luz cruzar o céu, como tantas outras. Mas esta começa a mudar sua rota, mergulhando em direção ao horizonte, quando de repente pára e começa a descer na vertical. Na hora eu fiquei sem saber se corria lá pra fora ou filmava... daí eu filmei um pouco e depois saí correndo de casa pra ver onde "aquilo" estava pousando. Infelizmente estava muito, muito longe.


Continuar a leitura

 
Ufologia - publicado às 10:40 AM 15 comentários
A BUSCA POR ATLÂNTIDA
sáb, 6 de agosto, 2005
 


Este é um documentário que mostra mistérios das várias civilizações, com fatos, lendas, e evidências científicas desconcertantes. Qual a relação entre as pirâmides do Egito e as de Tihuanaco, na Bolívia? Como os mitos diluvianos da Bíblia podem se relacionar com Platão e os mitos maias, astecas e egípcios?
Veja relatos de pesquisadores que foram banidos da comunidade acadêmica por acharem evidências contrárias a história "oficial" da evolução humana.

- O Mapa de Piri Reis, feito em 1500 e que mostra os contornos da Antártida como ela é por baixo do gelo

- O fantástico alinhamentos das pirâmides do Egito com a constelação de Órion e a via láctea

- O "erro" dos contrutores do observatório solar de Tihuanaco, que, não sendo interpretado como um erro, joga sua data de construção para 12.000 anos atrás, a mesma época - avaliada por estudos geológicos - da criação da Esfinge de Gizé, e - de acordo com Platão - a mesma época em que desapareceu a Atlântida

Procurem nas bancas a revista MISTÉRIO ESPECIAL, que vem com este VCD. Vale a pena ter em casa. Agora, caso não encontrem, vocês ainda podem ver no computador, usando o programa de compartilhamento de arquivos Emule para baixá-lo. O arquivo tem o nome "A busca por Atlantida.avi" e está disponível no servidor Razorback 2.0.

Se ainda não estiverem convencidos a ver o documentário, dêem uma olhada nesta matéria com a transcrição de partes do filme.


 
Cinema - publicado às 9:10 PM 16 comentários
O DEMIURGO
sex, 5 de agosto, 2005
 


O sistema metafísico de Platão centraliza-se no mundo das idéias: Divino, Perfeito e Imanifesto. A ele contrapõe-se a matéria: uma cópia grosseira, imperfeita, falível e impermanente. Entre a idéia e a matéria está o Demiurgo, o Creador.

Desta personalidade e atividade creadora - ou, melhor, ordenadora - é dotado o Demiurgo, o qual, embora superior à matéria, é inferior às idéias, de cujo modelo se serve para ordenar a matéria e transformar o caos em cosmos. Se fizéssemos a comparação com o Hinduísmo, o Demiurgo seria Brahma (O Criador), mas não Brahman (O Incriado).

O mundo material, o cosmos platônico, resulta da síntese de dois princípios opostos, as idéias e a matéria. O Demiurgo plasma o caos da matéria no modelo das idéias eternas, introduzindo no caos a alma, princípio de movimento e de ordem. O mundo, pois, está entre o ser (idéia) e o não-ser (matéria), e é o devir ordenado, como o adequado conhecimento sensível está entre o saber e o não-saber, e é a opinião verdadeira. Conforme a cosmologia pampsiquista platônica, haveria, antes de tudo, uma alma do mundo e, depois, partes da alma, dependentes e inferiores, a saber, as almas dos astros, dos homens, etc.

O conceito platônico do Demiurgo foi retomado pelo Gnosticismo, onde adquiriu um caráter ruim por conta da associação matéria (Humano) x idéia (Divino). No caso, o Demiurgo funcionaria como o personagem Arquiteto, de Matrix Reloaded, criando um mundo para aprisionar as nossas almas. Para a Gnose, a única parte Divina em nós é a alma, que constantemente batalha com o corpo e com as paixões materiais, e por isso o planeta Terra seria o verdadeiro Inferno (Hades), e o Demiurgo, o verdadeiro Lúcifer.


Continuar a leitura

 
Filosofia - publicado às 2:11 PM 40 comentários
FELICIDADE NO AMOR
 


Quantos homens e mulheres associam o amor à felicidade! Mas quantos acabam reconhecendo que essa felicidade é de curta duração! Por que? Porque não sabem como conservar o seu amor. Vocês realmente só encontrarão a felicidade no amor no dia em que compreenderem que ela não está na posse física das pessoas. Só poderão experimentar o verdadeiro amor no que é sutil que, através de um ser, os liga a todo o universo, à beleza das flores, das florestas, das nascentes, do sol, das constelações.
Não se apressem em eliminar a distância física que os separa daquele ou daquela que amam, senão aos poucos perderão todo o mundo sutil. Só lhes restará o lado prosaico e material, e não é aí que encontrarão a felicidade.

Omraam Mikhaël Aïvanhov


 
Pensamentos - publicado às 12:16 PM 14 comentários
HÁBITOS
seg, 1 de agosto, 2005
 


Um velho deitado diz: "Plante um pensamento, colha uma ação; plante uma ação, colha um hábito; plante um hábito, colha um caráter; plante um caráter, colha um destino".

Hábitos são inicialmente teias de aranha, depois fios de arame
(Provérbio Chinês)

Não corrigir nossas faltas é o mesmo que cometer novos erros
(Confúcio)


 
Pensamentos - publicado às 2:09 PM 41 comentários